Home Portal Notícias Pelos direitos dos trabalhadores, Oposição votará unida contra relatório da Reforma da Previdência

Pelos direitos dos trabalhadores, Oposição votará unida contra relatório da Reforma da Previdência

11 min read
0

A Oposição está unida e vai votar contra a Reforma da Previdência (PEC 06/2019), na comissão especial que analisa a matéria. O anúncio foi feito, nesta terça-feira (18), durante coletiva de imprensa da Minoria na Câmara, que contou com a presença de líderes do PT, PCdoB, PDT, PSB e PSOL. “A Oposição está unida e vamos votar contra o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Estamos unidos também buscando construir o melhor caminho para proteger os direitos dos trabalhadores brasileiros”, afirmou o deputado José Guimarães (CE), líder em exercício da Bancada do PT.

Guimarães também anunciou que a Oposição decidiu que vai gastar o maior tempo possível para votar o parecer da matéria na Comissão Especial da Reforma da Previdência. “Nós vamos debater lentamente e com segurança a nossa posição. Nada de atropelos. Faremos a obstrução que for necessária para preservar os interesses e os direitos dos trabalhadores brasileiros, adiantou.

Na avaliação do líder da bancada, o relatório, nos termos que foi apresentado, foca fortemente para penalizar os trabalhadores do Regime Geral. O relatório chega a ser, em alguns aspectos, pior do que a PEC inicial”, observou.

O líder do PT argumentou que chega a ser uma perversidade o que o relatório do deputado Samuel faz com aqueles que teriam direito à aposentadoria. “O que o parecer está fazendo é uma perversidade, porque além de estender, de colocar uma regra enorme que a pessoa jamais vai conseguir atingir o seu direito à aposentadoria, em alguns aspectos ele desconstitucionaliza e remete para Lei Ordinária”, criticou.

Sobre os trabalhadores rurais, Guimarães alertou que estão falando em alto e bom som que eles estão fora. “É grave, porque ao tempo que mantém a idade mínima, lá no parecer está dito que o valor da contribuição será fixado por Lei Ordinária. Nem é Lei Complementar, é mais grave ainda, e por aí vai”, reforçou.

Guimarães reconhece que existem algumas conquistas no parecer, que ele atribui aos movimentos sociais e à Oposição, com a retirada da capitalização. “Mas em alguns aspectos esse relatório penaliza em demasia aqueles trabalhadores do Regime Geral. Querem economia de R$1 trilhão em 10 anos às custas dos trabalhadores que ganham até 2 salários mínimos”, lembrou.

PEC não combate privilégios

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), também participou da coletiva e destacou a posição unificada dos partidos de Oposição contra a reforma. “Avaliamos que o relatório que foi apresentado não é um relatório que mexe com os privilégios do sistema Previdenciário, bem pelo contrário, é focado em cima do Regime Geral de Previdência Social. 85% da economia prevista pelo relator é em cima do RGPS, ou seja, de quem tem teto e limite de benefício de até R$ 5 mil, 5 salários mínimos. Isso afeta a grande maioria do povo brasileiro”, denunciou.

Gleisi disse que não considera que seja “cortar privilégios”, por exemplo, fazer quem não tem estabilidade, trabalhar até 40 anos para ter a sua aposentadoria integral. “Não consideramos que seja combater privilégios, por exemplo, aumentar a base de cálculo da aposentadoria, pegando os salários mais baixos para diminuir a aposentadoria e os benefícios previdenciários. Não consideramos que seja combater privilégios não dar direito a 2 abonos salariais e limitar o abono a R$ 1.364,00. Não consideramos que seja combater privilégios fazer com que professores e professoras, que enfrentam turmas de 30 a 40 crianças, não possam se aposentar apenas por tempo de serviço e tenham que cumprir idade”, afirmou.

Portanto, continuou a presidenta do PT, esses são pontos essenciais.  E completou que também não considera que seja “combater privilégios” aumentar a contribuição mínima para 20 anos para os homens e colocar aí também os trabalhadores rurais. “Nós estamos lidando com pessoas que ganham pouco, que é a base da sociedade brasileira. Combater privilégios não é isso. Portanto, nós tomamos uma posição, e o PT assim também entendeu, de sermos contra o relatório e vamos votar contra, sem abrir mão dos destaques que achamos importante fazer na comissão”, anunciou.

Capitalização ficou fora do texto da reforma

A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) foi enfática ao afirmar que o discurso da “Nova Previdência”, que diz que a reforma vai salvar o Brasil não cola para a Oposição e nem para a sociedade brasileira. “Não há uma ‘Nova Previdência’, e sim uma destruição de direitos do povo pobre desse País. Na verdade, tanto a proposta original do governo quanto o relatório do deputado Samuel Moreira, são baseados numa economia feita em cima das costas do povo pobre do Brasil”, protestou e reforçou que o relatório terá o voto contrário da Oposição.

Jandira também reconhece que, depois de muita discussão e de muita luta, a Oposição conseguiu tirar do relatório algo muito importante, que foi a tentativa de dar ao sistema financeiro a chamada “Capitalização” – um sistema que leva o cidadão diretamente para o banco, retirando desse sistema de Previdência o direito de ele estar no sistema de Previdência Pública.

Nota da Oposição

Durante a coletiva, os jornalistas também receberam nota oficial com o detalhamento do posicionamento da Oposição sobre o relatório da Reforma da Previdência. Além da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, assinam o documento: Luciana Santos, presidente do PCdoB; Carlos Lupi, presidente do PDT; Carlos Siqueira presidente do PSB; e Juliano Medeiros presidente do PSOL.

Leia a íntegra da nota oficial:

Nota da Oposição – Reforma da Previdência

Assista a coletiva da Oposição:

OPOSIÇÃO NA LUTA PARA BARRAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA#AoVivo- Estratégia da oposição para barrar a Reforma da Previdência de Bolsonaro e Paulo Guedes.

Posted by PT na Câmara on Tuesday, June 18, 2019

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bulletin 575 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy

Bulletin 575 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy Curitiba – 9/17/2019 – …