Home Portal Notícias Bancada conta com 15 novos parlamentares eleitos

Bancada conta com 15 novos parlamentares eleitos

26 min read
0

A Bancada do Partido dos Trabalhadores, eleita no último domingo (7), contará a partir de fevereiro de 2019, com 56 deputados e deputadas federais. Foram eleitos 15 novos parlamentares, de 11 estados brasileiros. O PT terá ainda representação de deputados do Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Tocantins, unidades da federação que não têm parlamentares na Câmara dos Deputados na atual legislatura. Conheça abaixo o perfil dos novos eleitos.

 

AMAZONAS

 José Ricardo Wendling

 

Eleito para exercer o mandato de deputado federal com 197.270 votos, o atual deputado estadual do Amazonas José Ricardo é economista e bacharel em direito, com pós-graduação em Gerência Financeira Empresarial. O petista já foi professor universitário de Economia, ex-presidente do Conselho Regional de Economia AM/RR e desde 1989 presta Consultoria Econômica para empresas do Pólo Industrial de Manaus.

Filiado ao PT desde 1995, José Ricardo foi secretário de Finanças do diretório municipal do PT do Amazonas e é membro do diretório regional. Duas vezes vereador na capital, o petista exerce atualmente o segundo mandato de deputado estadual pelo Amazonas. Na Câmara Municipal de Manaus, ele já atuou como líder do PT, presidindo ainda a Comissão dos Direitos Humanos e a Comissão de Legislação Participativa. Atualmente José Ricardo é o líder do PT na Assembleia Legislativa do Amazonas.

 

BAHIA

 

Zé Neto

Em seu terceiro mandato como deputado estadual da Bahia, o advogado Zé Neto tem uma história política que começou ainda nos anos 80, quando atuou e se destacou no movimento estudantil. Primeiro vereador petista do município de Feira de Santana, ele chegou à Câmara Municipal no ano 2000 como o mais votado à época. Quatro anos depois, com 32 mil votos, chegou à Assembleia Legislativa da Bahia, sendo reeleito nos dois pleitos seguintes com as maiores votações entre os candidatos petistas. Zé Neto guarda um histórico de luta junto a diversos movimentos sociais e a setores produtivos. Na Assembleia Legislativa, já presidiu as Comissões de Proteção ao Meio Ambiente (2005-2006) e de Constituição e Justiça (2007-2010), tendo sido vice-presidente das Comissões de Saúde e Saneamento (2003-2004, 2006) e também de Constituição e Justiça (2005-2006). Chega à Câmara dos Deputados como o terceiro candidato mais bem votado do Partido dos Trabalhadores, com 129.196 votos.

 

 

MATO GROSSO

Rosa Neide

 

Baiana do Município de Amargosa, Rosa Neide Sandes de Almeida é professora, formada em pedagogia e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Desde 1980 atuou como professora da Educação Básica e partir de 1992 como professora do nível superior, com foco nas Didáticas de Ensino. De 2007 a 2010 ocupou o cargo de secretária Adjunta de Políticas Educacionais. Exerceu no período de 2010 a 2011 o cargo de secretária de Estado de Educação de Mato Grosso. E reassumiu o cargo de secretária de Educação entre 2013 e 2014. Rosa Neide exerce, de 2010, a presidência do Fórum Estadual de Educação.

  

 

MINAS GERAIS

 Paulo Guedes

 

Natural de São João das Missões (MG), Paulo Guedes foi eleito para a Câmara dos Deputados com 176.841 votos. Atualmente exerce o terceiro mandato na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, cargo para o qual foi eleito em 2014 com 164.831 votos, a maior votação no estado. Ex-vereador por três mandatos no município de Manga, Norte de Minas, Guedes também foi coordenador estadual do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs-MG).

O petista foi candidato a prefeito de Montes Claros, em 2012. Após iniciar a disputa com 1,8% das intenções de voto, Guedes venceu o primeiro turno com 50.902 votos, quase 29% do eleitorado. No segundo turno, teve 82.478 votos, ou 44%, e ficou em segundo lugar no pleito. A convite do governador de Minas, Fernando Pimentel, comandou recentemente a Secretaria de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor).

 

PARÁ

 Airton Faleiro

 

O deputado estadual Airton Faleiro, do Pará, foi eleito para exercer o primeiro mandato como deputado federal com 106.965 votos. Líder sindical e de movimentos sociais há mais de duas décadas, Faleiro foi o primeiro coordenador do Movimento Pela Sobrevivência da Transamazônica e Região do Xingu. Ele ainda foi vice-presidente e presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Pará (Fetagri) e diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

Em 2002 se elegeu pela primeira vez deputado estadual, com 23.571 votos. Na Assembleia Legislativa, foi articulador e interlocutor do desenvolvimento sustentável do Pará junto ao Governo Lula. Nos anos de 2007 a 2010 exerceu a liderança do Governo Ana Júlia, na Assembleia Legislativa.

 

 

PARAÍBA

 Frei Anastácio

 

Antônio Ribeiro, mais conhecido como Frei Anastácio, foi eleito com 91.408 votos. Atualmente exerce o quarto mandato de deputado estadual pelo estado da Paraíba. Iniciou sua trajetória política organizando movimentos de trabalhadores rurais, na década 70, no litoral sul paraibano. Posteriormente, ajudou a fundar a Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Em seu longo histórico de militante social ligado à Igreja Católica – na ala progressista da teologia da libertação – atuou principalmente em defesa da reforma agrária e da agricultura familiar.

 

 

PARANÁ

Glesi Hoffmann

 

​Gleisi Helena Hoffmann é natural do Paraná. Advogada, com especialização em Gestão de Organizações Públicas e Administração Financeira, foi eleita para uma cadeira na Câmara dos Deputados com 212.513 votos, terceira maior votação do Estado do Paraná. Em 2010, foi eleita a primeira mulher a ocupar uma vaga no Senado pelo Paraná, com mais de três milhões de votos. A senadora Gleisi deu os primeiros passos na política participando de grêmios estudantis, e da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas da capital paranaense. Construiu sua vida pública como secretária de Estado no Mato Grosso do Sul e de secretária de Gestão Pública no município de Londrina, no Paraná. No Executivo Federal, integrou, em 2002, a equipe de transição de governo do presidente Lula. Nesse mesmo período, assumiu o cargo de Diretora Financeira da Hidrelétrica Itaipu Binacional. Entre 2011 e 2014, exerceu o cargo de ministra-chefe da Casa Civil no governo da presidenta Dilma Rousseff. Filiada ao PT desde 1989, Glesi assume o comando da legenda em 2017 ao ser eleita presidenta Nacional do partido.

 

PERNAMBUCO

 Marília Arraes

 

Em seu terceiro mandato como vereadora de Recife (PE), Marília Arraes chega à Câmara dos Deputados para reforçar a bancada feminina no Parlamento federal. Segunda candidata mais bem votada em seu estado, ela obteve 193.108 votos. Neta do ex-governador Miguel Arraes, Marília nasceu e cresceu em um ambiente de intensa atividade política. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, onde se engajou no movimento estudantil, debatendo gênero e a pluralidade de direitos. Aos 24 anos, elegeu-se pelo PSB vereadora do Recife com 9.533 votos, sendo a parlamentar mais nova na 15ª legislatura. Durante o biênio 2009/2010, atuou como presidente da Comissão de Políticas Públicas da Juventude. Em 2011, tornou-se a primeira mulher a presidir a Comissão de Legislação e Justiça. Em 2012, reelegeu-se vereadora com 8.841 votos. Logo após as eleições, assumiu a Secretaria Municipal de Juventude e Qualificação Profissional. Em fevereiro de 2016, oficializou sua desfiliação do PSB. No mesmo ano, foi eleita com 11.872 votos, uma das maiores votações da atual legislatura e uma das mais expressivas entre os parlamentares do PT.

 

Carlos Veras

 

Agricultor e natural do município pernambucano de Tabira, Carlos Veras – atual presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) – foi eleito para a Câmara dos Deputados com 72.005 votos. Veras começou sua trajetória política aos 18 anos como presidente da Associação Rural de Poço de Dantas. Depois assumiu outros postos de comando no movimento sindical e de agricultores. Foi coordenador do Complexo das Cooperativas do Sertão; secretário-geral da Cooperativa de Crédito Ecosol-Pajeú; tesoureiro da Agência de Desenvolvimento Solidário da CUT (ADS-CUT); vice-presidente da Central na gestão 2009-2012 e presidente no período de 2012/2015. Sua gestão à frente da CUT se destacou como uma ação democrática e participativa junto aos sindicatos e aos movimentos sociais, estudantil, negro e das mulheres. Também militou em nome da reforma agrária e da reforma política, convocando a classe trabalhadora para se manter unida e defender seus direitos contra o ajuste fiscal do governo.

 

 RIO GRANDE DO NORTE

 Natália Bonavides

 

Vereadora mais bem votada da história do PT no Rio Grande do Norte – detém também o título de ser a primeira mulher petista a ocupar uma cadeira na Câmara Municipal de Natal. Chega agora à Câmara do Deputados como a segunda candidata mais bem votada do seu estado e a primeira entre os candidatos petistas, com um total 112.998 votos. Tem um trabalho atuante voltado à defesa dos movimentos sociais, do serviço público de qualidade, das mulheres, dos direitos humanos dos grupos mais vulneráveis e do direito à cidade. É Advogada popular, com mestrado em Direito Constitucional pela UFRN, tendo atuando como advogada do MST, do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), do Movimento de População em Situação de Rua e atuou politicamente junto à Marcha Mundial de Mulheres. Também participou do Movimento pela Humanização do Parto em Natal, advogou para o Sindicato dos Servidores Municipais de Natal e integrou a elaboração do projeto do Centro de Referência em Direitos Humanos da UFRN.

 

Mineiro

 

Fernando Mineiro – natural de Curvelo (MG) – está em seu quarto mandato como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, após quatro mandatos como vereador na Câmara Municipal de Natal. Foi o terceiro candidato mais votado em seu estado para a Câmara dos Deputados, com 98.070 votos. Formou-se em biologia pela UFRN e é professor da rede estadual de educação. Participou dos movimentos estudantil, popular e sindical em Natal e foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores e da Central Única dos Trabalhadores no Rio Grande do Norte. Atualmente, preside a Comissão de Educação, Ciências e Tecnologia e Desenvolvimento Econômico e Social da Assembleia Legislativa. Seus principais eixos de atuação são as áreas de educação, saúde, finanças públicas, política urbana, meio ambiente, economia solidária, agricultura familiar, cultura, juventude, além de acompanhar e participar da luta por direitos das mulheres, negros, indígenas e LGBTs. Já foi candidato pelo PT ao governo do RN e à prefeitura de Natal.

 

 SÃO PAULO

Alexandre Padilha

 

Médico formado pela Universidade de Campinas (Unicamp), especializado em Infectologia pela USP, Alexandre Rocha Santos Padilha é o novo reforço da Bancada do PT na Câmara dos Deputados na próxima Legislatura. O quarto deputado mais votado na bancada petista de São Paulo, com 67.892 votos, Padilha trará para o Legislativo a experiência que acumulou desde a sua atuação no movimento estudantil na década de 90.  Filiado ao PT, ele traz na bagagem a coordenação da campanha do ex-presidente Lula em 1989 e 1994. No Executivo, Padilha assumiu em 2011, a Secretaria de Relações Institucionais e foi ministro da Coordenação Política do Governo Lula. Na gestão da presidenta Dilma Rousseff, foi ministro da Saúde e se destacou como o principal responsável pela implantação do Programa Mais Médicos. Na Prefeitura de São Paulo, na gestão de Fernando Haddad, exerceu o papel de secretário de Saúde do Município. No PT, Padilha exerce atualmente a função de vice-presidente Nacional do PT.

 

Rui Falcão

 

Mineiro de Pitangui, Rui Goethe da Costa Falcão retorna à Câmara dos Deputados, após 18 anos, com uma votação expressiva, sendo o mais votado entre os deputados eleitos pelo PT paulista, com 158.389 votos. Jornalista e advogado, Rui Falcão tem sua trajetória pautada em várias frentes de batalhas. No parlamento, exerceu quatro mandatos como deputado estadual na Assembleia Legislativa do estado de São Paulo e em 2000 assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados ao ser eleito como deputado federal, mas se licenciou do cargo para assumir a Secretaria de Governo da cidade de São Paulo, na administração de Marta Suplicy. Filiado ao PT desde 1982, presidiu o Diretório Municipal do partido em São Paulo entre os anos de 1989 e 1992. Exerceu o cargo de presidente do Diretório Nacional do PT em 1994. Em 2011, o partido o escolheu para substituir o presidente do PT, José Eduardo Dutra que havia se afastado do cargo por motivo de saúde. Em 2013 foi eleito presidente Nacional do PT, função que exerceu até junho de 2017. Rui Falcão exerceu também o cargo de secretário de Governo da cidade de São Paulo e coordenou a campanha de Dilma Rousseff à presidência da República em 2010.

 

Alencar Santana

 

Advogado, com especialização em Direito Constitucional, Alencar Santana Braga foi eleito deputado Federal por São Paulo com 67.892 mil votos. A trajetória política começou no movimento estudantil, em 1992, aos 16 anos de idade. Em 1998, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores. Aos 28 anos foi eleito vereador mais jovem do PT pelo município de Guarulhos, em 2004. Nesse mesmo período, exerceu a função de líder do governo na gestão do prefeito Elói Pietá. Nas eleições de 2008, teve seu mandato de vereador renovado com quase o dobro dos votos que obteve no primeiro pleito. Em 2010 foi eleito o deputado estadual com 154.272 votos e reeleito como deputado estadual mais votado do PT em São Paulo, nas eleições de 2014.

 

 

TOCANTINS

 Célio Moura

 

Natural de Arapuá (MG), e radicado no município de Araguaína (TO), Célio Alves de Moura foi eleito o primeiro deputado federal da história do partido no estado com 18.167 votos. Militante histórico do PT em Tocantins, Célio Moura é advogado e já foi candidato a prefeito de Araguaína.

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Lei Orçamentária de 2019 pode reduzir em 52% verbas da agricultura familiar

O projeto de Lei Orçamentária para 2019, em discussão na Câmara dos Deputados, pode reduzi…