Home Portal Notícias Petistas lembram Dia Internacional da Mulher com protestos contra violência e a Reforma da Previdência   

Petistas lembram Dia Internacional da Mulher com protestos contra violência e a Reforma da Previdência   

14 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara dos Deputados postaram nesta sexta-feira (8), no Twitter, mensagens que lembram a passagem do Dia Internacional da Mulher. Deputadas e deputados recuperaram as conquistas das mulheres ao longo da história, e ao mesmo tempo alertaram a sociedade sobre ameaças aos direitos patrocinados pelo governo Bolsonaro. Entre as deputadas petistas, os protestos se voltaram principalmente contra o machismo e a violência às mulheres ainda disseminados pelo País, e de repúdio à Reforma da Previdência.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) afirmou que as mulheres brasileiras precisam resistir à onda de violência e de retrocessos contra elas existentes no País. “Que neste 8 de março tenha a marca da resistência à destruição dos nossos corpos, das nossas vidas, da nossa imagem, e contra os tapas e ofensas que muitas sofrem dentro de casa, nas ruas ou nos locais de trabalho. Resistência é o nome da mulher”.

Benedita da Silva (PT-RJ), que também já foi ministra de Lula, lembrou a data com foco na resistência. “Queremos flores, sim, mas também queremos viver, queremos igualdade salarial quando ocupamos o mesmo cargo de um homem, queremos o fim da violência contra a mulher e não queremos a Reforma da Previdência! Vamos à luta!”, escreveu a deputada.

Natália Bonavides (PT-RN), deputada eleita em 2018, destacou a realidade de violência que as mulheres enfrentam atualmente no País. “O Brasil é o 5º país que mais mata mulheres no mundo, uma triste realidade brasileira, permeada pelo machismo e pela misoginia. O pacote anticrime do ministro Moro pode piorar ainda mais essas estatísticas”.

Contra essa violência, a deputada Erika Kokay (PT-DF) postou um apelo: “Já são 340 casos de feminicídio (204 episódios consumados e 136 tentativas), 5,31 casos por dia ou 1 caso a cada 4 horas e 31 minutos nos primeiros 64 dias do ano! A taxa de letalidade é de 60%, com 220 vítimas identificadas em todos os estados brasileiros e no DF. Parem de nos matar!”. Na mesma linha de raciocínio, a deputada Luizianne Lins (PT-CE) ressaltou que “pela vida das mulheres, a luta é todo dia!”.

Além de convocar as mulheres a lutar por seus direitos, a deputada Margarida Salomão (PT-MG) também criticou a Reforma da Previdência, que afeta principalmente as mulheres. “Juntas vamos enfrentar as ameaças que o governo Bolsonaro representa aos direitos, defender a liberdade de Lula, combater a violência contra a mulher e impedir a Reforma da Previdência”.

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) também convocou as mulheres que lutem contra a retirada dos direitos previdenciários das mulheres.  “Neste 8 de março de 2019 temos que fazer uma reflexão sobre a Reforma da Previdência de Bolsonaro. As mulheres serão as mais prejudicadas, tantos as do campo quanto as da cidade”.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), homenageou as mulheres com uma frase da escritora, intelectual e feminista Rose Marie Muraro: “Educar um homem é educar um indivíduo, mas educar uma mulher é educar uma sociedade”. A parlamentar disse que muito do que pensa e defende é inspirado na luta de Rose Muraro. “Mulher de profunda fé e espiritualidade, sempre foi contra esse sistema que desumaniza mulheres e homens. Grande exemplo para todas nós!”, observou.

Leia abaixo outras mensagens dos petistas no Twitter:

Paulo Pimenta (PT-RS), líder da bancada – “8 de março da resistência. Contra a violência, por direitos e democracia! Todo apoio à luta das mulheres e não só no Dia Internacional da Mulher, mas todos os dias!”

Carlos Zarattini (PT-SP), líder da Minoria no Congresso – “Parabéns para todas as mulheres de luta!”.

Alexandre Padilha (PT-SP) – “As mulheres ainda ganham menos que os homens, a aposentadoria está sendo mais atacada, elas continuam com a tripla jornada, sofrem assédio e são desrespeitas no local de trabalho e na sociedade”.

Leonardo Monteiro (PT-MG) – “Hoje é dia de lembrar Luiza Mahin, Maria Quitéria, Maria da Penha, Marielle, Dandara e tantas outras, célebres ou anônimas, que lutaram e lutam contra injustiças”.

Zeca Dirceu (PT-PR) – “Parabéns a todas vocês mulheres, a todas que de alguma forma contribuem para uma sociedade sem machismo, preconceitos, violência. Que chegue o dia em que todas vocês se sintam seguras em qualquer situação e libertas de padrões. Vocês são incríveis!”.

Paulo Teixeira (PT-SP) – “Queremos 50% de mulheres no Congresso Nacional”.

Rogério Correia (PT-MG) – “A cada 15 minutos uma mulher é agredida no Brasil. Sete em cada 10 são vítimas de violência em algum momento. Números que mudam a cada momento. Nos últimos tempos, para pior no Brasil. O Dia Internacional da Mulher não é de flores. É de luta. Estamos juntos nesta luta. Sempre!”.

Vander Loubet (PT-MS) – “Por isso o dia de hoje deve ser encarado como um dia de reflexão e de luta para que as mulheres possam seguir consolidando seus direitos e avançando naquilo que ainda merecem conquistar. Com certeza é uma luta de todos que acreditam em um mundo mais justo e menos desigual”.

Zé Carlos (PT-MA) – “Hoje, celebramos a união entre as mulheres que se mobilizam em defesa de seus direitos, contra violência, exploração e discriminação. Lembramos a força e a luta dessas guerreiras e as tantas vitórias já alcançadas e tantas que ainda precisam conquistar”.

Frei Anastácio (PT-PB) – “Todo meu apoio e solidariedade às mulheres que lutam diariamente para sobreviver!”.

Alencar Braga Santana (PT-SP) – “Bolsonaro quer comemorar o primeiro 8 de março de seu governo reduzindo as chances das mulheres brasileiras se aposentarem e prejudicando, principalmente, as mais pobres. Num país tão desigual na questão de gênero, tal medida só reforça o machismo de Estado”.

Marcon (PT-RS) – “Que esse dia 8 de março seja de luta pela vida das mulheres, contra a Reforma da Previdência: que é machista por igualar a aposentadoria entre homens e mulheres, mesmo com elas trabalhando 5h a mais ganhando 25% menos que eles. Só a luta vai garantir uma sociedade mais justa!”.

Carlos Veras (PT-PE) – “Mais do que flores, as mulheres merecem respeito, uma vida sem violência e sem racismo e garantias de direitos, entre eles, uma Previdência pública digna e justa”.

Beto Faro (PT-PA) – “Mulheres que vocês sejam livres. Desejo que nenhuma mulher seja vítima de violência pelo simples fato de ser mulher. Que vocês ocupem cada vez mais espaços de liderança na política, no campo, na fábrica ou na empresa. Que hoje seja um dia de luta e resistência!”.

Assis Carvalho (PT-PI) – “Parabéns, mulheres, pela luta, pelas vitórias, pela coragem!”.

Jorge Solla (PT-BA) – “Hoje é dia de comemorar o que já foi conquistado, é dia de luto pelo diário feminicídio que é uma tragédia nacional, hoje é dia de luta contra a Reforma da Previdência que prejudica mais as mulheres que os homens, uma vingancinha de um presidente machista”.

Reginaldo Lopes (PT-MG) – “Não está tudo bem. Segundo a ONU, o Brasil contabilizou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017. A vida de mulheres, e de mulheres negras, é banalizada no Brasil e essa “lógica” irracional e injusta precisa ser mudada”.

Paulo Guedes (PT-MG) – “Meus parabéns a todas as mulheres que inspiram, que seguem dia após dia conseguindo o próprio espaço, que levantam outras mulheres para que elas possam seguir juntas, que educam, lutam, sofrem, mas nunca desistem. Mulheres brasileiras guerreiras!”.

Rubens Otoni (PT-GO) – “Reafirmo meu compromisso com a luta feminina, acredito que só é possível construir uma sociedade justa e fraterna com as mulheres ocupando cada vez mais espaços de poder”.

 

Heber Carvalho

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

CDHM promove debate sobre a parte mais oculta da internet, a deep web

A deep web é uma camada da internet que não pode ser acessada pelos principais meios de me…