Home Portal Notícias ‘Aerolícia’: Militar preso na Espanha era da comitiva de Bolsonaro e traficava 39 quilos de cocaína

‘Aerolícia’: Militar preso na Espanha era da comitiva de Bolsonaro e traficava 39 quilos de cocaína

18 min read
0

O militar da aeronáutica detido no aeroporto de Sevilha na terça-feira (25) carregava 39 quilos de cocaína em avião da FAB usado em comitiva do presidente Jair Bolsonaro em viagem ao Japão. O homem, um sargento de 38 anos, segue detido pela guarda civil espanhola.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), publicou nesta quarta-feira (26), em sua conta no Twitter: “Depois de reveladas as ligações com as milícias, descobrimos agora graças à polícia da Espanha que no governo Bolsonaro funciona também uma AEROLÍCIA que usa a frota da FAB para fazer tráfico de drogas”. Pimenta ainda afirmou: “39 QUILOS DE COCAÍNA! Essa turma de milicianos não perde tempo! Vamos tomar todas as providências cabíveis para investigar isso a fundo, porque se ficar por conta da turma do Queiroz, vão abafar!”

Segundo a rede RTVE, a guarda civil deteve o militar após verificar que ele carregava 39 quilos de cocaína distribuídos em 37 tabletes em sua bagagem. O destino final da comitiva, que fez escala na Espanha, era o Japão, onde Bolsonaro participa da cúpula do G-20 pela primeira vez.

O avião do presidente também faria escala em Sevilla e após a divulgação deste fato a rota foi alterada para Lisboa. Enquanto isso acontecia, o ministro Sérgio Moro divulgava sua agenda afirmando estar nos EUA discutindo no Departamento de Estado Americano (DEA) como diminuir o tráfico de drogas no Brasil.

Vergonha

O deputado Beto Faro (PT-PA) afirma que o governo Bolsonaro “é uma vergonha para os brasileiros”. Enquanto o mineiro Leonardo Monteiro (PT) lembra que o Brasil nunca passou tamanha vergonha internacionalmente. “A incapacidade do presidente aliada ao escândalo de drogas no avião da comitiva oficial ao G20, expõe o Brasil ao ridículo em países que verdadeiramente seguem a lei.”

Para a deputada Erika Kokay (PT- DF), a apreensão de 39 kg de cocaína em avião da FAB que transportava a equipe avançada do presidente Jair Bolsonaro “é gravíssima e precisa ser investigada rigorosamente. Bolsonaro é cercado de milicianos, o caso não pode ser abafado como o helicóptero com 450 kg de pasta base”, lembrou a deputada em seu Twitter.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Helder Salomão (PT-ES), escreveu: “39 QUILOS. Militar detido com drogas na Espanha estava no avião reserva da Presidência”. O deputado Bohn Gass (PT-RS) também se espanta e indaga no Twitter: “39 quilos de cocaína? Num avião da Força Aérea Brasileira? Que estava na Espanha? Quem comprou? De quem comprou? De onde saiu? Para onde iria? Quantas pessoas estão envolvidas? Quem são elas?”, quer saber o deputado.

Já o deputado Alexandre Padilha (PT-SP) questiona sobre a capacidade de o Brasil combater o tráfico de drogas. “Ministro Moro, eles ensinaram como impedir que um militar suba no avião oficial da precursora do Presidente da República com 39 kg de cocaína? Dependemos da Espanha para combater o tráfico em aviões da FAB? E o governo, no início do ano, culpava a Saúde indígena, né…”, reclama o parlamentar. Padilha ainda lembra: “Assessor do filho é miliciano, vizinho traficante de armas e carona presidencial traficante de drogas …o submundo tomou conta do Palácio do Planalto”.

O vice-líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), lamenta a falta de informação por parte da ‘grande’ imprensa brasileira. “É incrível! Ninguém noticia que é uma autoridade do governo e nem falam que o avião é do governo brasileiro!”, reclama. E o deputado Paulo Teixeira‏ (PT-SP) escreveu no Twitter: “Avião que serve o presidente Bolsonaro pousa com 39 Kg de cocaína na Europa. Mais um acontecimento incrível noutro governo e comum no governo de milicianos”. O deputado Rogério Correia (PT-MG) sugeriu em seu Twitter: “Deputado Diego Andrade apresentou projeto de lei para estudante fazer exame toxicológico para entrar na universidade. Eu discordo e acho preconceituoso. Mas aproveitando o debate, estou apresentando emenda para exigir o mesmo procedimento para comitiva em aviões presidenciais”, ironizou.

Já o deputado Nilto Tatto (PT-SP) usa a ironia e a música para lembrar em seu Twitter: “Doutor, eu não me engano, esse governo é miliciano”, dizia uma marchinha carnavalesca em referência a Jair Bolsonaro. Em 6 meses de governo, o presidente conseguiu se notabilizar por escândalos bizarros, inclusive um sargento de sua comitiva traficando drogas”. A deputada Margarida Salomão (PT-MG) afirmou em sua conta no Twitter:  “Bolsonaro disse que, ‘se comprovado crime’, o militar que foi preso com 39kg de cocaína no avião presidencial que aterrissou na Espanha será julgado e condenado. Será? Os militares que executaram um músico carioca com 80 tiros estão em liberdade.”

O deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) destaca em seu Twitter. “Em nenhuma universidade pública, onde o governo diz que tem balbúrdia, e em nenhum acampamento de movimento social, que o Bolsonaro chama de bandidos, foram encontrados 39kg de cocaína. Isso aconteceu no avião da presidência”. A divulgação da notícia da prisão do militar brasileiro repercutiu nos jornais espanhóis. O deputado Carlos Veras (PT-PE) frisa: “Brasil é assunto nos periódicos espanhóis…negativamente. Isso é muito grave. Queremos saber qual era o destino dessa droga e como ela foi parar no avião da FAB sem o conhecimento do restante da equipe”.

O vice-líder da Minoria no Congresso Nacional, Carlos Zarattini (PT-SP), questiona como alguém pode levar droga dentro de avião presidencial. “Militar, que viajava em avião da FAB, na comitiva do presidente Bolsonaro rumo a Tóquio, foi preso durante escala na Espanha com 39 quilos de cocaína. Episódio que suscita muitas perguntas: como que alguém leva tanta droga dentro de um avião com o presidente?”. E indaga em sua conta no Twitter: “Os militares e civis que viajam em aviões da FAB não são inspecionados? Não tem qualquer fiscalização do que levam na bagagem? Esse militar tava fazendo entrega a pedido de quem? Segundo a polícia da Espanha, o militar não se deu ao trabalho nem de esconder a droga. Será que tava acostumado a transportar entorpecentes?”, pergunta o deputado.

Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas

Enquanto o ministro Sérgio Moro viaja ‘misteriosamente’ aos Estados Unidos, militar é preso com drogas em avião da FAB. “Militar é preso com drogas em avião da FAB na Espanha, na comitiva de Bolsonaro que tinha como destino final o Japão. Enquanto isso, nos EUA, o ministro da Justiça Sérgio Moro visitava a agência antidrogas dos norte-americanos”, escreveu o deputado Henrique Fontana (PT-RS) em sua conta no Twitter.

O deputado Jorge Solla (PT-BA)‏ lembra que hoje é o Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, justamente na data em que militar da comitiva de Bolsonaro é preso na Espanha. “A equipe do presidente Bolsonaro, envolvido até o pescoço com as milícias, transformaram os voos da FAB em voos de carreira. Muitas. 39 quilos delas. Hoje é Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, e nosso país passa vergonha na Espanha com militar preso com 39kg de cocaína em voo da Presidência da República. Que me diz, @JairBolsonaro?”, tuitou Solla.

O deputado baiano Joseildo Ramos (PT-BA) também menciona a viagem de Moro aos Estados Unidos para tratar do tema drogas. “Enquanto Moro visitava a Agência Antidrogas (EUA), um militar da aeronáutica estava traficando 39kg de cocaína para a Espanha dentro da comitiva presidencial de Jair Bolsonaro. Poderíamos pensar nisso como uma grande ironia, mas não existe ironia em governo hipócrita”, critica o parlamentar.

O deputado Marcon (PT-RS) também comenta em seu Twitter a prisão do militar brasileiro, bem como a deputada Marília Arraes (PT-PE). “Para alguns aliados do presidente Bolsonaro, defensores ferrenhos da liberação ampla de armas e munições, esse tipo de crime poderia (e deveria) ser resolvido à bala, com o extermínio dos responsáveis…… E agora?”, pergunta a parlamentar.

Por sua vez, o deputado Paulão (PT-AL) também considera muito grave o fato de o governo Bolsonaro-Mourão não conseguir evitar a entrada de drogas no avião presidencial. “Imagine fazer a defesa de nossas fronteiras. A prioridade desse governo não é fazer defesa da soberania nacional”, observou. Segundo Paulão, a responsabilidade do avião presidencial é do General Heleno. “Esse fato é motivo de preocupação dos líderes mundiais. Será que teve transporte de drogas no avião presidencial em viagens anteriores? Quem não controla o avião presidencial, consegue governar o Brasil?”, questiona o deputado alagoano.

A Professora Rosa Neide (PT-MT) é incisiva: “Enquanto Moro está nos EUA ‘aprendendo a combater o tráfico’, 39 quilos de cocaína são encontrados na Espanha com militar que pilotaria avião da comitiva presidencial. É o governo dos absurdos”, e ironiza: “No Dia Internacional Contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas são achados 39 kg de cocaína no avião da comitiva PRESIDENCIAL de @jairbolsonaro. Será que eles estavam comemorando a data?”.

O goiano Rubens Otoni (PT)‏ critica o governo Bolsonaro que corta recursos de várias áreas, entre elas, a educação. “Vejam só… Tentaram de todas as formas desqualificar as universidades federais e nossos estudantes e foram encontrar 39 kgs de cocaína onde? No avião da comitiva presidencial”, escreve Otoni.

 

PT na Câmara com Revista Fórum

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Boletim 598 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

Boletim 598 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia Direto de Curitiba – 11/10/…