Home Portal Notícias Lula Livre Lula poderia estar livre hoje, se não fosse o golpe na democracia desferido por Fachin, critica Pimenta

Lula poderia estar livre hoje, se não fosse o golpe na democracia desferido por Fachin, critica Pimenta

7 min read
0

Acompanhados de militantes, o líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta (RS), participou de ato pela liberdade do ex-presidente Lula, preso político em Curitiba desde o último dia 7 de abril, na Praça dos Três Poderes, na frente do Supremo Tribunal Federal. “Hoje é um dia especial, data em que o presidente Lula estaria sendo libertado, mas, mais uma vez o ministro Edson Fachin deu um golpe na democracia e impediu que a justiça fosse feita”, lamentou Pimenta.

Na avaliação do líder do PT, é uma vergonha o que está acontecendo. Em alto e bom som, Paulo Pimenta gritou que Lula é preso político, “por decisão do STF”. E mandou um recado que foi repetido pelos militantes: “Nós não vamos sair das ruas, vamos continuar lutando, mobilizados pela liberdade de Lula”.

Paulo Pimenta reforçou que Lula será de novo presidente do Brasil para o País voltar a ser feliz. “Nós vamos inscrever Lula candidato e vencer as eleições, nada pode impedir que ele seja candidato. “Por isso, queremos reafirmar ao Brasil que Lula é inocente, que queremos Lula livre, queremos Lula presidente”.

O ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência do governo Lula Gilberto Carvalho, também participou do ato e afirmou que a militância estará na Praça dos Três Poderes todas as semanas, até a libertação do ex-presidente Lula. “Estaremos aqui para lembrar as consciências dos senhores ministros que vocês estão fazendo uma injustiça. Vocês, assim como nós, sabem que Lula é inocente”.

Para Gilberto Carvalho, não é possível que os ministros, que são guardiões da Constituição permitam a continuidade “desta brutal injustiça” contra o presidente Lula e contra o povo brasileiro. “Não é possível que um único ministro, o Edson Fachin, por meio de uma manobra, impeça o julgamento de um recurso da defesa do presidente Lula, pela segunda Turma do STF”, indignou-se.

José Dirceu – o ex-ministro de Lula disse que hoje o coração dos petistas estava alegre porque a segunda Turma da Suprema Corte fez justiça ao companheiro José Dirceu. “Mas, nós também deveríamos estar alegres agora porque essa mesma Turma hoje libertaria o nosso companheiro Lula”, destacou.

“Até quando os senhores ministros vão defender o capricho e a covardia, o medo de chantagem de um único ministro chamado Fachin?”, questionou Gilberto Carvalho.  Seguido pela militância, ele puxou o coro: “abaixo a ilegalidade, abaixo o medo da Rede Globo”. O ex-ministro de Lula reforçou que não permitirá que os ministros do STF durmam em paz, até que se faça justiça. “Apenas a justiça, libertem o inocente, nós vamos até o fim com Lula, não descansaremos, o coração do povo brasileiro quer Lula para voltar a sonhar, para voltar a ter uma pátria justa, fraterna e igualitária”.

Boa noite Lula – A deputada Erika Lula Kokay (PT-DF) liderou o tradicional “Boa Noite, presidente Lula”, direto da Praça dos Três Poderes. Ela enfatizou que parlamentares e a militância estavam nas ruas mais uma vez para denunciar a “covardia, os tratos, os acordos contra a lei que foram feitos pelo ministro Fachin”. Ela disse que o ato representava a vontade do povo brasileiro, que quer Lula livre, que quer Lula presidente. “Queremos ser feliz de novo, por isso estamos aqui para dizer que somos Lula, para lembrar o que disse Lula, para sermos a voz e as pernas e o coração dele”.

Erika Kokay lembrou que foi o próprio ex-presidente Lula que disse que não era mais uma pessoa, era uma ideia. “E eu digo, Lula, você é mais que uma ideia, você é a esperança do povo brasileiro, que todas as vezes que é perguntada responde que quer Lula presidente”. Ela ainda reafirmou que Lula é inocente, que não há crime e nem provas e encerrou pedindo a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia para pautar o recurso que garantirá a liberdade do ex-presidente Lula.

 

Foto: Renato Cortez

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Fenaj denuncia agressões a Vera Magalhães e escalada autoritária do governo Bolsonaro

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) alerta a sociedade, mais uma vez, para a sanh…