Home Portal Notícias Contra entrega do pré-sal, petroleiros vão ao STF e fazem protestos pelo País

Contra entrega do pré-sal, petroleiros vão ao STF e fazem protestos pelo País

4 min read
0

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) participa de audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (28). A pauta é a liminar do ministro Ricardo Lewandowski, que suspendeu as vendas de ativos e privatizações de empresas estatais sem autorização do Poder Legislativo. Na mesma data, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) coloca à venda 16,5 bilhões de barris de petróleo do pré-sal, em nova rodada de licitação que envolve cinco blocos das Bacias de Santos e Campos. A Petrobras é a única empresa brasileira entre 12 participantes.

Para protestar contra a desnacionalização da maior descoberta de petróleo da atualidade, os petroleiros realizam também na sexta (28) um dia nacional de luta, com atos e mobilizações em todo o País. Haverá atos e atrasos nas bases da FUP, em todas as unidades do Sistema Petrobras. No Rio de Janeiro, as mobilizações serão pela manhã em frente às sedes da ANP e da Transpetro. Em São Paulo, o Sindipetro Unificado realizará uma manifestação a partir das 16h, na Avenida Paulista, em frente à sede da estatal.

“O impacto da venda das nossas reservas para essas empresas não está simplesmente na transferência de petróleo para o exterior, mas na incapacidade de utilizarmos essas reservas para desenvolver nossa indústria, a cadeia de fornecedores nacionais e a pesquisa, comprometendo o futuro do País”, lamenta o coordenador licenciado da FUP, José Maria Rangel, em entrevista ao site da entidade.

O governo de Michel Temer vai tentar aprovar no Senado o projeto de lei complementar (PLP 78/2018), que permite à Petrobras vender até 70% dos direitos de exploração do pré-sal em cessão onerosa.

“Essa é mais uma medida do governo golpista para reduzir a participação da Petrobras na exploração do pré-sal. Nesse caso, mais uma vez, há uma transferência direta do pré-sal brasileiro para o exterior”, avalia o petroleiro. “O pré-sal brasileiro é hoje a grande fronteira de novas reservas de petróleo no mundo e, por isso, foco de grande disputa entre as petrolíferas globais”, completa.

Para Rangel, a liminar de Lewandowski e a audiência pública foram resultado “de um forte enfrentamento que os petroleiros, seus sindicatos e a FUP travaram diante das investidas do governo golpista”. Ele acredita que a audiência pública será uma oportunidade de demonstrar o equívoco das privatizações.

 

Da Rede Brasil Atual e do site da FUP

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas apresentam projeto para sustar portaria que suspende Lei Rouanet para cidades que adotaram medidas restritivas

Os deputados petistas João Daniel (SE), Patrus Ananias (MG), Valmir Assunção (BA) e Marcon…