Home Portal Notícias Manchetes Bolsonaro escancara que não gosta de pobre e afirma que quem gosta é o PT

Bolsonaro escancara que não gosta de pobre e afirma que quem gosta é o PT

13 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara usaram suas redes sociais nesta sexta-feira (31) para criticar e repudiar a decisão e o motivo pelo qual o presidente Bolsonaro pretende vetar a gratuidade no despacho de bagagens aprovada na Medida Provisória 863/19, por meio de emenda do PT. Bolsonaro afirmou, durante a transmissão semanal no Facebook, ao vivo, que a tendência é vetar e explicou que “não é pelo autor ser do PT, não. Se bem que é um indicativo. Os caras são socialistas, comunistas, estatizantes. Eles gostam de pobre”, afirmou.

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), disse em sua conta no Twitter que, “ao atacar o PT, Bolsonaro disse que a gente só gosta de pobre. É verdade! Nossos governos foram voltados para quem mais precisa. Defendemos a inclusão social, pudemos ver filhos de trabalhadores entrarem na universidade e os pobres andar de avião. Defendemos o povo”, afirmou.

Na mesma linha, o deputado Carlos Veras (PT-PE) disse que até que enfim, Bolsonaro não diz uma fake news ao afirmar que o PT gosta de pobre. “Gostamos mesmo, queremos ver os pobres na economia do País, consumindo, viajando de avião, bem diferente de muitos por aí, pobres de espírito”, destacou.

Para o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), as justificativas de Bolsonaro para vetar a gratuidade é só mais uma confirmação de que Bolsonaro odeia pobres. “Para Jair Bolsonaro, impedir a injusta cobrança de bagagem (que não diminuiu o preço das passagens aéreas) é uma demanda para atender pobres, por isso ele vai vetar. Não tem nada que esse miliciano faça que não seja para agradar as grandes empresas e o sistema financeiro!”, protestou em sua conta no Twitter.

 

E a deputada Margarida Salomão (PT-MG), ao criticar a decisão de Bolsonaro, afirmou: “Nós gostamos sim, ele não”. E ainda pediu: “Não nos acusem mais de perseguir Bolsonaro. Estamos aqui para admitir que de vez em quando ele acerta. Pelo menos admitiu que quem prioriza os pobres é o PT. Ele, não”.

Na avaliação do deputado Nilto Tatto (PT-SP), não é surpresa a atitude vinda de Bolsonaro, “um presidente elitista, racista, machista e homofóbico. Ele disse ainda que o presidente fala a verdade quando afirma que o PT gosta de pobre. “É verdade sim, já que as políticas do PT têm foco nos desfavorecidos e, Bolsonaro deixa clara sua aversão ao povo”.

Segundo o deputado Carlos  Zarattini (PT-SP),  Bolsonaro quando veta esse artigo aprovado pelo Congresso, ele quer atender as empresas de aviação. “O que é um absurdo!”, afirmou e acrescentou que mais absurdo ainda são os argumentos. “É verdade, nós sempre defendemos os mais pobres, nós sempre defendemos aqueles que mais precisam. Por isso minha gente, os pobres desse País podem continuar contando com o PT. Nós vamos continuar trabalhando. Com Bolsonaro gostando ou não. Essa é a nossa missão!”.

Sincericídio

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) considerou incrível o sincericídio de Bolsonaro. “Ele admite que é o PT que trabalha pelos pobres, ao contrário dele próprio. O presidente vetou emenda do Partido dos Trabalhadores que garantia gratuidade em bagagem em vôos”, lamentou.

Para o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), Bolsonaro deixa claro de que lado está e demonstra seu total desprezo pela classe trabalhadora. “Bolsonaro está do lado das empresas que lucram cada centavo que puderem, as custas do direito do consumidor”. Em outro tuite Padilha completou: “A cegueira ideológica não enxerga os atacados: todos os consumidores”. E o deputado Henrique Fontana (PT-RS) reforçou: “É um antipovo!”

As deputadas Benedita da Silva (PT-RJ) e Rosa Neide (PT-MT) consideraram inacreditável a decisão e, principalmente, o argumento. “Inacreditável tal afirmação. Quer dizer que o presidente não gosta e não se preocupa com a população pobre, que, infelizmente, é a maioria em nosso País?”, indagou Benedita.

Bolsonaro odeia pobre

Também no Twitter, o deputado Airton Faleiro (PT-PA) afirmou que a caneta Bic é fachada. “Jair Bolsonaro odeia os pobres e não esconde. Ele está do lado dos grandes empresários e das empresas estrangeiras, não é capaz de aceitar uma medida que beneficie quem já paga caro em passagens. Não é a gente que diz, ele mesmo afirmou, está aí o vídeo da entrevista dele para provar”.

O deputado Waldenor Pereira (PT-BA) também avaliou que Bolsonaro não esconde mais para quem governa. “E não é para o povo”. Ele reforçou que o PT, de fato, gosta e governou pensando nos mais pobres. “E você, Jair Bolsonaro, gosta de quem mesmo? Porque já ficou claro que não é dos brasileiros e nem do Brasil”, provocou.

E na avaliação da deputada Erika Kokay (PT-DF), com Bolsonaro, o Brasil volta a ser um país para poucos. “Ele governa para as elites, o povo não tem lugar nem voz nesse governo autoritário”, protestou.

 

O deputado João Daniel (PT-SE) considerou um absurdo a decisão e a declaração e reforçou: “Realmente o PT gosta mesmo de pobres e nos orgulhamos muito disso, pois foi nos nossos governos que tiramos milhões de pessoa da situação de extrema pobreza, dando a elas condições de viver com dignidade”.

Na opinião do deputado Alencar Santana Braga (PT-SP), Bolsonaro precisa assumir de vez de quem ele é “capacho”. “Vetar iniciativas que ajudam as pessoas só por seu nazismo partidário não é digno de um presidente”. O deputado acrescentou ainda que é com muito orgulho que confirma ao presidente que o PT gosta de pobre sim. “Gostam de pobre”, ele diz sobre o PT.

Preconceito de classe

Ao comentar o veto, o deputado Bohn Gass (PT-RS) disse que os argumentos de Bolsonaro “é preconceito ideológico, preconceito de classe”. E completou: “Ele governar para ricos e odeia os pobres”. O deputado ainda fez uma enquete na sua conta no Twitter para saber a opinião dos seus seguidores sobre o tema.

 

Para o deputado Zeca Dirceu (PT-PR), o presidente Fake deixa claro que não gosta de pobre e anuncia veto à emenda do partido que garantiu a volta do despacho gratuito de bagagens em voos nacionais. “Ele não entende que eleição acabou há 7 meses atrás, estimula o conflito dia a dia”, completou.

“Absurdo”, assim o deputado Helder Salomão (PT-ES) definiu a decisão de Bolsonaro de vetar emenda do PT para transporte gratuito de bagagem em voos. E o deputado ainda mandou um recado: “Quando for pagar a taxa de bagagem para voo, lembre-se: o PT aprovou no Congresso a gratuidade da bagagem, mas Bolsonaro vetou. É muito ódio ao PT e aos pobres”.

Os deputados Beto Faro (PT-PA), Zé Neto (PT-BA), Rogério Correia (PT-MG) e Patrus Ananias (PT-MG) também tuitaram criticando as declarações de Bolsonaro e forçando as políticas públicas adotadas pelo PT que beneficiaram a população mais carente.

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bulletin 548 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy

Straight from Curitiba – 8/21/2019 – 501 days of resistance – 9 PM Bulletin 548 – People’s…