Home Portal Notícias Manchetes Gleisi denuncia ato de violência judicial e policial contra a deputada Rosa Neide

Gleisi denuncia ato de violência judicial e policial contra a deputada Rosa Neide

4 min read
0

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), denunciou nesta terça-feira (20), em plenário, o ato de violência praticado contra a deputada Professora Rosa Neide (PT-MT). Um mandado expedido por uma juíza de 1ª Instância permitiu que a Polícia Civil entrasse na casa da parlamentar na manhã de ontem (19) para fazer a busca e apreensão, em Cuiabá (MT). “A Constituição Federal é clara: cabe ao Supremo Tribunal Federal qualquer decisão que possa vir sobre o mandato parlamentar”, alertou Gleisi, ao solicitar que a Câmara tome os procedimentos necessários para corrigir a violência que foi feita com a deputada Rosa Neide.

Gleisi Hoffmann salientou que a deputada do PT do Mato Grosso não é investigada, não é indiciada, não é denunciada e não consta em nenhum processo criminal. “Não é possível que continuemos tendo a inviolabilidade do mandato parlamentar dessa forma. Não é direito da Polícia Civil ou de uma juíza de 1ª Instância determinar busca e apreensão na residência de um parlamentar. Isso viola a Constituição Federal”, protestou.

Na avaliação da presidenta do PT, não se trata de uma violência à deputada Professora Rosa Neide apenas. “É uma violência ao Parlamento brasileiro. Qual é o direito, qual é a prerrogativa em que se baseia uma juíza de 1ª Instância, a Polícia Civil, para entrar na casa de um parlamentar e fazer busca e apreensão? Ainda que esse parlamentar fosse investigado, cabe ao Supremo Tribunal Federal decidir sobre o mandato parlamentar”, reforçou.

A deputada Soraya Santos (PL-RJ), que presidia a sessão, informou à presidenta do PT que a Mesa da Casa já tinha ciência do caso e irá se pronunciar sobre o assunto.

Nota da Bancada

Em nota divulgada ontem (19), a Bancada do PT na Câmara repudiou a ação de busca e apreensão realizada na residência da deputada Rosa Neide, sem que a mesma esteja indiciada e jamais tenha se negado a prestar esclarecimentos sobre o objeto da operação “Fake Delivery”, da Polícia Civil do estado de Mato Grosso. Na nota, a bancada informa que acionará os órgãos competentes para que as medidas legais de reparação e responsabilização sejam tomadas contra este flagrante abuso.

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Zé Neto apresenta projeto que garante computador para estudantes pobres de escolas públicas durante a pandemia

O deputado Zé Neto (PT-BA) apresentou um projeto de lei na Câmara (PL 3.699/20), com a coa…