Home Portal Notícias Manchetes Boaventura: ONU mostra que há violações graves no caso Lula  

Boaventura: ONU mostra que há violações graves no caso Lula  

5 min read
0

“Os excessos que foram cometidos e que estão sendo cometidos no caso do ex-presidente Lula da Silva, que são hoje conhecidos internacionalmente e por último agora essa advertência do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que é lamentável, mostra que efetivamente há violações graves aqui no Brasil em relação ao próprio direito eleitoral”, afirmou o sociólogo português Boaventura Sousa Santos, em entrevista à coluna de Maria Carolina Trevisan, no site UOL.

O sociólogo e jurista português Boaventura de Sousa Santos fez uma análise sobre o momento político em que o País se encontra pós golpe de 2016 e criticou duramente os ministros do Supremo pela parcialidade que estão tratando o caso de Lula. Defensor da liberdade de Lula, ele visitou o ex-presidente nesta quinta-feira (30), em Curitiba.

Boaventura destacou, na entrevista, a polarização na sociedade que está em evidência, uma espécie de reação aos desmontes que o País vem sofrendo, com a destruição de conquistas que foram realizadas pelos governos do PT. “Tudo isso tinha sido feito sem grande resistência de parte da população e isso me preocupava”, afirmou.

A perseguição contra Lula, em conjunto com toda a solidariedade internacional que ele vem recebendo, o fato da mídia brasileira tentar apagar o ex-presidente e as políticas restritivas que causam consequências diretas à população é o que está despertando essa resistência, segundo Boaventura.

“Com o aumento do desemprego, a desestabilização da economia, que vinha de antes, e que de certa maneira se agravou, a situação da educação e das universidades, o aumento do racismo, as ocupações militares que estão em curso no Rio a violência institucional, se criou um grande distanciamento em que o melhor símbolo é a taxa de popularidade – ou de impopularidade – sem precedentes do presidente Temer, que foi realmente o grande arquiteto e o principal beneficiário, durante um tempo, desse golpe”, declarou.

Boaventura esclareceu também que o Supremo Tribunal Federal (STF) deixou de cumprir seu papel de garantir direitos. “No momento em que o poder político começa a ser instável, que o poder político hegemonizado pelos partidos de esquerda começa a ser posto em causa, em que não há uma mobilização de base em sentido contrário muito organizada, o tribunal cede de uma maneira perdulária quase, eu diria, ridícula, às pressões de cima e se transforma em um tribunal dependente daquilo que pensa ser uma maioria”. Ou seja, o tribunal se propõe a agradar uma parcela de pessoas em detrimento de outras, para de ser imparcial, não efetua seu trabalho de fato.

Da Agência PT de Notícias

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Cientistas precisarão defender a Sputnik V– Por Jorge Solla

O debate sobre a liberação da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia no contexto da luta…