Home Portal Notícias Manchetes Pedro Parente saiu da Petrobras, agora só falta mudar política de preços, comemoram petistas

Pedro Parente saiu da Petrobras, agora só falta mudar política de preços, comemoram petistas

14 min read
0

A Bancada do PT na Câmara, que sempre denunciou a política desastrosa de preços da Petrobras que resultou na crise dos combustíveis, comemorou o anúncio da saída de Pedro Parente do comando da estatal. “Pedro Parente, o ministro do apagão de 2001 e da maior crise de desabastecimento de combustíveis da história do Brasil, em 2018, pediu demissão”, comentou o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta (RS), em sua conta no twitter.

Na avaliação do líder Pimenta, ainda não é possível dimensionar o estrago que este “indivíduo” causou ao Brasil. “Esperamos que a política nefasta de reajustes tenha sido demitida junto com Pedro Parente. Não abriremos mão de processá-lo por seus atos. Comemoremos esta vitória dos trabalhadores, mas sigamos lutando!”, afirmou.

Paulo Pimenta considerou ainda que foi a pressão popular  e a luta dos parlamentares do campo progressista no Parlamento que derrubou Pedro Parente do posto de presidente da Petrobras. “Mas ainda temos que derrotar a nova política de preços que gerou a crise e impedir a aprovação das medidas absurdas deste governo ilegítimo!”, alertou.

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), disse que Pedro Parente “já sai tarde” do comando da estatal. “Mas a saída dele não significa o fim da política de preços dos combustíveis que levou o país ao caos. É fundamental mais mudanças para que o país retome a normalidade necessária após a greve dos caminhoneiros”, defendeu Guimarães.

A deputada Benedita Lula da Silva (PT-RJ) além de comemorar a saída de Pedro Parente, afirmou que um dos pedidos do PT aconteceu: “Parente deixou a presidência da Petrobras, mas agora falta o mais importante, mudar política de preço da empresa e, com isso, reduzir o preço do combustível para o consumidor”.

E o deputado Pepe Lula Vargas (PT-RS) alertou: “A notícia da saída de Pedro Parente da Petrobras somente poderá ser comemorada caso a política de preços de combustíveis comandada por ele, seja modificada. Caso contrário será a troca apenas de nome. É preciso modificar a política, incluindo o fim do desmonte da Companhia”, defendeu.

Para o deputado Lula Bohn Gass (PT-RS) também não basta o Pedro Parente cair. “Tem que acabar com essa política que ele e o Temer implementaram. Porque foi essa política que quebrou o Brasil, que fez o povo pobre pagar caro pela gasolina, gás de cozinha e diesel. É isso que tem que mudar”, defendeu.

Na avaliação do deputado Caetano Lula (PT-BA), Pedro Parente, “o homem do apagão no governo FHC”, jamais deveria estar a frente da Petrobras. “Ao indicá-lo para o cargo, Temer mostrou não ter nenhum compromisso com o bem estar da população. Agora, com a sua saída da Petrobras, que seja alterada essa trágica política de preços – que é um assalto ao bolso dos brasileiros”.

E a deputada Margarida Lula Salomão (PT-MG) enfatizou: “Pedro Parente não é mais o presidente da Petrobras! Que com ele também vá embora essa absurda política de preços da estatal, que favorece muito mais os estrangeiros do que o povo brasileiro!”.

Na opinião do deputado Marco Lula Maia (PT-RS) Pedro Parente já vai tarde. “Agora chegou a hora de Temer! Esta política de reajustes dos combustíveis não pode permanecer e não adianta trocar seis por meia dúzia. Os crimes cometidos contra a Petrobras e o povo brasileiro por Temer e sua turma precisam ser punidos”, defendeu.

O deputado João Lula Daniel (PT-SE) também considerou importante a saída de Pedro Parente, mas enfatizou que o grande problema é o projeto entreguista do governo golpista de Temer. “A queda de Parente não representa a derrota do golpe e do seu projeto. É uma vitória da greve dos caminhoneiros, da greve dos petroleiros e das mobilizações nacionais”. Ele acrescentou que é preciso derrotar todo o governo Temer, fazer eleições livres com Lula candidato a Presidência da República, “para retomar um grande projeto para o povo brasileiro”.

E a deputada Maria do Rosário Lula (PT-RS) ironizou: “Caiu Pedro Parente!?, Não basta cair um dos caras que aumentou a gasolina, o gás, o óleo e em decorrência o desemprego e a fome. Tem que cair o preço da gasolina, do gás. Que caiam todos em diretas livres”, desejou.

Quem também criticou a nova política de preços da Petrobras foi a deputada Luizianne Lins (PT-CE). “Tivemos uma vitória com a saída do Parente, mas é urgente uma mudança na política de preços da Petrobras, que apenas favorece seus acionistas privados, investidores do mercado financeiro e multinacionais interessadas na privatização da companhia. Temer quer vender 4 refinarias da Petrobras. Se o preço dos combustíveis tá sem controle hoje, imagine depois dessa privatização”, alertou a parlamentar cearense.

Boa notícia – O deputado Celso Pansera (PT-RJ) considerou que foi uma boa notícia finalmente Pedro Parente ter ido embora. “Agora Michel Temer, tem que mudar a política de combustível no Brasil, não dá para definir o valor da gasolina, do etanol, do diesel, do gás de cozinha e do gás combustível pelos ganhos em dólar dos investidores das bolsas de Londres e de Nova York”. Ele ainda ironizou: “se possível presidente Temer, pede chapéu também e vai embora que será uma vitória do povo brasileiro”.

O deputado Pedro Lula Uczai (PT-SC) afirmou que caiu Pedro Parente, o coração do Golpe. “Agora falta o presidente golpista”, defendeu.

O deputado Paulo Lula Teixeira (PT-SP) também comemorou: “Depois da política desastrosa de preços dos combustíveis, de cortes em recursos da saúde, educação e outros setores para bancar a redução do diesel, e de muita pressão popular, Pedro Parente pede demissão da Petrobras”.

Para o deputado Décio Lula Lima (PT-SC), líder da Oposição no Congresso, “o DNA da crise dos combustíveis, o tucano Pedro Parente, caiu. A política entreguista de vender o petróleo e a Petrobras às multinacionais petroleiras foi desmascarada. Vitória do povo brasileiro, dos caminhoneiros e dos petroleiros!”, escreveu no seu twitter. Ele ainda pediu: “Agora queremos a redução real no preço da gasolina”.

O deputado Reginaldo Lula Lopes (PT-MG) considerou que foi uma vitória Pedro Parente pedir demissão da Petrobrás. “Uma vitória das mobilizações que criticaram esse modelo econômico totalmente voltado para o mercado financeiro. O governo Temer deixa uma triste página em nossa história, que precisa logo ser virada”.

E na avaliação do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), Pedro Parente foi o principal responsável pela política de reajustes de preços na Petrobras, que levou o País ao caos, com desabastecimento e paralisia em todas as regiões. E destacou: “Pedro Parente é quadro orgânico do PSDB”.

Demissão – Pedro Parente pediu demissão do cargo de presidente da Petrobras. Ele comunicou ao presidente da República, Michel Temer (MDB), nesta sexta-feira (1º/6), durante reunião no Palácio do Planalto. O encontro ocorre após o governo lançar medidas com custo de R$ 13,5 bilhões para baixar o preço do diesel e ajudar a encerrar a greve dos caminhoneiros.

O Conselho da Petrobras deve indicar um presidente interino nos próximos dias. Ainda de acordo com o comunicado divulgado, a diretoria executiva da companhia não sofrerá qualquer alteração.

Vânia Rodrigues, com agências

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Cooperação entre procuradores americanos e brasileiros contra Lula foi ilegal e não passou pelo Ministério da Justiça

Em uma vitória da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministério da Justi…