Home Portal Notícias PT vai acionar Conselho de Ética da Presidência para investigar conduta ofensiva do ministro da Educação

PT vai acionar Conselho de Ética da Presidência para investigar conduta ofensiva do ministro da Educação

12 min read
1

O Partido dos Trabalhadores vai acionar o Conselho de Ética da Presidência da República para investigar a conduta do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que postou em sua rede social declarações ofensivas aos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. A informação foi postada nesta quinta-feira (27) pela presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), em sua conta no Twitter. Segundo a deputada, “Abraham Weintraub não está à altura do cargo” e “se comporta como um moleque”. Outros parlamentares petistas também ressaltaram que a ação do ministro fere o padrão moral de conduta que se espera de um ministro de Estado.

“Será acionado judicialmente pelas injúrias lançadas contra Dilma e Lula. Vamos pedir ainda à Comissão de Ética da Presidência da República que avalie a sua conduta”, reforçou Gleisi. O ministro da Educação, ao comentar o escândalo dos 39 quilos de cocaína transportados dentro de um avião da presidência da República por um militar da Aeronáutica, escreveu: “No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”.

Também pelo Twitter, parlamentares da Bancada do PT afirmaram que a “piadinha esdrúxula” demonstra a total desqualificação moral e despreparo intelectual do ministro para o exercício do cargo. “Abraham Weintraub não sabe a diferença entre R$ 500 mil e R$ 500 milhões. Não tem a menor ideia do que faz na cadeira de ministro da Educação. Deve se achar engraçado, como Bolsonaro deve se achar inteligente. E usa prestígio de Lula e Dilma para aparecer. Um pobre coitado de dar dó”, afirmou o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS).

O vice-líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), disse que o ministro da Educação “é um desqualificado, irresponsável e de uma conduta tosca”. “Nunca vimos na história do MEC uma pessoa desse padrão”, ressaltou. Na mesma linha o deputado Pedro Uczai (PT-SC) disse que a “piada” do ministro com Lula e Dilma “é desrespeitosa e mostra o baixíssimo nível intelectual desse cidadão que não reúne condições mínimas para ocupar uma das funções mais importantes do País”.

O deputado Waldenor Pereira (PT-BA), coordenador do Núcleo de Educação do PT na Câmara e no Senado, destacou que a atitude prova que “falta ao ministro da Educação competência técnica, conhecimento, porte e compostura à altura do cargo que ocupa”. “Tome vergonha, ministro! Saia das redes sociais, deixe de piada com a cara dos brasileiros e vá trabalhar! ”, cobrou.

E para Reginaldo Lopes (PT-MG), a postagem demonstra que “o ministro não tem educação e não respeita a liturgia do cargo que ocupa”.

 

Leia abaixo outras manifestações de deputados petistas sobre a declaração de Abraham Weintraub:

Margarida Salomão (PT-MG) – “Se falta condições técnicas para a sustentação do Ministro da Educação em seu cargo, o que dirá condições morais. Esse é o governo da falta de compostura. Da falta de compostura, de laranjas e de milícias”.

Marília Arraes (PT-PE) – “Um cidadão como este não tem nenhuma condição de ocupar o cargo de ministro da Educação! Abraham Weintraub, quem é você para desrespeitar desta forma Lula e Dilma, e todos os brasileiros com este tipo de declaração? Se não tem educação, pelo menos tenha compostura”.

Patrus Ananias (PT-MG) – “O ministro da educação mostra suas credenciais para o cargo no governo Bolsonaro. Vergonha mundial é a nova modalidade olímpica do grupo no poder”.

Maria do Rosário (PT-RS) – “Weintraub é ministro da Educação que não entende do tema e que caiu de paraquedas no cargo, mas agora tem a desfaçatez de comparar os responsáveis pelos maiores avanços educacionais do Brasil com um escandaloso tráfico de drogas no seu próprio governo”.

Erika Kokay (PT-DF) – “O ministro olavista da Educação, Weintraub, é tão inexpressivo e desqualificado que para aparecer tem que agredir Lula e Dilma. Merece ser representado no Conselho de Ética da Presidência da República!”.

Henrique Fontana (PT-RS) – “Abraham é um ministro peculiar. Erra contas básicas de matemática, promove uma cruzada contra a educação pública e, nas horas vagas, faz piadinhas esdrúxulas contra ex-presidentes”.

Nilto Tatto (PT-SP) – “Ministro da “Educação”, Abraham Weintraub, drogas pesadas são as medidas do desgoverno Bolsonaro, que o senhor defende e integra”.

Paulão (PT-AL) – “Em governo passado não tinha ministro (da Educação) desqualificado como você. Canalha.”

Airton Faleiro (PT-PA) – “O peso da sua canalhice, da sua incompetência e burrice, todos nós sabemos senhor ministro. Se atenha ao seu cargo, respeite-o e vá trabalhar ao invés de ficar fazendo piadinhas ridículas, desnecessárias e criminosas”.

Joseildo Ramos (PT-BA) – “Esse governo é um filme de terror. Olha o nível do ministro de Estado da Educação. Quer aparecer, Abraham Weintraub? Coloca um nariz de palhaço e uma melancia na cabeça. Vá trabalhar, ministro!”.

Bohn Gass (PT-SC) – “Ministro Weintraub invoca os nomes de Lula e Dilma em post sobre a cocaína no avião da comitiva de Bolsonaro. Comentário inadequado, desrespeitoso, indigno e desqualificado. Adjetivos, aliás, que definem não só o post, mas o próprio Weintraub”.

Odair Cunha (PT-MG) – “Isso não é nem “piada” e muito menos postura adequada para um Ministro de Estado. O PT vai pedir à Comissão de Ética da Presidência da República que avalie a sua conduta”.

Alexandre Padilha (PT-SP) – “Abraham Weintraub, o dia que o senhor fizer pelo menos 3,5% do que fizeram Lula/Dilma pela Educação passará a ter peso e altura para perguntar algo sobre eles”.

João Daniel (PT-SE) – “Na falta de como explicar esse crime que repercutiu negativamente para o país – o que já é uma prática em se tratando do governo Bolsonaro – o ministro da Educação faz uma postagem nesse nível. Uma total falta de respeito desse ministro que até pela pasta que ocupa deveria dar o exemplo”.

Carlos Veras (PT-PE) – “No governo Bolsonaro, os ministros não são líderes, mas antiexemplos para as áreas que atuam. O ministro da Educação faz balbúrdia com um caso sério de tráfico internacional de drogas em avião presidencial. A postura de Weintraub é incompatível com o cargo que ocupa”.

Padre João (PT-MG) – “Absurdo esta fala, principalmente vindo de um ministro da Educação”.

 

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Boletim 551 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

Boletim 551 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia Direto de Curitiba &#…