Home Portal Notícias Lula Livre Defesa de Lula: Moro jamais teve um olhar imparcial e promoveu uma perseguição pessoal ao ex-presidente

Defesa de Lula: Moro jamais teve um olhar imparcial e promoveu uma perseguição pessoal ao ex-presidente

4 min read
0

Em nota divulgada neste sábado (15), os advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, classificaram como “estarrecedor” e “repugnante” os novos trechos de conversas divulgadas ontem (14) pelo site The Intercept , na qual o então juiz Sérgio Moro orienta os procuradores da Lava Jato a emitir nota à imprensa para rebater o que ele chamou de “showzinho” da defesa de Lula.

“As novas mensagens, para além de afastar qualquer dúvida de que o ex-juiz Sérgio Moro jamais teve um olhar imparcial em relação a Lula, mostram o patrocínio estatal de uma perseguição pessoal e profissional, respectivamente, ao ex-presidente e aos advogados por ele constituídos”, diz um trecho da nota dos advogados de Lula.

“É repugnante, ainda, constatar que a campanha midiática ocorrida em maio de 2017 objetivando atacar a memória de D. Marisa Letícia Lula da Silva tenha sido tramada pela Lava Jato, como também revelam as mensagens do The Intercept”, diz outro trecho da nota da defesa do ex-presidente.

 

Nota dos advogados do ex-presidente Lula

É estarrecedor constatar que o juiz da causa, após auxiliar os procuradores da Lava Jato a construir uma acusação artificial contra Lula, os tenha orientado a desconstruir a atuação da defesa técnica do ex-presidente e a própria defesa pessoal por ele realizada durante seu interrogatório (10/05/2017). As novas mensagens reveladas ontem (14/06/2019) pelo “The Intercept”, para além de afastar qualquer dúvida de que o ex-juiz Sérgio Moro jamais teve um olhar imparcial em relação a Lula, mostram o patrocínio estatal de uma perseguição pessoal e profissional, respectivamente, ao ex-presidente e aos advogados por ele constituídos.

É inimaginável dentro de um Estado de Direito que o Estado-juiz e o Estado-acusador se unam em um bloco monolítico para atacar o acusado e seus advogados com o objetivo de impor condenações a pessoa que sabem não ter praticado qualquer crime.

É repugnante, ainda, constatar que a campanha midiática ocorrida em maio de 2017 objetivando atacar a memória de D. Marisa Letícia Lula da Silva tenha sido tramada pela Lava Jato, como também revelam as mensagens do “The Intercept”.

Tais fatos, públicos e notórios, reforçam o que sempre defendemos nos processos e no comunicado encaminhado em julho de 2016 ao Comitê de Direitos Humanos da ONU: Lula é vítima de “lawfare” e o ataque aos seus advogados é uma das táticas utilizadas para essa prática nefasta.

 

Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins (15/06/2019)

 

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bulletin 513 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy

Bulletin 513 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy Straight from Cur…