Home Portal Notícias Deputados petistas cobram saída imediata de Dallagnol da Lava Jato e punição de ilegalidade

Deputados petistas cobram saída imediata de Dallagnol da Lava Jato e punição de ilegalidade

10 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara cobraram, nesta quinta-feira (1º), pelas redes sociais, o imediato afastamento do procurador Deltan Dallagnol do comando da Lava Jato no Ministério Público. Segundo eles, a revelação feita hoje pelo jornal Folha de S. Paulo – em parceria com o site The Intercept Brasil – de que Dallagnol agiu clandestinamente para investigar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e seus familiares. Os petistas pedem também que o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) invetigue o procurador.

Segundo o líder da bancada petista, deputado Paulo Pimenta (RS), a nova revelação é mais uma prova da forma criminosa como Dallagnol agia no exercício do comando da Lava Jato. Pimenta lembrou que enquanto Dallagnol incentivava investigações contra o ministro Dias Toffoli e sua esposa, e também familiares de Gilmar Mendes, o procurador nunca se pronunciou sobre denúncias contra outros ministros do STF.

“Na realidade, ele (Deltan Dallagnol) usa a Lava Jato para perseguir aqueles que ele entende que são inimigos do seu projeto de poder. A Lava Jato é um esquema mafioso: vende proteção e vende também a perseguição àqueles que são inimigos ou adversários, as pessoas que eles querem combater. A Lava Jato é um esquema criminoso que precisa ser investigado, e os seus envolvidos precisam responder pelos crimes que cometeram”, cobrou Pimenta.

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) destacou que a ação de Dallagnol é uma ilegalidade que precisa ser investigada. “Vamos pedir ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) o afastamento de Dallagnol da Força Tarefa da Lava Jato e a abertura de inquérito disciplinar para investigar ilegalidades praticadas por ele”, revelou”.

Sobre o novo escândalo, o deputado José Guimarães (PT-CE) defendeu a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) para investigar o caso. “Uma violência brutal que Dallagnnol praticava contra o Estado de Direito não pode ficar impune. Afastamento de suas funções públicas e investigação já, via CPI mista no Congresso Nacional”, defendeu.

Entenda o caso

De acordo com a reportagem da Folha de S. Paulo, em parceria com o The Intercept Brasil, Dallagnol entrou em contato com colegas do MP em Brasília e Curitiba para investigar o então ministro Dias Toffoli de forma clandestina, em 2016. O objetivo era obter informações sobre as finanças pessoais de Toffoli e sua mulher, a advogada Roberta Rangel, para comprovar ligações com empreiteiras investigadas pela Lava Jato.

De acordo com a matéria, Dallagnol adotou o mesmo procedimento clandestino em relação a mulher do ministro Gilmar Mendes, a advogada Guiomar Mendes, ao também solicitar a um colega informações sobre a movimentações financeira dela. Segundo a Constituição, ministros do STF só podem ser investigados com autorização do próprio tribunal. Nesse caso, quem representa o MP na acusação é o Procurador-Geral da República.

Veja o vídeo das declarações do líder do PT

 

Leia outras declarações de parlamentares sobre o caso:

Deputada Erika Kokay (PT-DF) – “Até quando o conteúdo das revelações da #VazaJato não será investigado? Dallagnol e Moro precisam ser afastados. Será que o MP e o Judiciário não consideram que os crimes graves que cometeram depõem contra todo sistema de justiça brasileiro?

Deputado Joseildo Ramos (PT-BA) – “O nome que se dá àquilo que é cometido por operadores da lei que passam por cima da lei para chegar em um resultado que lhes favorece é crime. Ministros do STF não podem ser investigados por procuradores da primeira instância, como Dallagnol”.

Deputado Zeca Dirceu (PT-PR) – “Talvez, no mundo invertido em que vive, as ações de Deltan Dallagnol à frente da Lava Jato, sejam íntegras, éticas e morais, porque nessa realidade aqui, você cometeu crimes, meu “caro” Deltan”.

Deputado Patrus Ananias (PT-MG) – “Deltan incentivou investigação ilegal da Lava Jato a Dias Toffoli. A Constituição diz que ministros do STF só podem ser investigados com autorização do próprio tribunal”.

Deputado Nilto Tatto (PT-SP) – “ Que Deltan, Moro e outros integrantes da Lava Jato exorbitaram em suas atribuições todos já sabiam. Falta saber qual a extensão desses abusos e por que seguem exercendo suas funções na operação que se tornou “Farsa a Jato”.

Deputado Pedro Uczai (PT-SC) – “Deltan Dallagnol estimulou procuradores a investigar o presidente do STF, ministro Dias Tofolli, cometendo mais uma arbitrariedade. A prerrogativa de investigar ministros do STF é da PGR”.

Deputado Rogério Correia (PT-MG) – “Deltan usava a Lava Jato para chantagear adversários e para ganhar dinheiro, sobretudo em palestras. Cometeu mais um crime e não tem condição de continuar como procurador da República”.

Deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) – “Dallagnol usou até da chantagem contra o STF para não ter óbice jurídico no seu caminho de perseguição na Lava Jato. Dallagnol tem que ser mandado embora urgente”.

Deputado João Daniel (PT-SE) – “Mais uma vez o procurador Dallagnol mostra que não tem respeito às leis”.

Também retuitaram notícias sobre o tema os deputados Carlos Zarattini (PT-SP), Helder Salomão (PT-ES), Beto Faro (PT-PA), Margarida Salomão (PT-MG), Odair Cunha (PT-MG) e Henrique Fontana (PT-RS).

 

Héber Carvalho

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Depoimento de Lula na Justiça Federal comprova perseguição, avaliam petista

Parlamentares da Bancada do PT se revezaram na tribuna da Câmara, na tarde desta quarta-fe…