Home Portal Notícias Manchetes Dallagnol deve mais explicações após áudios comprometedores revelados pelo The Intercept, cobram deputados

Dallagnol deve mais explicações após áudios comprometedores revelados pelo The Intercept, cobram deputados

7 min read
0

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, que fugiu do debate na Câmara nesta terça-feira (9) tem muito que explicar ao Brasil, principalmente depois que o site The Intercept Brasil divulgou hoje o primeiro áudio da “Vaza Jato”. O áudio revela que os procuradores da Lava Jato (incluindo Dallagnol) agiram secretamente para evitar que o ex-presidente Lula desse uma entrevista durante a campanha eleitoral por medo que pudesse ajudar a “eleger o Haddad”. O procurador comemorou a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, revogando autorização para a Folha entrevistar Lula.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDHM) da Câmara, deputado Helder Salomão (PT-ES), destacou que Dallagnol deveria ter comparecido ao colegiado hoje às 10h. “Ele foi convidado, mas se recusou a participar da audiência. Ele deve satisfação à população brasileira, especialmente após a divulgação desse áudio pelo The Intercept Brasil”. O deputado frisou que as coisas estão ficando cada vez mais claras. “No âmbito da Lava Jato, agiram de maneira política. E ele (procurador) disse, como justificativa, que não viria à comissão, porque o cargo dele é de natureza técnica e a comissão tem um papel político”.

Helder Salomão reforçou que os áudios e as mensagens da “Vaza Jato” estão mostrando que a atuação do procurador é e foi política no âmbito. “Então, mais uma vez, a população brasileira tem o direito de saber o que aconteceu nos bastidores da Operação Lava Jato”, defendeu. O presidente da CDHM ainda provocou indagando: “por que o procurador, que gosta de se manifestar pelo Twitter, que gosta de falar muito nas redes sociais, perdeu a oportunidade de dar esclarecimentos na nossa comissão no dia de hoje? Por que Dallagnol não quis comparecer aqui?”.

Conluio para condenar Lula

O deputado Rogério Correia (PT-MG), autor do requerimento para a audiência que ouviria Deltan Dallagnol, considerou “muito grave” o conteúdo do primeiro áudio com a voz do procurador, que o site The Intercept colocou hoje no ar. “E é apenas um dos áudios, o site já avisou que outros virão. Provavelmente também com a voz de Sérgio Moro. Não há como o ex-juiz negar, agora, a existência do diálogo entre Ministério Público e o ex-juiz do Paraná. Um verdadeiro conluio para que eles condenassem o presidente Lula e fizessem daquilo uma farsa lá no Paraná”, denunciou.

Rogério Correia frisou que agora as coisas estão ficando muito claras. “Lá está a voz de Dallagnol, que hoje, covardemente, não quis vir aqui a esta Casa. Ele que dizia que essas mensagens não poderiam ser provadas. Pois agora está lá a voz do Dallagnol, e o covarde não teve a coragem de vir aqui”, criticou.

O deputado lembrou que Sérgio Moro está de licença do ministério, por cinco dias. “Ficamos pensando se ele voltará ao Brasil. Se não era o caso de a Procuradoria-Geral da República pegar o passaporte do Dallagnol e do Moro”, sugeriu.

Áudios provam ilegalidades da Lava Jato

O deputado Zeca Dirceu (PT-PR) avaliou que caiu por terra o discurso daqueles que diziam que as mensagens da Operação Lava Jato divulgadas pelo The Intercept não eram verdadeiras. “Agora, há áudio. Quero ver quem vai ter a cara de pau de dizer que o áudio não é seu. Quero ver quem vai ter a cara de pau de não reconhecer a sua própria voz, como faziam em relação às mensagens”, provocou.

Zeca Dirceu enfatizou que, desde o início, sabia que as mensagens eram verdadeiras. “Elas revelavam ilegalidades que não podem ser toleradas pela democracia, que não podem ser toleradas pelo devido processo legal, pelo que diz o Código da Magistratura Brasileira e pelo que diz o Código Penal”.

O deputado do PT paranaense ainda acrescentou que o áudio prova que os procuradores agiram com objetivo partidário, com objetivo eleitoral. “Que as verdades venham à tona, que a justiça brasileira seja passada a limpo, e que fatos como este não se repitam nunca mais”.

 

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Projeto susta ato do Executivo que reclassifica nível de toxicidade de agrotóxicos

O Projeto de Decreto Legislativo 616/19 pretende tornar sem efeito o ato do Ministério da …