Home Portal Notícias Bolsonaro quer esconder crueldade da reforma ao colocar dados da previdência em sigilo, denunciam parlamentares

Bolsonaro quer esconder crueldade da reforma ao colocar dados da previdência em sigilo, denunciam parlamentares

9 min read
1

Diversos integrantes da bancada do PT na Câmara criticaram duramente, neste domingo (21), a decisão de governo Bolsonaro de colocar em sigilo estudos e pareceres técnicos que embasam a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/2019) que propõe mudanças na Previdência.

O líder da bancada, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), afirmou que a medida do governo não será aceita e que serão usadas “todas as prerrogativas dos mandatos parlamentares” para que as informações escondidas sejam disponibilizadas à sociedade e à imprensa.

“Colocar em sigilo os dados que deveriam servir para o governo defender a sua ‘reforma’ da previdência é mais uma prova da incompetência e do desprezo que Jair Bolsonaro tem pelo Parlamento. Quero ver os líderes do governo defenderem essa medida na tribuna da Câmara e do Senado”, cobrou Pimenta em sua conta no Twitter.

Para o autor do projeto da Lei de Acesso à Informação (LAI), o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), a medida é mais um ataque do governo à transparência pública. “O que querem esconder de nós? Apresentarei requerimentos, baseados na Lei de Acesso à Informação, solicitando todos os estudos e dados sobre os impactos que a proposta de Reforma da Previdência teria na vida do nosso povo. Na condição de autor da LAI, não admito o seu mau uso! Paulo Guedes quer tirar R$ 900 bilhões dos mais pobres e não quer que o povo saiba disso!”, denunciou Lopes.

A deputada Natália Bonavides (PT-RN) enviou ao Ministério da Economia, no dia 12 de março, um pedido de informações solicitando os cálculos que projetaram a economia de mais de 1 trilhão de reais com a aprovação da proposta para a previdência do atual governo. A deputada não recebeu qualquer retorno da pasta de Paulo Guedes até o momento.

“Protocolamos ainda em março um ofício solicitando acesso aos estudos que embasam a alegada economia com a reforma da previdência, e até agora não tivemos resposta. Essa decretação de sigilo só comprova ainda mais o caráter antidemocrático desse governo, que quer tirar direitos sem sequer justificar suas medidas”, diz a deputada.

Repercussão nas redes

Deputados e deputadas petistas usaram as redes sociais para atacar a decisão do governo. “Governo quer aprovação rápida da Reforma da Previdência e decreta sigilo dos dados q a fundamenta. Fica cada vez mais claro q esta reforma é uma roubada. Será ruim para o Brasil e para o povo brasileiro. Nada rápido e secreto, que tem grande impacto, pode ser bom”, escreveu no Twitter a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidenta nacional do PT.

“Patética a postura do governo. Querem arrancar ‘na marra’ as aposentadorias do nosso povo”, publicou a deputada Luizianne Lins (PT-CE), também no microblog.

“Não pode haver sigilo sobre dados que mexem direta e tão duramente a vida de milhares de brasileiros. Desde o início da formatação deste projeto de Reforma da Previdência estamos denunciando que há muitas mentiras e manipulação de dados. Esconder a verdade sobre a situação real do sistema previdenciário, faz parte de uma estratégia fascista deste Governo, para promover o desmonte de direitos e conquistas”, publicou a deputada Marília Arraes (PT-PE) em sua página no Facebook.

“Ao tentar esconder os números, governo Bolsonaro tenta evitar que o cidadão saiba a verdade. E a verdade é que essa reforma é cruel com os trabalhadores”, declarou o deputado Bohn Gass (PT-RS).

“Se essa Reforma da Previdência fosse boa não precisavam esconder nada”, disse o deputado Carlos Zarattini (PT-SP).

“Governo esconde as contas da previdência porque mente para o povo”, sintetizou o deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

“Ué, cadê a prometida transparência anunciada pela líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann? Bolsonaro e Guedes tentam esconder o impacto sobre os mais pobres e que a capitalização aprofunda o déficit fiscal”, apontou o deputado Alexandre Padilha (PT-SP).

“O governo quer que os deputados votem a reforma no escuro. Há dias estamos cobrando os dados econômicos da proposta, mas o governo esconde porque sabe que os dados reais não justificariam uma reforma tão cruel como essa do Bolsonaro. É uma reforma Fake”, criticou o deputado Alencar Braga (PT-SP).

“Governo esconde dados sobre a mudança das aposentadorias. Por que será?”, indagou o deputado Rui Falcão (PT-SP).

“Esse governo decretar sigilo dos dados da previdência é inaceitável. Vamos na terça feira barrar isso na CCJ da câmara”, anunciou o deputado José Guimarães (PT-CE).

“Não podemos votar algo que esconde do povo as consequências do ato: fome e miséria!”, protestou o deputado Rogério Correia (PT-MG).

“Se a reforma é benéfica para os trabalhadores (e não apenas para os bancos), por que esconder?”, perguntou o deputado Helder Salomão (PT-ES), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara.

Acompanhe tudo que a bancada do PT na Câmara publica no Twitter. Siga a lista pública com a bancada completa:
https://twitter.com/PTnaCamara/lists/bancada-do-pt

Rogério Tomaz Jr.

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Lava Jato e Globo/RBS se unem para atacar adversários e proteger aliados

A mais recente reportagem do Intercept Brasil na série “Vaza Jato” mostra que …