Home Portal Notícias Bohn Gass denuncia crime de responsabilidade de Temer

Bohn Gass denuncia crime de responsabilidade de Temer

6 min read
0

O deputado Lula Bohn Gass (PT-RS) denunciou no plenário do Congresso Nacional, nesta terça-feira (15), que o presidente ilegítimo Michel Temer cometeu crime de responsabilidade ao editar medida provisória (MP 826/18) que cria cargos fora do amparo legal determinado pela Constituição Federal e pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A MP em questão, editada em abril, criou um total de 67 novos cargos na estrutura do Poder Executivo para dar suporte à intervenção federal no Rio de Janeiro.

O parlamentar fez a denúncia por ocasião da votação de dois projetos de lei do Congresso Nacional (PLN 6 e PLN 7), que, segundo Bohn Gass, representam uma tentativa do governo em dar um verniz de legalidade à MP. Por meio desses projetos, o governo ainda propôs a criação de outros 164 cargos para o Ministério Extraordinário de Segurança Pública, além dos 67 anteriormente já criados para o gabinete do interventor federal, num total de 231.

“A Constituição é clara, no seu artigo 169: criação de cargos somente poderá ser feita se houver dotação orçamentária e se houver autorização específica da LDO. Isso diz a Constituição. O que diz a nossa LDO? A LDO é clara: para atendimento deste dispositivo da lei, precisa estar constante dos anexos específicos da LOA, a Lei Orçamentária de 2018. Portanto, se não está na LOA, é crime”, explicou Lula Bohn Gass.

Para detalhar ainda mais o crime, o deputado petista lembrou que a legalidade da criação dos cargos só existiria se o governo tivesse obedecido o que determina a LOA: deverá haver proposição amparada cuja tramitação tenha se iniciado no Congresso Nacional até 31 de agosto de 2017. “Pois bem, não está aqui. Então, o governo cometeu um crime mandando a medida provisória. Agora, ele quer corrigir isso, só que é tarde. É tarde! O crime já foi cometido”, afirmou.

O parlamentar também criticou a base do governo por ser conivente com um crime de responsabilidade explícito de Michel Temer, mas ter afastado a presidenta legitimamente eleita, Dilma Rousseff, sem que houvesse crime de responsabilidade. “Condenaram Dilma apenas por uma alteração técnica, contábil, porque havia uma vontade política de afastá-la, para venderem o País, para criarem desemprego, para acabarem com o conteúdo nacional, para entregarem o pré-sal. Vossas Excelências podem olhar agora: Temer cometeu crime”, apontou Bohn Gass.

Ele chamou atenção do plenário para a responsabilidade dos parlamentares com relação ao teor do que estava em votação. “É muito grave o que está acontecendo com o PLN 6 e com o PLN 7. Eles tentam corrigir o incorrigível, porque a MP está posta. É a Medida Provisória 826, que cria cargos para um governo que chegou ao poder dizendo que havia ministérios demais, e cria ministérios; dizendo que havia cargos demais, e cria cargos”, alertou.

Outra crítica às propostas em pauta é que os recursos envolvidos, no total de R$ 20,9 milhões em 2018 e de R$ 23,2 milhões em 2019, virão do cancelamento de cargos no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Apesar da denúncia e de todas as advertências, a base do governo aprovou os dois PLNs, que seguem agora para sanção.

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

População continua sem médicos após saída de cubanos

A vacância de 30% do total de vagas do Mais Médicos revela que a descontinuidade do progra…