Home Portal Notícias “Eduardo Cunha passou”: Rodrigo Maia anula convocação de Moro e petistas protestam

“Eduardo Cunha passou”: Rodrigo Maia anula convocação de Moro e petistas protestam

8 min read
0

A Bancada do PT na Câmara protestou duramente contra a decisão de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Casa, de anular a convocação de Sérgio Moro, ministro da Justiça, para falar em audiência pública sobre os seus projetos para a pasta, especialmente com relação à facilitação da posse de armas de fogo (decreto 9.685/19) e ao chamado “pacote anticrime” (PL 882/19).

A convocação foi aprovada na Comissão de Legislação Participativa (CLP), na última quarta-feira (27), a partir de requerimento apresentado por deputados de três partidos: Glauber Braga (PSol-RJ), Reginaldo Lopes (PT-MG) e Pompeo de Mattos (PDT-RS). Maia anulou o ato da comissão na sexta-feira (30).

Para o presidente da CLP, Leonardo Monteiro (PT-MG), a autonomia do colegiado foi desrespeitada. “O Parlamento não pode ser moeda de troca das barganhas de Rodrigo Maia com o Governo Bolsonaro. Respeitem a soberania da Comissão de Legislação Participativa!”, criticou Monteiro, através de sua conta no Twitter.

O líder da bancada petista, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), atacou a decisão de Maia e destacou a “covardia” do ministro. “Rodrigo Maia não é imperador para fazer o quiser e atropelar as instâncias da Câmara. Moro é um covarde autoritário que ama os holofotes, mas que não tem coragem de encarar o contraditório”, disse Pimenta, também via Twitter.

Pimenta garantiu que a bancada vai recorrer da decisão e fez menção a Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, atualmente preso e notório por sua gestão autoritária. “Maia violenta o Parlamento para proteger esse ‘super-herói’ que tem medo de debater. Não vamos aceitar essa manobra sem denunciar a sua ilegitimidade e sem recorrer. O tempo de Eduardo Cunha já passou”, escreveu o líder.

Coautor do requerimento, Reginaldo Lopes lamentou o ato, que prejudica a democracia. “Lamento a decisão do presidente da Câmara de derrubar decisão do colegiado da Comissão de Legislação Participativa (CLP), que havia aprovado a convocação do ministro Sérgio Moro para que explicasse seus projetos para o Brasil. Perde o jogo democrático!”, declarou Lopes em sua conta no microblog.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), se somou às críticas dos colegas de bancada. “Rasgando o regimento interno da Câmara Rodrigo Maia anula convocação de Moro para esclarecer pacote anticrime e proteger o ministro covarde. A comissão é a de participação Legislativa. Moro tem de ir explicar seu pacote judicial e Rodrigo Maia tem de respeitar a Casa que preside”, cobrou Gleisi.

Confira o que falaram outros integrantes da bancada do PT na Câmara sobre o episódio.

Erika Kokay (PT-DF):

“Rodrigo Maia age de forma autoritária, atropela decisão soberana da Comissão de Legislação Participativa ao anular convocação do ministro Sérgio Moro para que explique ao colegiado o pacote anticrime e o decreto de liberação de armas”.

Airton Faleiro (PT-PA):

“Por que tanto medo de debater? Se o pacote ‘anticorrupção’ é tão bom, o certo seria Moro se apresentar e explicar seus pontos, sem maiores alardes. Está mais do que provado: o governo de fujões é real e usa a ‘estratégia’ do arrego pra esconder a falta de competência e coerência”.

Luizianne Lins (PT-CE):

“Um governo acovardado! Ao anular a convocação de Sérgio Moro à Câmara, Rodrigo Maia não só desrespeita a Casa e os parlamentares legitimamente eleitos, mas priva o povo brasileiro de conhecer projetos que impactam nas suas vidas. Se fossem bons pro povo, não fugiriam do debate”.

Rogerio Correia (PT-MG):

“Nunca vi isto. Desautorizando colegas e tirando poder da Câmara. É Maia mostrando serviço para Bolsonaro ou com medo do Moro?”.

José Guimarães (PT-CE):

“Nunca vi isso na câmara dos Deputados!”.

Alencar Braga (PT-SP):

“Moro que tanto extrapolou a lei para tomar depoimentos e condenar sem provas, tem medo de se explicar aos deputados. Esse deve ter sido o acordo do encontro entre Moro e Maia”.

João Daniel (PT-SE):

“Nos surpreendeu quando vimos pela imprensa que Rodrigo Maia não mais atenderia a decisão da comissão que convocou ministro Sérgio Moro para ser ouvido na Câmara. O papel do presidente da Câmara é valorizar o Legislativo e respeitar todas as decisões das comissões. Assim se fortalece a democracia e um dos poderes mais importantes que é o Legislativo, que representa, verdadeiramente, o povo brasileiro. Nenhum ministro está acima do legislativo e, portanto, todos que foram convocados devem, sim, virem para ser ouvidos por nós”.

Rogério Tomaz Jr.

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Você anda preocupado com a democracia no Brasil?

Democracia Você anda preocupado com a democracia no Brasil?Nós também.Ouça o recado do Lul…