Home Portal Notícias Trump indica nome envolvido em golpes para “restaurar democracia” na Venezuela

Trump indica nome envolvido em golpes para “restaurar democracia” na Venezuela

5 min read
0

O presidente Donald Trump, nomeou neste final de semana a sinistra figura de Elliott Abrams como enviado especial dos Estados Unidos na Venezuela. Anunciado pelo secretário de Estado Mike Pompeo, Abrams tem a missão de “restaurar a democracia” no país latino-americano. Ex-diplomata, o “embaixador” de Trump é obscuro personagem da guerra suja, envolvido com venda de armas, financiamento de guerrilhas e organização de golpes de Estado.

“Quantos golpes de estado, quantas ditaduras se estabeleceram no continente sob o pretexto de “defender a democracia”? E sempre de acordo com os interesses dos Estados Unidos”, questionou o PT, em nota divulgada na semana passada. Na texto, o Partido dos Trabalhadores alertou que “não compete ao Brasil nem a outros países decidir quem deve ou não deve governar a Venezuela”. Para o PT, a intervenção estrangeira na Venezuela remete a América Latina de volta ao século passado; ao tempo da Guerra Fria.

Massacre de civis

Nos anos oitenta, Elliott Abrams foi secretário de Estado adjunto de Direitos Humanos da administração do presidente Ronald Reagan. Nessa condição, organizou o apoio dos Estados Unidos aos ditadores na Guatemala, El Salvador e Honduras. A passagem pela função tem registros de campanhas ostensivas de repressão e patrocínio de esquadrões da morte. Em El Salvador, pesa sobre ele a acusação de mentir sobre o massacre, com requintes de terror, de cerca de mil pessoas, entre homens, mulheres e crianças.

Ataque à Nicarágua

Abrams também tem em seu histórico de ataques aos povos latinos o escândalo Irã-Contras, no qual foi acusado e condenado por esconder a “missão” do Congresso. Entre 1985 e 1986, apesar da proibição do Senado, altos funcionários do governo autorizaram a venda de armas ao governo iraniano, na guerra Irã-Iraque. Com os recursos obtidos, os envolvidos financiaram o movimento armado criado pelos Estados Unidos para atacar o governo sandinista da Nicarágua. Indultado por George Bush, na década de noventa fundou o Projeto Novo Século Americano, formado por neoconservadores belicistas.

Golpe contra Chávez

Em sua folha de desserviços à América Latina, não é a primeira vez que Abrams é associado à ataques à Venezuela. Ele foi peça-chave na tentativa de golpe de Estado contra o presidente Hugo Chávez, em 2002. Assim como agora, naquela vez cumpriu a missão de fazer a ponte entre os interesses dos Estados Unidos e os golpistas na Venezuela. Um ano depois, foi um dos mentores da guerra contra o Iraque, movida pelos mesmos interesses atuais, a tomada do petróleo do país. A Venezuela detém 20% das reservas mundiais de petróleo, localizadas a cerca de cinco dias das refinarias do Texas.

 

Do PT no Senado

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PSB quer anular no STF decisões judiciais que mantém Lula preso

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) protocolou junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), …