Home Portal Notícias Manchetes Bolsonaro mente mais uma vez e ignora fome no Brasil, acusam parlamentares do PT

Bolsonaro mente mais uma vez e ignora fome no Brasil, acusam parlamentares do PT

7 min read
0

Parlamentares da bancada do PT na Câmara usaram suas redes sociais nesta sexta-feira (19) para criticar a fala do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro de que passar fome no Brasil é “uma grande mentira”. A inusitada afirmação de Bolsonaro foi feita nesta sexta-feira durante café da manhã com jornalistas estrangeiros. Questionado pelo correspondente do jornal espanhol “El País” sobre os planos de seu governo para dar suporte ao aumento da pobreza e da fome no país, Bolsonaro disse que não existe fome no Brasil e que é “discurso populista” quem diz o contrário.

Enio Verri (PT-PR) disse que a declaração revela um presidente que ignora o Brasil e deu uma dica: “ele poderia visitar a região do Distrito Federal onde a sua esposa nasceu, o Sol Nascente, considerada a maior favela da América do Sul, onde se passa fome, sim”.  Já a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), alertou que “Bolsonaro desdenha de dados da ONU que mostram que o país tem 5,2 milhões de pessoas passando fome, ignorados e invisíveis a esse governo insensível. É revoltante”.

Desprezo de Bolsonaro pelos famintos

Para o deputado e ex-ministro da Saúde  Alexandre Padilha (SP), todo mundo sabe que o Brasil voltou para o mapa da fome e que Bolsonaro também sabe. “Seu discurso não somente nega e censura de uma realidade que se apresenta, mas, simbolicamente, traz consigo o silenciamento, a ocultação e o desprezo pelos famintos e pobres”.

O deputado Alencar Santana (PT-SP) escreveu em seu Twitter que o fato de Bolsonaro negar uma realidade que milhares de brasileiros sofrem e que mata “só pode ser cegueira da realidade social, falta de sensibilidade humana ou maldade pura”. O deputado Carlos Veras (PT-PE) comentou no microblog:  “Pasmem, a fala é do presidente do Brasil”.

Para o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), o presidente da República não tem a menor noção da realidade brasileira e, pior, “não tem nenhuma humildade para aprender”.

Estupidez do capitão-presidente

Erika Kokay (DF-PT) criticou Bolsonaro por nada fazer contra a fome e ainda falar que “é uma grande mentira” a existência do problema no País. “A declaração é de uma estupidez tremenda, de quem não conhece o próprio país. Bolsonaro, virar as costas para a fome não vai fazer ela deixar de existir”, afirmou a deputada.

O deputado Odair Cunha (PT-MG) recordou que o chefe do Executivo, em outra declaração desastrosa, já disse que não vê problemas no trabalho infantil e agora diz que não existem pessoas passando fome no Brasil. “O capitão tem uma venda de ignorância sobre os olhos e simplesmente não enxerga a realidade do país que tenta, sem sucesso, governar”, comentou o parlamentar mineiro.  Na mesma linha José Guimarães (PT-CE) disse que para o “governo Bolsonaro isso é normal, assim como o trabalho infantil. Nunca vimos coisa igual no nosso país”.

Assis Carvalho (PT-PI) lança uma pergunta, “De qual país ele está falando? ”, questiona o deputado.

A alienação de Bolsonaro

Segundo o capitão-presidente, “passar fome no Brasil é uma grande mentira”. Ele disse que “passa-se mal, não come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em alguns outros países pelo mundo”.

Segundo a pesquisa mais recente sobre segurança alimentar do IBGE, de 2013, uma a cada cinco famílias brasileiras tinha restrições alimentares ou preocupação com a possibilidade de não ter dinheiro para pagar comida.

ONU

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU) o Brasil já voltou ao grupo de países em que a fome é alarmante, o chamado Mapa da Fome, do qual tinha saído em 2014, após várias políticas públicas implementadas pelos governos do PT. Uma das causas é a alta no número de pessoas desempregados no país.

 

Lorena Vale

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Juristas estrangeiros se dizem chocados e defendem libertação de Lula

Um grupo de 17 juristas, advogados, ex-ministros da Justiça e ex-membros de Cortes Superio…