Home Portal Notícias Manchetes Fontana prevê “desestruturação profunda da democracia brasileira” com Bolsonaro

Fontana prevê “desestruturação profunda da democracia brasileira” com Bolsonaro

4 min read
0

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) traçou um perfil “sombrio” do governo Jair Bolsonaro, que já está se instalando no País, e que assumirá definitivamente a partir de 1º de janeiro de 2019. “O que nos espera é uma desestruturação profunda da democracia brasileira”, lamentou, em discurso no plenário da Câmara, nesta quarta-feira (5). Ele citou alguns temas que marcam os primeiros movimentos do governo Jair Bolsonaro e que já apontam retrocessos.

Em relação à educação, Fontana destacou que em vez de falar em como ampliar o acesso às escolas, em como melhorar a qualidade da educação, o que se ouve é a permanente obsessão da tentativa de implantar a censura e a mordaça nas universidades e nas escolas, com esse “absurdo projeto chamado Escola sem Partido” pelos apoiadores de Bolsonaro. “O que se quer, na verdade, é a escola controlada pelo partido do presidente Bolsonaro, que estará exercendo poder no País”, acrescentou.

Henrique Fontana criticou também a decisão de extinguir o Ministério da Cultura. Ele entende que ao colocá-lo misturado com a pasta de esporte e o chamado Ministério da Cidadania tem como objetivo desestruturar estas duas políticas fundamentais para construir o perfil de qualquer Nação, de qualquer povo, que são a educação e a cultura.

Ele citou ainda a questão do trabalho, do emprego e do salário. Para Fontana, o presidente eleito demonstrou bem, em entrevista concedida ontem (4), o que pensa em relação ao trabalhador brasileiro. “Bolsonaro disse que ‘o difícil é ser patrão neste País’. E eu pergunto: é fácil ser trabalhador neste País?, é fácil estar desempregado, como estão mais de 20 milhões? É barbada trabalhar por um salário mínimo de menos de mil reais? Onde está a cabeça de Jair Bolsonaro?”, indagou.

Fontana disse que lamentavelmente Bolsonaro pensa que o problema do Brasil são os trabalhadores e que a solução seria os patrões sem trabalhadores ou propor a disjuntiva: direitos ou empregos. “Não! O que o Brasil precisa, o que uma economia sólida precisa, o que um projeto de nação sólido precisa é de empregos com direitos”, rebateu.

O deputado concluiu relembrando que o Brasil teve o maior nível de emprego da história recente durante o governo Lula, exatamente garantindo todos os direitos que estavam previstos na Constituição do nosso País. “Os ataques são muitos, e a população brasileira, passo a passo, vai perceber o grande erro que foi ter entregue os destinos do País nas mãos de Bolsonaro”, encerrou.

 

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Projeto susta ato do Executivo que reclassifica nível de toxicidade de agrotóxicos

O Projeto de Decreto Legislativo 616/19 pretende tornar sem efeito o ato do Ministério da …