Home Portal Notícias Rogério Correia denuncia silêncio de Moro e cobra providências de ministro contra milícias do Rio

Rogério Correia denuncia silêncio de Moro e cobra providências de ministro contra milícias do Rio

5 min read
0

O deputado Rogério Correia (PT-MG) cobrou hoje (12) do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, providências para instalar processo investigativo sobre a atuação das milícias no Rio de Janeiro, inclusive com a possível ligação desses grupos criminosos com a família Bolsonaro.

Segundo o parlamentar, com as prisões nesta terça-feira de acusados de matar a vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes, sendo que um deles é vizinho do presidente Jair Bolsonaro em um condomínio de luxo no Rio de Janeiro, é mais do que necessária a abertura de investigação especial no âmbito do Ministério da Justiça, sobretudo para se descobrir os nomes dos mandantes do crime.

Silêncio de Moro

Em requerimento encaminhado hoje a Moro, Rogério Correia lembra que há fortes indícios de relação das milícias com parlamentares do Rio de Janeiro, o que ficou mais explícito agora com a prisão dos acusados de assassinar Marielle e seu motorista.

“A prisão do sargento reformado da PM Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos 13 disparos, e do ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, acusado de dirigir o carro usado no crime, traz ainda mais suspeitas sobre a relação da família Bolsonaro com milicianos”, diz o parlamentar em seu requerimento. Ele estranhou o silêncio de Moro sobre o caso.

Na indicação de hoje (número 148/2019), Rogério Correia aponta as coincidências que revelam as ligações do PM e do ex-PM presos com a família Bolsonaro. “Ronnie é vizinho do presidente Bolsonaro na barra da Tijuca e é estranho um policial conseguir se manter em condomínio de luxo como esse”, observou.

Moro ignora condomínio de Bolsonaro

Segundo informações da imprensa, no condomínio de Bolsonaro nenhum imóvel é comercializado por menos de R$ 2 milhões. “Moro não mostra a mesma preocupação com essa informação, e condenou Lula por um tríplex que nunca foi dele”, comentou o deputado.

É o quarto requerimento de Correia endereçado a Moro para que abra investigação sobre o caso, já que Marielle era vereadora em pleno exercício do mandato quando foi morta, em 14 de março do ano passado.

Gravidade

Em um dos requerimentos, enviado no dia 8 de fevereiro a Moro, o parlamentar já havia apontado a gravidade do caso. O ministro da Justiça manteve-se em silêncio, segundo o deputado. No documento do mês passado, Correia recomendou a Moro que deixasse de atuar como advogado da família Bolsonaro e abrisse processo de investigação, como é o dever de sua Pasta.

Foto de ex-PM com Bolsonaro

Rogério Correia observou também, no documento enviado hoje a Moro, que Élcio Queiroz ostenta em seu perfil de Facebook uma foto ao lado do presidente Jair Bolsonaro em que ambos aparecem descontraídos e sorridentes. “A foto foi publicada alguns meses após o assassinato da vereadora e do seu motorista, demonstrando no mínimo proximidade entre o ex-PM e o presidente”.

Leia mais: Petistas exigem que Moro deixe de atuar como advogado da família Bolsonaro

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT aciona Justiça por fim de sigilo na reforma da Previdência

O Partidos dos Trabalhadores e outras legendas entraram nessa segunda-feira (22) com um ma…