Home Portal Notícias Ministro da educação se nega a ouvir estudantes, critica Rosa Neide

Ministro da educação se nega a ouvir estudantes, critica Rosa Neide

4 min read
0

Após mais de quatro horas de debates, na quarta-feira (22), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, mostrou mais uma vez despreparo e confrontou parlamentares e representantes do movimento estudantil, em audiência na Comissão de Educação na Câmara Federal. “Temos um ministro que não aceita opiniões divergentes e não reconhece o que foi feito historicamente pela educação brasileira”, lamentou a deputada Professora Rosa Neide (PT), uma das proponentes do requerimento da audiência pública com o ministro de Bolsonaro.

A deputada alertou o ministro sobre a necessidade de construir políticas de Estado e não de governo. “Independentemente da posição partidária, nós lutamos para que a educação brasileira avançasse e fosse respeitada. É um crime ele continuar afirmando que não existem cortes. A verdade é que nós temos cortes, sim, o dinheiro sumiu do sistema das instituições. Se fosse contingenciamento, eles seriam bloqueados”, denunciou.

“Na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o corte foi de R$ 34 milhões e no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) R$ 31 milhões. Até agora o Weintraub não justificou a necessidade dos cortes”, disse Rosa Neide.

Avanços não reconhecidos

Ainda na audiência, Rosa Neide lembrou o ministro dos avanços no campo educacional que ele insiste em ocultá-los. “Em 2002 o Brasil tinha um percentual de 14% das crianças de 0 a 3 anos matriculadas e esse número cresceu para mais de 30% durante os governos do PT. Já em 2002, foram atendidas 67% das crianças com a faixa etária entre 4 e 5 anos. E em 2015, 90% foram assistidas. São avanços como esses que precisam acontecer. É esse passo que precisa ser dado”, afirmou a petista.

Descontente com a exposição de Weintraub a parlamentar fez questão de corrigi-lo. “O senhor disse que o ensino superior privado avançou, mas esqueceu de citar que o estímulo desse crescimento aconteceu devido ao Programa Universidade Para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), programas que garantiram o direito ao ensino”.

Confronto com estudantes

Em diversos momentos da reunião, o ministro foi evasivo com os parlamentares, e, no fim, se recusou a ouvir os representantes de entidades estudantis. “É lamentável que alguém assim esteja à frente do MEC. Como pode um ministro não ter educação nem para ouvir os estudantes?”, lamentou Rosa Neide.

 

Assessoria de Comunicação

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bulletin 547 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy

Bulletin 547 – People’s Committee in Defense of Lula and Democracy Curitiba – 8/20/2019 – …