Home Portal Notícias Manchetes Ministro admite liberação de emendas para influenciar votação da Previdência; líder do PT afirma que é crime

Ministro admite liberação de emendas para influenciar votação da Previdência; líder do PT afirma que é crime

5 min read
0

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), denunciou em plenário que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confessou em entrevista à imprensa a liberação de emendas parlamentares na área da saúde com o objetivo de influenciar na votação da Reforma da Previdência (PEC 06) na Câmara. Durante o processo inicial de apreciação da proposta no plenário da Casa, na noite de hoje (9), o líder petista lembrou que a prática admitida pelo ministro “é crime”.

“O ministro da saúde reconheceu nesta terça-feira que a liberação de cerca de R$ 1 bilhão com recursos públicos na véspera da votação da reforma é uma forma de influenciar o plenário da Câmara, em um esforço pró Previdência”, informou Pimenta. Ele, dirigindo-se ao presidente Rodrigo Maia, enfatizou que o artigo 142 da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é claro ao dizer que é crime usar recursos públicos da execução orçamentaria para influenciar votação no Congresso. “Comprar voto para a Previdência com dinheiro público é um crime lesa pátria contra o povo brasileiro”, acusou o líder petista.

A Bancada do PT recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), com uma ação popular com pedido de liminar, para barrar a liberação de R$ 1 bilhão em emendas para a compra de votos. Os petistas também protocolaram representação na Procuradoria-Geral da República cobram investigação do episódio.

Crime contra LDO

O deputado e ex-ministro da Saúde, deputado Alexandre Padilha (PT-SP), observou que enquanto o governo libera recursos para atender emendas visando a Reforma da Previdência, outros setores da saúde pública suplicam por verbas para atender a população.

“Se o ministro viesse dizer que liberou R$ 1 bilhão para colocar 7 mil médicos que faltam depois de acabarem com o Mais Médicos, ou para hospitais porque há mais de seis meses falta medicamento para transplante no País, ninguém diria que era crime. Se ele dissesse à imprensa que liberou R$ 1 bilhão para comprar vacina Pentavalente, que está em falta nos hospitais brasileiro, ou para recuperar Samu, UPA, ninguém diria que era crime, mas o ministro Mandetta confessou um crime ao liberar R$ 1 bilhão para induzir a votação da Previdência. Isso é crime contra a LDO aprovada por esse Congresso”, enfatizou.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira (8) o governo liberou cerca de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares vinculadas à área da saúde em portarias publicadas em edição extra do Diário Oficial da União.

 

Héber Carvalho

 

 

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Frei Anastácio avalia que fim do DPVAT é mais um golpe do governo contra o povo

O deputado Frei Anastácio (PT-PB) avalia que o fim do Seguro Contra Danos Pessoais Causado…