Home Portal Notícias Valmir volta a criticar cortes em universidade federal durante ato com estudantes na Ufba

Valmir volta a criticar cortes em universidade federal durante ato com estudantes na Ufba

4 min read
0

Um ato contra os cortes em universidades federais marcou o início da semana em Salvador (BA). Milhares de estudantes tomaram as ruas nessa segunda-feira (6) na região da Reitoria da unidade no Canela e receberam parlamentares que apoiam a manifestação. Um deles, o deputado Valmir Assunção (PT-BA) reafirmou sua posição a favor do movimento e voltou a criticar o corte de 30% em recursos do governo federal na Universidade Federal da Bahia (Ufba). Assunção defendeu maior investimento nas unidades federais, tanto nas universidades quanto nos institutos, pediu reação imediata da sociedade contra as medidas retrógradas do governo Bolsonaro e convocou para a greve geral do dia 14 de junho, organizada pelas centrais sindicais.

“Sabemos que foi justamente a capacidade dessa mobilização dos estudantes, professores e de toda comunidade baiana e brasileira que nos anos 80 lutamos contra a ditadura militar e iniciamos a revolução com a democracia. Hoje, o governo Bolsonaro quer retroceder, porque enquanto ele corta os recursos da Universidade Federal da Bahia, quando paralisa a demarcação das terras indígenas, paralisa a desapropriação de terra, diminui o salário mínimo, aumenta o gás, ou seja, quando diz que não temos oportunidade, nós temos que reagir. E a reação é em defesa da universidade, da reforma agrária, das terras indígenas e em defesa da educação do estado brasileiro”, salienta Valmir, ao lado do deputado estadual Mário Jacó (PT) e de dirigentes sindicais como o vice-presidente da Sindicato dos Professores das Instituições Federais (Apub), Emanuel Lins Freire (Balalaika).

Assunção também esteve como dirigentes estudantis do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Ufba, como o presidente José Neto (Tifany), além da diretora de Movimentos Sociais da União dos Estudantes do Brasil (UEB), Rafaella Rios, e representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE). Para o deputado federal petista, não há dúvida que os movimentos sociais e os estudantes são aliados nesta luta contra o governo e seus cortes. “Estaremos lado a lado de cada um de vocês. No dia 14 de junho vai ter a greve geral, que será o momento fundamental para todos nós. E eu, sei que já me falaram aqui sobre a Uneb, juntamente com outros deputados iremos ao governo do estado. Tem que haver negociação com os professores da Uneb, porque não podemos repetir na Bahia o mesmo método do governo federal, isso não podemos aceitar. Por isso, juntos, estaremos defendendo a universidade federal, a universidade do estado e a democracia”, completa.

 

Assessoria de Comunicação

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Seminário debate cinco anos do Plano Nacional de Educação

A Comissão de Educação realiza, nesta quarta-feira (26), seminário sobre os cinco anos do …