Home Portal Notícias Manchetes Funai poderá sair das mãos dos ruralistas após derrota do governo em comissão da MP 870

Funai poderá sair das mãos dos ruralistas após derrota do governo em comissão da MP 870

7 min read
0

A fragilidade na articulação parlamentar do governo está causando prejuízos às pretensões de Bolsonaro. Após derrota em comissão que analisa a medida provisória (MP 870/2019) sobre a reestruturação dos ministérios pretendida pelo governo Bolsonaro, em reunião nesta quinta-feira (9), a Fundação Nacional do Índio (Funai) poderá sair da alçada do Ministério da Agricultura, controlado pelos ruralistas.

A oposição atuou de forma unificada e festejou muito a vitória. As fotos de parlamentares comemorando estão ganhando as redes mundo afora como uma vitória dos povos indígenas contra o seu inimigo número um, Jair Bolsonaro.

Caso não consiga reverter a derrota nos plenários da Câmara e Senado, o governo verá a Funai retornar ao Ministério da Justiça, órgão ao qual a autarquia que deve zelar pelos direitos dos povos indígenas é historicamente vinculada.

A MP perde a sua validade no dia 3 de junho. Se o governo não conseguir aprová-la nas duas casas legislativas, o Ministério do Trabalho também será recriado.

Recado

Num claro aceno aos seus apoiadores de campanha, Bolsonaro tirou a Funai do âmbito do MJ e a enviou para o ministério comandado pelos principais interessados em acabar com a demarcação dos territórios indígenas, entre outros direitos e políticas públicas.

Na mesma reunião a comissão decidiu, por estreita votação (14 a 11), que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) deverá sair do Ministério da Justiça, chefiado por Sérgio Moro, e retornar ao Ministério da Fazenda, hoje denominado de Ministério da Economia.

Confira o que disseram os parlamentares do PT sobre os resultados da comissão:

:: Dep. Carlos Zarattini (PT-SP), líder da Minoria no Congresso: “COAF sai do ministério da Justiça e vai para Economia. Funai volta para o Ministério da Justiça. E a demarcação de terras indígenas que estava nas mãos dos ruralistas volta a ficar sob responsabilidade da Funai”.

:: Sen. Rogério Carvalho (PT-SE): “A compreensão de um Estado eficiente prevaleceu. A experiência acumulada ao longo de décadas foi respeitada e agora, as coisas estão no lugar certo: o Coaf no Ministério da Economia assim como no resto do mundo, e a demarcação de terras indígenas com a Funai”.

:: Dep. Valmir Assunção (PT-BA): “Na Comissão que avalia a MP 870, votou-se pelo retorno da demarcação dos territórios indígenas à FUNAI. Ainda falta o plenário, mas é uma importante resposta do Congresso Nacional contra a insanidade ruralista”.

:: Dep. Rosa Neide (PT-MT): “Vencemos! A Comissão do Congresso que analisa a MP 870 aprovou, nesta quinta-feira (9), o parecer que devolve para a Funai a demarcação de terras indígenas – atribuição que, desde janeiro, havia sido transferida para o Ministério da Agricultura”.

:: Dep. Erika Kokay (PT-DF): “Duas grandes vitórias no dia de hoje: retiramos o @coaf do Ministério da Justiça e enviamos de volta para o Ministério da Economia; retiramos a Funai da mão dos ruralistas e a colocamos no Ministério da Justiça. A demarcação de terras indígenas volta a ser responsabilidade da Funai”.

:: Dep. Carlos Veras (PT-PE): “Vitória para os povos indígenas na comissão mista que analisa a reorganização da Esplanada de Bolsonaro. Funai fica sob a responsabilidade do Ministério da Justiça, de onde nunca deveria ter saído. A luta continua no Plenário. Seguimos na resistência!”.

:: Dep. Maria do Rosário (PT-RS): “A MP870 extingue o Ministério do Trabalho e o governo BolsoGuedes destrói empregos. A MP prejudica Funai, Coaf e Direitos Humanos. Nós da oposição lutamos para derrotá-la! Hoje tivemos vitória importante! Governo é incompetente até para defender suas MPs”.

Rogério Tomaz Jr.

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Lava Jato e Globo/RBS se unem para atacar adversários e proteger aliados

A mais recente reportagem do Intercept Brasil na série “Vaza Jato” mostra que …