Home Portal Notícias Em Cuba, Valmir Assunção pede unidade, defende trabalhadores brasileiros e critica cortes em universidades

Em Cuba, Valmir Assunção pede unidade, defende trabalhadores brasileiros e critica cortes em universidades

4 min read
0

Em Cuba, de onde participa das celebrações pelo Dia do Trabalhador (a), o deputado Valmir Assunção (PT-BA) defendeu a unidade dos partidos de esquerda no Brasil, dos movimentos sociais e sindicais e dos trabalhadores. Ele também criticou os cortes orçamentários de universidades federais. Na quarta-feira (1º), o parlamentar cumpriu agenda política no país da América Central e explicitou sua visão econômica e social. Ele ainda destacou que o dia em homenagem aos trabalhadores foi marcado por atos em diferentes regiões do Brasil em defesa da liberdade do ex-presidente Lula.

Foto: divulgação

Sobre os cortes de repasse para universidades federais, que atinge a Bahia, precisamente a UFBA, Assunção disse que o Ministério da Educação (MEC) mostra, mais uma vez, que quer arrasar o setor no Nordeste. “Um governo que corta 30% dos recursos de universidade não merece ter o respeito da juventude e nem do seu povo”, criticou o petista.

Valmir Assunção diz que as declarações dadas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, são “estapafúrdias” e “não condizem com a realidade”. “A UFBA tem excelentes rendimentos acadêmicos, é pioneira em pesquisas, e uma das mais conceituadas” afirmou. Ao menos 40 mil alunos foram afetados pelo corte do orçamento do governo federal, que entrou em vigor na última semana.

Já a respeito da agenda em Cuba, Valmir descreve que o Brasil tem retroagido em decisões que envolvem o governo federal e destaca a atuação do povo cubano. “Participar do dia 1º de maio em Cuba é sempre uma grande emoção. São milhares de pessoas nas ruas defendendo a revolução com o lema: unidade, compromisso e vitória”, destacou.

O deputado disse que os cubanos também durante as manifestações reafirmaram que, por mais que ataquem, por mais que bloqueiem, eles continuarão aprofundando a revolução. “Por isso, no Brasil vamos continuar lutando. Por mais que o medo e a injustiça contra o ex-presidente Lula sejam acentuados, nós vamos continuar lutando por Lula Livre, porque nós acreditamos no nosso presidente, no País e na revolução”, conclui.

Assessoria Parlamentar

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

“Após reforma, Brasil entra para lista suja da OIT por desrespeitar leis trabalhistas”, denuncia João Daniel

Pouco mais de um ano e meio depois de a Reforma Trabalhista ter entrado em vigor, o País v…