Home Portal Notícias Manchetes Petistas reforçam que Reforma da Previdência prejudicará quem ganha menos

Petistas reforçam que Reforma da Previdência prejudicará quem ganha menos

7 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara, que lutaram bravamente contra a Reforma da Previdência (PEC 06/19) na comissão especial, vai manter o mesmo posicionamento em plenário, que começa nesta semana analisar a proposta. O deputado Henrique Fontana (PT-RS), ao manifestar seu posicionamento contrário à reforma, citou o exemplo de uma empregada que hoje tem 56 anos de idade, 25 anos de carteira assinada para a qual contribuiu durante um período sobre um salário mínimo e em outro período mais longo sobre 2 salários mínimos. “Pelas regras atuais, ela tem o direito de se aposentar aos 59 anos com benefício salarial de R$ 1.800. Mas se a reforma for aprovada, ela terá a sua aposentadoria cortada”, lamentou.

Fontana explicou que o benefício será menor porque, primeiro, querem a “perversidade” de exigir todos os anos de contribuição no cálculo da média. Hoje, para cada 10 anos de contribuição pode-se descartar os dois menores para ter uma média melhor. E, segundo, como ela tem 25 anos de contribuição e não o mínimo de 40 anos, como querem exigir, só por isso querem cortar 30% da aposentadoria dela. O que significa que ela não se aposentará com o benefício de R$ 1.800, mas com a aposentadoria de R$ 1.260”, alertou.

Henrique Fontana explicou ainda que ela não vai poder mais se aposentar aos 59 anos, mas aos 62 anos – que é a idade mínima exigida na reforma de Bolsonaro e com 30% de corte na sua aposentadoria. “Ou seja, é uma reforma cruel que corta R$ 540 na aposentadoria de uma pessoa que ganha R$ 1.800. Digam-me se essa pessoa é privilegiada? A resposta é “não”. Então, essa pessoa não deve ter a sua aposentadoria cortada”, protestou.

E o que é pior, acrescentou Fontana, informando que lá na comissão especial foi aprovada uma emenda para entregar R$ 84 bilhões para o agronegócio exportador. “Para esses, dinheiro a mais, R$ 84 bi a mais. Para a trabalhadora doméstica, corte de 30% da aposentadoria. Essa reforma é injusta e não pode passar neste plenário”, alertou.

Trabalhadores rurais

O deputado Frei Anastácio (PT-PB) destacou a sua preocupação com os trabalhadores rurais. Ele citou que foi divulgado em todo o País que os trabalhadores rurais estão fora da Reforma da Previdência, mas, depois de análise feita no texto substitutivo da comissão especial, surgiram muitas preocupações. A primeira, segundo o deputado, é que irá para lei ordinária definir o tempo mínimo de atividade rural, para garantir o acesso à aposentadoria no campo, inclusive em economia familiar. “A lei poderá dispor sobre outras exigências em relação à contagem do tempo de atividade no campo, há riscos de demandas e atenção para evitar mudanças que prejudiquem ainda mais os rurais”, observou o deputado.

Frei Anastácio citou que o substitutivo é omisso sobre regras de transição para rurais, mas sinalizando para o possível aumento do tempo mínimo de exigência de atividade rural de 15 anos para 20 anos, para os homens. Ele ainda alertou que as regras para as pensões para o meio rural também foram alteradas, na medida em que os cônjuges tiverem outra renda. “Portanto, essa história de que os rurais estão fora da reforma da Previdência não é verdade”, protestou.

O deputado Beto Faro (PT-PA) também criticou a proposta e disse que em reunião em municípios do seu estado no final de semana, os trabalhadores pediram para que os deputados não aprovem essa reforma, que dificulta o acesso à aposentadoria, que diminui o direito dos trabalhadores e que faz com que mesmo aqueles que consigam se aposentar a partir dela tenham um salário menor. “Portanto, nós temos que estar aqui vigilantes. Não podemos dar aval a uma reforma que, mais uma vez, como outras atitudes deste governo, retira direitos dos trabalhadores”, reforçou.

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Parlamentares do PT comemoram anulação da condenação de Lula e a restituição de seus direitos políticos

Parlamentares da Bancada do PT afirmaram que a decisão do ministro Edson Fachin, do Suprem…