Home Portal Notícias Manchetes Fontana prevê “desestruturação profunda da democracia brasileira” com Bolsonaro

Fontana prevê “desestruturação profunda da democracia brasileira” com Bolsonaro

4 min read
0

O deputado Henrique Fontana (PT-RS) traçou um perfil “sombrio” do governo Jair Bolsonaro, que já está se instalando no País, e que assumirá definitivamente a partir de 1º de janeiro de 2019. “O que nos espera é uma desestruturação profunda da democracia brasileira”, lamentou, em discurso no plenário da Câmara, nesta quarta-feira (5). Ele citou alguns temas que marcam os primeiros movimentos do governo Jair Bolsonaro e que já apontam retrocessos.

Em relação à educação, Fontana destacou que em vez de falar em como ampliar o acesso às escolas, em como melhorar a qualidade da educação, o que se ouve é a permanente obsessão da tentativa de implantar a censura e a mordaça nas universidades e nas escolas, com esse “absurdo projeto chamado Escola sem Partido” pelos apoiadores de Bolsonaro. “O que se quer, na verdade, é a escola controlada pelo partido do presidente Bolsonaro, que estará exercendo poder no País”, acrescentou.

Henrique Fontana criticou também a decisão de extinguir o Ministério da Cultura. Ele entende que ao colocá-lo misturado com a pasta de esporte e o chamado Ministério da Cidadania tem como objetivo desestruturar estas duas políticas fundamentais para construir o perfil de qualquer Nação, de qualquer povo, que são a educação e a cultura.

Ele citou ainda a questão do trabalho, do emprego e do salário. Para Fontana, o presidente eleito demonstrou bem, em entrevista concedida ontem (4), o que pensa em relação ao trabalhador brasileiro. “Bolsonaro disse que ‘o difícil é ser patrão neste País’. E eu pergunto: é fácil ser trabalhador neste País?, é fácil estar desempregado, como estão mais de 20 milhões? É barbada trabalhar por um salário mínimo de menos de mil reais? Onde está a cabeça de Jair Bolsonaro?”, indagou.

Fontana disse que lamentavelmente Bolsonaro pensa que o problema do Brasil são os trabalhadores e que a solução seria os patrões sem trabalhadores ou propor a disjuntiva: direitos ou empregos. “Não! O que o Brasil precisa, o que uma economia sólida precisa, o que um projeto de nação sólido precisa é de empregos com direitos”, rebateu.

O deputado concluiu relembrando que o Brasil teve o maior nível de emprego da história recente durante o governo Lula, exatamente garantindo todos os direitos que estavam previstos na Constituição do nosso País. “Os ataques são muitos, e a população brasileira, passo a passo, vai perceber o grande erro que foi ter entregue os destinos do País nas mãos de Bolsonaro”, encerrou.

 

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Boletim 550 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

Boletim 550 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia Direto de Curitiba &#…