Home Portal Notícias PT luta por mais recursos à educação, ciência e tecnologia e saúde e impede votação de crédito suplementar

PT luta por mais recursos à educação, ciência e tecnologia e saúde e impede votação de crédito suplementar

5 min read
0

Após uma eficiente estratégia de obstrução, a oposição conseguiu impedir nesta quarta-feira (5) a votação do parecer sobre o projeto de crédito suplementar (PLN 4/19), do Executivo, que pede autorização do Congresso Nacional para quitar, por meio de operações de crédito, despesas correntes de R$ 248,9 bilhões. A Bancada do PT no colegiado, aliada a outros partidos de oposição como o PCdoB e até o Centrão, caso do PL (ex-PR), questionaram o valor pedido pelo governo na Comissão Mista de Orçamento (CMO).

A bancada petista também defendeu durante a reunião a recomposição do orçamento de setores como educação e ciência e tecnologia, para o programa Minha Casa, Minha Vida e para a compra de remédios, todos cortados pelo governo Bolsonaro. O deputado Nelson Pelegrino (PT-BA) questionou o valor que está sendo pedido pelo governo.

“O governo pede R$ 248 bilhões (o valor inicialmente era de R$ 146,7 bilhões), o Banco Central envia nota técnica dizendo que devolveu R$ 141 bilhões para o Tesouro, e o próprio governo fala em alterar esse parecer. Nós temos responsabilidade com o Bolsa Família, com o Plano Safra, mas queremos discutir com o governo a recomposição do orçamento para a educação, ciência e tecnologia, Minha Casa Minha Vida, e para a compra de remédios de alta complexidade. Por isso nossa sugestão é que se suspenda a reunião por falta de quórum”, avisou o petista.

A oposição classifica a solicitação de crédito suplementar como uma espécie de “cheque em branco”, pelo fato de o valor inicialmente pedido ter saltado de R$ 146,7 bilhões para R$ 248,9 bilhões. Esse é o valor que consta no parecer do deputado Hildo Rocha (MDB-MA), atendendo a solicitação do governo Bolsonaro.

Durante a rápida reunião, o deputado Bohn Gass (PT-RS) questionou o argumento utilizado por apoiadores do governo Bolsonaro de que é preciso aprovar o crédito suplementar porque não é possível utilizar o recurso devolvido pelo Banco Central (Bacen) para pagamento de despesas com o Bolsa Família, BPC e Pronaf.

“O recurso devolvido pelo Banco Central pode ser usado para pagamento de dívida com um simples remanejamento. Pagar com os recursos do Bacen as dívidas previstas no orçamento, e realocar os recursos para pagar essa dívida para programas como o Bolsa Família, Plano Safra e o BPC”, explicou.

A apreciação do parecer do PLN 4/19 (crédito suplementar) está marcada para a próxima terça-feira (11).

 

Héber Carvalho com informações da Agência Câmara notícias

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Editorial do Jornal Nacional contra Bolsonaro está atrasado em algumas décadas, critica Alencar Santana

A edição do último sábado (8) do Jornal Nacional incluiu um duro editorial que condena a p…