Home Portal Notícias Manchetes Petistas repercutem decisão do STF que suspende acordo que daria R$ 2,5 bi da Petrobras à Fundação da Lava Jato

Petistas repercutem decisão do STF que suspende acordo que daria R$ 2,5 bi da Petrobras à Fundação da Lava Jato

6 min read
0

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu nesta sexta-feira (15) todos os efeitos do acordo celebrado entre a força-tarefa da Lava Jato de Curitiba com a Petrobras e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que previa a criação de uma fundação com R$ 2,5 bilhões recuperados da Petrobras.

Segundo a jornalista Daniela Lima, da coluna Painel da Folha de S. Paulo, ele ainda determinou o bloqueio de todos os valores que foram depositados na conta da 13ª Vara Federal de Curitiba e submeteu qualquer movimentação desse dinheiro à “expressa decisão do Supremo Tribunal Federal”.

Na quinta-feira (14), o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), denunciou e apresentou documentos que comprovam a ilegalidade da Força-Tarefa da Lava Jato, os Estados Unidos e a Petrobras na criação de uma fundação privada para gerir US$ 2,5 bilhões, oriundos de uma multa. Segundo o parlamentear, o fundo “é um procedimento totalmente ilegal” e os procuradores envolvidos “cometeram crimes contra o interesse nacional”.

Na entrevista coletiva à imprensa, o líder do PT, afirmou que a criação do fundo foi combinada de forma secreta. “Foi combinado pelo Ministério Público, com uma parte da Petrobras que fez o acordo e com a juíza para fazerem isso escondido, porque sabiam que era criminoso o que estavam fazendo”, apontou.

Pimenta lembrou ainda que a criação do fundo fere a Constituição Federal. “Essa República de Curitiba acha que está acima da lei, acha que não precisa cumprir a Constituição e resolveram abocanhar R$ 2,5 bilhões de maneira criminosa e nós vamos levar às últimas consequências essa responsabilização do Dallagnol e de todos os procuradores envolvidos”, destacou.

Decisão

Na decisão, Moraes afirma que, “em que pese ser meritória a atuação dos agentes públicos na condução dos inquéritos e ações penais da Operação Lava Jato, bem como nos propósitos externados no acordo”, os procuradores, em princípio, “exorbitaram das atribuições que a Constituição Federal delimitou para os membros do Ministério Público”.

Para o ministro o acordo nem sequer autoriza a força-tarefa ou o Ministério Público Federal a se intitulares tutores do dinheiro reenviado ao Brasil. “Em relação ao destinatário do pagamento dos US$ 682.526.000,00 (80% do valor da multa), o acordo sempre se referiu a ‘Brazil’ e ‘Brazilian authorities’, sem indicar qualquer órgão brasileiro específico.”

Nas redes sociais, parlamentares do PT comentaram a decisão do STF.  O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), foi enfático: “Supremo Tribunal Federal acaba de impedir grave ataque à democracia no Brasil @deltanmd. Alexandre de Moraes suspende acordo que previa fundação da Lava Jato e bloqueia dinheiro depositado em Curitiba”, escreveu em sua conta no Twitter.

O deputado Enio Verri (PT-PR) informou em sua conta na rede: “Alexandre de Moraes suspendeu o acordo que previa a fundação da Lava Jato e submeteu qualquer movimentação desse dinheiro à expressa decisão do STF”. E o também paranaense, deputado Zeca Dirceu se manifestou sobre a decisão: “SUSPENSOS os efeitos do acordo da força-tarefa da Operação Lava Jato, que previa a criação de uma fundação com R$ 2,5 bilhões recuperados da Petrobras…”.

Para Rogério Correia (PT-MG), Moro e Dellagnol foram apanhados lesando os cofres da Petrobras e traindo interesses nacionais.  “A mamata parece que vai acabar! Serão punidos? Alexandre de Moraes suspende acordo que previa fundação da Lava Jato e bloqueia dinheiro depositado em Curitiba”, anotou em sua conta no Twitter.

PT na Câmara com Brasil 247

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT exige que Bolsonaro devolva dinheiro gasto com viagem turística aos EUA e pede investigação do TCU

A Bancada do PT na Câmara protocolou hoje (17) representação no Tribunal de Contas da Uniã…