Home Portal Notícias Manchetes Leonardo Monteiro e Margarida Salomão apoiam denúncia de tragédia de Brumadinho à ONU

Leonardo Monteiro e Margarida Salomão apoiam denúncia de tragédia de Brumadinho à ONU

7 min read
0

Os deputados federais petistas Leonardo Monteiro e Margarida Salomão, ambos de Minas Gerais, manifestaram nessa quarta-feira (6) apoio irrestrito à formalização de uma denúncia junto à Organização das Nações Unidas (ONU) contra a Vale e o Estado brasileiro pelo crime socioambiental ocorrido em Brumadinho (MG), no dia 25 de janeiro. Até o momento foram confirmadas 150 mortes, e 182 pessoas ainda estão desaparecidas.

O documento, assinado pela Conectas, Clínica de Direitos Humanos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), aponta falhas e omissões que culminaram na tragédia e cobra providências imediatas. As entidades destacam ainda que nada foi feito para prevenir um novo acidente desde a tragédia de Mariana (MG), em 2015, quando uma barragem da mesma mineradora se rompeu deixando vítimas fatais e provocando um grande desastre ambiental.

“É importante essa denúncia em nível internacional, porque a Vale demonstra um desrespeito muito grande à sociedade e ao meio ambiente, desde Mariana e, agora, em Brumadinho, e também aos seus próprios funcionários, ao construir um centro administrativo, com refeitório, na boca de uma barragem, sabendo que ela estava sujeita a romper a qualquer momento. Essa denúncia é fundamental para pressionar a Vale a tomar uma atitude sobre Brumadinho, e também sobre Mariana, e outras barragens propensas a romper a qualquer momento”, afirmou o deputado Leonardo Monteiro.

Deputado Leonardo Monteiro – Fotos: Gustavo Bezerra

A deputada Margarida Salomão destacou que o encaminhamento da denúncia à ONU é correto, até porque esse crime tem repercussão internacional. Ela lembrou que a Vale já responde à ação na justiça americana por parte de investidores internacionais que se sentiram lesados ao não serem informados sobre as falhas de segurança nos empreendimentos da empresa.

Ela disse ainda que a denúncia, além pressionar para a apuração de responsabilidades, também pode lançar luz sobre as consequências futuras da tragédia. “Esse movimento de entidades ligadas aos direitos humanos e ambiental fazem muito bem ao cobrar apuração das reponsabilidades dessa tragédia que ocasionou a perda de tantas vidas humanas, e que ainda pode ocasionar um desastre ambiental de enormes proporções caso essa lama tóxica chegue ao Rio São Francisco”, ressaltou Margarida.

O documento foi endereçado em caráter de urgência aos relatores especiais Baskut Tuncak (implicações para os direitos humanos do gerenciamento e disposição de substâncias tóxicas e rejeitos), Léo Heller (direitos humanos à água potável segura e ao esgotamento sanitário), John Knox (questão das obrigações de direitos humanos relativas ao desfrute de um ambiente seguro, limpo, saudável e sustentável) e Dante Pesce (Presidente do Grupo de Trabalho da ONU sobre a questão dos direitos humanos e corporações transnacionais e outras empresas de negócios).

 

CPMI e lobby das mineradoras

O deputado Rogério Correia (PT-MG) também cobrou, durante pronunciamento da tribuna da Câmara, a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar a tragédia de Brumadinho. Segundo o parlamentar, a instalação de CPIs distintas na Câmara e no Senado, investigando o mesmo tema, pode favorecer o lobby da empresa contra a adoção de medidas para enfrentar a ocorrência da mesma tragédia no futuro.

“A CPI Mista tem mais força para enfrentar o lobby da Vale, porque agora começa a desaparecer da mídia o assunto Brumadinho, e aí o lobby prevalece, e o lobby é forte. Nenhum dos 22 indiciados pelo crime de Mariana foi punido, porque o lobby e o dinheiro deles são fortes, e o lucro da Vale é grande. Também não foram punidos e não foram feitas leis dentro do Legislativo porque dentro do Legislativo também o lobby é forte. Se nós fizermos uma CPI em Minas, uma CPI na Câmara e uma CPI no Senado, nós não teremos a força de algo conjunto que estabeleça leis e enfrente conjuntamente o lobby”, observou.

Margarida Salomão e Rogério Correia: criação de CMPI para investigar os crimes da Vale

Héber Carvalho com Revista Fórum

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Em novo diálogo, revelado por Veja, Deltan fala de encontros fortuitos com Gebran do TRF4

O procurador Deltan Dallagnol comenta em um chat com outros colegas do MPF: “O Gebran tá f…