Home Portal Notícias Manchetes Temer mente em discurso na ONU e tenta mascarar desemprego e miséria no pós-golpe

Temer mente em discurso na ONU e tenta mascarar desemprego e miséria no pós-golpe

7 min read
0

Ao mentir de forma deslavada sobre seu governo, o ilegítimo Michel Temer selou seu destino insignificante para mundo ao discursar, nesta terça-feira, aos líderes mundiais que participaram da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Em seu discurso de despedida, ele distorceu fatos, cometeu equívocos e tentou disfarçar para a comunidade internacional a realidade que o Brasil passou a viver a partir do golpe, do qual ele foi artífice.

“Dissemos não ao populismo e vencemos a pior recessão de nossa História. […] Recolocamos as contas públicas em trajetória responsável e restauramos a credibilidade da economia. Voltamos a crescer e a gerar empregos. Programas sociais antes ameaçados pelo descontrole dos gastos puderam ser salvos e ampliados. Devolvemos o Brasil ao trilho do desenvolvimento. O país que entregarei a quem o povo brasileiro venha a eleger é melhor do que aquele que recebi”.

As falas de Temer não condizem com o que seu governo realmente realizou. Uma administração que empurrou 23,3 milhões de pessoas para a pobreza, que retirou direito dos trabalhadores, que deixou 13 milhões de desempregados e que congelou investimentos públicos por 20 anos, além de promover corte de 50% no programa Bolsa Família, paralisar obras do “Minha Casa Minha Vida” por todo o País e fazer a economia nacional encolher em até 3,3% em maio desse ano.

No início de seu discurso, Temer declarou que três pontos devem ser combatidos pela comunidade internacional: “isolacionismo”, intolerância e unilateralismo. Em sua fala, o ilegítimo citou a imigração de venezuelanos e afirmou que é dever do Brasil defender os direitos dos refugiados, mas esqueceu de mencionar o estado de Roraima, centro de uma crise imigratória no Brasil, e as medidas adotadas pelo seu governo para controlar os conflitos, como a autorização de forças armadas no local e o plano de utilizar senhas para limitar a entrada dos venezuelanos.

“O Brasil tem recebido todos os que chegam a nosso território. São dezenas de milhares de venezuelanos a quem procuramos dar toda a assistência […] Emitimos documentos que os habilitam a trabalhar no País. Oferecemos escola para as crianças, vacinação e serviços de saúde para todos. Mas sabemos que a solução para a crise apenas virá quando a Venezuela reencontrar o caminho do desenvolvimento”.

Temer também anunciou que seu governo muito fez em nome dos Direitos Humanos e que o País tem trabalhado pela defesa da democracia. O mesmo já foi denunciado à ONU por violar os direitos humanos ao colocar o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos em secretarias subordinadas ao Ministério da Justiça e Cidadania, causando perda de garantias expressas na Constituição. Além disso, Michel também acabou com direitos dos trabalhadores ao aprovar a Reforma Trabalhista.

Ao fim de seu discurso, Temer falou sobre as eleições no Brasil e o direito de – como país democrático – o povo escolher seus líderes. “Em duas semanas, o povo brasileiro irá às urnas. Escolherá as lideranças políticas que dirigirão o Brasil a partir de janeiro de 2019. Assim determina nossa Constituição, assim tem sido nos últimos quase trinta anos e assim deve ser. Porque todo poder emana do povo. Porque a alternância no poder é da alma mesma da democracia. E a nossa, senhoras e senhores, é uma democracia vibrante, lastreada em instituições sólidas”.

Michel Temer ignorou o fato de ter assumido o governo através de um golpe parlamentar e não por decisão democrática da população que contrariou 54 milhões de eleitores. O último discurso de Temer foi um reflexo direto de seu governo irresponsável, que agride e ignora o povo e mente descaradamente.

Por Redação da Agência PT de Notícias

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…