Home Portal Notícias Manchetes Ministro de Bolsonaro desviou recursos com candidatas laranjas

Ministro de Bolsonaro desviou recursos com candidatas laranjas

4 min read
0

O ministro do Turismo de Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio, que foi eleito deputado federal em Minas Gerais, teria utilizado um esquema de candidatas laranjas – que não concorreram a sério – para repassar pelo menos R$ 85 mil de recursos públicos a empresas ligadas a seu gabinete, segundo apurou a Folha de São Paulo.

Marcelo Álvaro, que à época presidia o PSL de Minas, mesmo partido de Bolsonaro, indicou quatro candidatas mulheres para cumprir a cota feminina de 30% exigida pela Justiça Eleitoral, recebendo um total de R$ 279 mil do fundo partidário. Deste valor, R$ 85 mil foram oficialmente destinados a empresas que são de assessores, parentes ou sócios de assessores do hoje ministro.

Uma das candidatas pelo PSL mineiro, Lilian Bernardino, recebeu da direção da legenda R$ 65 mil e obteve apenas 196 votos, o que costuma ser indício de uma candidatura de fachada. Ela repassou R$ 14,9 mil para duas empresas de comunicação do irmão de Roberto Silva Soares, o Robertinho, ex-assessor do gabinete de Marcelo Álvaro, outros R$ 10 mil para uma gráfica da sócia deste mesmo irmão e R$ 11 mil à empresa de Mateus Von Rondon Martins, de Belo Horizonte, responsável pela divulgação do mandato de Marcelo Álvaro.

Mila Fernandes é outra candidata que quase não recebeu votos – apenas 334 – após ter recebido R$ 72 mil para sua campanha. Ela declarou à Justiça ter gasto todo o dinheiro, sendo que R$ 4.900 foram para Mateus Von Rondon.

A terceira candidata do esquema é Naftali Tamar, que recebeu R$ 70 mil e teve 669 votos. Ela declarou gasto de R$ 9.000 com Von Rondon.

Débora Gomes foi a quarta candidata do esquema. Ela gastou R$ 30 mil nas empresas do irmão de Robertinho, R$ 10 mil na da sócia deste e R$ 7.600 para Mateus Von Rondon.

Uma quinta candidata do PSL de Minas, não envolvida no esquema, foi Cleuzenir Souza, que recebeu R$ 60 mil de recursos públicos e obteve 2.097 votos. Ela não declarou gastos com nenhuma empresa vinculada ao ministro e, durante a campanha, registrou um boletim de ocorrência em que acusa dois assessores de Marcelo Álvaro de cobrar dela a devolução de metade do valor.

 

Por Redação da Agência PT de Notícias, com informações da Folha

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bolsonaro vai diminuir lista de doenças que dão direito a benefícios no INSS, denuncia Frei Anastácio

O deputado federal Frei Anastácio (PT-PB) denuncia que Bolsonaro prepara mais um ataque co…