Home Portal Notícias Cavernas do Peruaçu pode ser o segundo sítio brasileiro reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial Misto

Cavernas do Peruaçu pode ser o segundo sítio brasileiro reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial Misto

9 min read
0

Depois de dez anos na fila de espera, Paraty e Ilha Grande receberam, neste ano de 2019, o primeiro título brasileiro de Patrimônio Mundial Categoria Mista (Cultural e Natural) pela Unesco. E o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, localizado no Norte de Minas Gerais e também reconhecido por sua cultura e natureza, pode ser o próximo sítio do País a integrar a seleta lista. É o esperam os debatedores da audiência pública realizada no último dia 21, pela Comissão de Turismo da Câmara Federal.

A audiência, que contou com representantes do Ministério do Turismo, do Instituto Brasileiro de Turismo – Embratur, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, da Unesco no Brasil, entre outros órgãos, foi uma iniciativa do deputado federal Paulo Guedes (PT-MG). Há quatro anos, o parlamentar integra o grupo de trabalho com a finalidade de conduzir o parque Nacional Cavernas do Peruaçu, inscrito na lista tentativa desde o ano de 1998, à indicação de Patrimônio Mundial junto à Unesco.

Entre todos os debatedores da audiência, foi unânime a opinião de que o Peruaçu reúne todas as condições para conquistar o reconhecimento na Categoria Mista, por seus valores culturais e naturais.

O diretor do Departamento de Cooperação e Fomento do Iphan, Marcelo Brito, destacou alguns atributos que ele chamou de “excepcionalidade do Vale do Peruaçu”. Segundo Brito, “os sítios arqueológicos encontrados no Peruaçu indicam uma sequência completa das ocupações desde os seus primeiros habitantes, e a variedade de vestígios neles preservados possibilita contar a história, por exemplo, sobre as reações que estas sociedades deram às alterações climáticas e geopolíticas que ocorreram durante todo o período Holoceno – uma história que também está escrita nas paredes”.

Assessora especial do Ministério do Turismo Lia Noleto defendeu a candidatura e prometeu somar esforços para a conquista do selo.  “A certificação do Parque Peruaçu será fundamental para levar para o Norte de Minas um fortalecimento da sua vocação natural para o turismo ecológico. Ao Ministério do Turismo cabe também incentivar e apoiar as iniciativas para a melhoria de infraestrutura para o turismo sustentável na região”, disse.

Rafael Luisi, chefe da Assessoria de Gestão Estratégica do Instituto Brasileiro de Turismo – Embratur, lembrou que o Brasil é o número 1 em atrativos naturais.  “O País é conhecido no mundo pelo seu turismo de sol e praia, mas sabemos que temos muito mais a apresentar ao mundo”, afirmou ao lembrar que, em 2014, o Peruaçu recebia somente 500 visitantes ao ano, número que saltou para 10 mil no ano passado, com uma previsão de chegar a 20 mil turistas.

Após assistir ao vídeo do Peruaçu apresentado na audiência, a coordenadora de Cultura da Unesco, Isabel de Paula, se rendeu ao que viu. “Quero conhecer o Peruaçu”, disse empolgada. “É preciso reconhecer a imaterialidade e a singularidade presente nesse sítio, que tem elementos muitos importantes de um sítio misto. Esperamos poder entregar o título de patrimônio mundial ao Peruaçu”, comemorou a representante da Unesco.

O parque

A unidade de conservação possui área de 56.400 hectares; 140 cavernas – algumas descritas entre as mais belas do planeta; 80 sítios arqueológicos; a maior estalactite do mundo, com 28 metros de comprimento; pinturas rupestres com mais de 10 mil anos; sua vegetação possui desde a Mata Seca Atlântica até Veredas; seu território abriga diversos animais de extrema importância para a fauna mundial e que estão ameaçados de extinção, além da tribo indígena Xacriabá, a maior das etnias de Minas Gerais.

O selo

Para a concessão do título de Patrimônio Mundial, a Unesco estabelece dez critérios. Com apenas um dos critérios atendidos, já é possível habilitar a candidatura do sítio ao reconhecimento. O Peruaçu iniciou o processo inscrito em três desses critérios e, recentemente, ele aparece no site da Unesco inscrito em outros quatro itens. Portanto, o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu está inscrito em sete critérios, uma situação rara no mundo inteiro.

Desenvolvimento, emprego e renda para a região

Em seu pronunciamento, Paulo Guedes destacou alguns aspectos positivos da conquista do Selo. “O selo de Patrimônio Mundial da Unesco não trará benefícios somente para o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu e para as 3 cidades que ele integra, mas criará um circuito turístico que englobará uma grande região que abrange Montes Claros como porta de entrada para todas as belezas do Norte de Minas, promovendo maior visibilidade nacional e internacional, incentivos à preservação ambiental, fortalecimento da atividade econômica e valorização cultural da região, de Minas Gerais e do Brasil”, finalizou o deputado Paulo Guedes.

A partir de agora, o cronograma de preparação segue com a instalação do Comitê Técnico, que terá um longo trabalho pela frente até a oficialização da candidatura junto ao Centro do Patrimônio Mundial – Unesco, prevista para 2022. A avaliação pelo comitê especializado deve ocorrer em 2023.

Assessoria de Comunicação

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Frei Anastácio diz que privatização da transposição do São Francisco é um crime contra o povo nordestino

O deputado federal Frei Anastácio (PT-PB) criticou o decreto número 9954/2019, assinado po…