Home Portal Notícias O que deu errado na perseguição a Lula é que ele é inocente, afirma Valeska

O que deu errado na perseguição a Lula é que ele é inocente, afirma Valeska

4 min read
0

A advogada de defesa de Lula Valeska Teixeira Martins Zanin concedeu uma entrevista, na segunda-feira (8), para o canal do ex-senador Lindbergh Farias (PT) e da ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), e destacou a perseguição política ao ex-presidente. “Depois de toda essa investigação, eles tinham certeza de que encontrariam algo, mas não acharam nada. O que deu errado nessa perseguição toda é que o Lula é inocente”, declarou Valeska.

Ao longo do programa ‘À Esquerda’, transmitido pela TV 247, a advogada lembrou ainda que nenhuma prova foi apresentada até hoje. O ex-senador do PT destacou as manifestações por Lula Livre pelo País e em outros países do mundo todo, durante o fim de semana. “O clima de injustiça era muito grande”. O ex-parlamentar acredita, entretanto, que está claro para a população que houve um golpe articulado e que a cassação do mandato de Dilma Rousseff, a prisão do Lula e a eleição de Jair Bolsonaro fazem parte do mesmo processo.

Valeska, por sua vez, apontou que o processo de investigação do Lula foi marcado por arbitrariedades e grosseiras violações dos direitos humanos. “Aquele PowerPoint induz à presunção de culpa, sem nenhuma prova”, lembrou a advogada, referindo-se ao episódio em que o procurador Deltan Dallagnol apresentou uma peça na qual acusava Lula, sem nenhuma prova, de ser o comandante da uma organização criminosa. “Eles fazem um grande show”, completou ela.

“É a mentira predominando. Vivemos um momento de muita intolerância, é isso que vem sendo cultivado”, comentou Vanessa. “Isso tem nome, é fascismo”, completou Lindbergh. Para o ex-senador, Lula é um problema para as elites nacionais, porque tinha um projeto de País para o povo. Na entrevista, ele conta que esteve com Lula e que o ex-presidente afirmou saber disso. “Eu sei porque estou preso, é porque fiz pelos pobres”, declarou o ex-presidente, de acordo com Lindbergh.

ONU e violação de direitos

Valeska declarou que, ao menos desde 2016, a defesa entendeu que a Lava Jato estava promovendo uma perseguição ao ex-presidente, com o objetivo de deslegitimar o projeto político que ele defende e apagar sua trajetória de líder popular. Cientes das irregularidades e da politização do processo, os advogados recorreram à Organização das Nações Unidas (ONU) para denunciar as violações de direitos humanos.

Além das Cortes Internacionais, a defesa também apresentou recursos às Cortes Superiores (STJ e STF), para que seja afastada a condenação imposta por Moro e pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a Lula e para que ele seja colocado em liberdade.

 

Por Comitê Nacional Lula livre

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

“Seria Paulo Guedes ministro da Economia se ele não tivesse doutorado em Chicago?”, questiona Margarida Salomão

“O ministro Paulo Guedes se formou doutor em Chicago com bolsa do CNPq. Eu também me…