Home Portal Notícias Manchetes Seminário formula propostas de desenvolvimento rural sustentável

Seminário formula propostas de desenvolvimento rural sustentável

7 min read
0

Os compromissos agrários do Partido dos Trabalhadores e o desenvolvimento sustentável do Brasil estão em debates nesta segunda-feira (14) em seminário organizado pela Secretaria Agrária Nacional do PT, em conjunto com a Secretaria Nacional de Meio Ambiente e com as bancadas do PT na Câmara e no Senado. “O PT está em processo interno de elaboração do Plano Lula de Governo e este evento vem contribuir para que possamos formular propostas que permitam que o País se desenvolva com sustentabilidade”, afirmou o deputado Nilto Lula Tatto (PT-SP), secretário nacional do Meio Ambiente e que presidiu a abertura do evento, em Brasília.

O deputado Patrus Lula Ananias (PT-MG), secretário nacional Agrário do partido, destacou os retrocessos do governo golpista de Temer para o setor e os prejuízos e retrocessos ambientais. “Além de congelar os gastos sociais do País, esse governo está entregando tudo, querem privatizar até a água, por meio da privatização da Eletrobras”, denunciou. Ele destacou a importância desse seminário para um futuro governo Lula. “Precisamos refletir sobre a agricultura e a agroindústria, sem perder a função social da terra”, defendeu.

Na avaliação da vice-presidente nacional da CUT, Carmem Foro, “a agricultura brasileira perdeu muito desde o golpe, e temos no Congresso projetos que representam retrocessos como o que flexibiliza o uso dos agrotóxicos, o da venda da água, e o das sementes… Temos que compreender esses perigos para superá-los”, defendeu.

A vice-presidente da CUT Brasil destacou ainda que no Brasil há muita concentração de terra. “Enquanto temos um País com grande produção de alimentos, a visão dos entreguistas é a de vender a nossa água e as nossas terras aos estrangeiros”, lamentou. Ela informou que, para também contribuir com o Plano Lula de Governo, a CUT vai realizar debates sobre a temática nos dias 18, 19 e 20. “É hora de muito diálogo e formulação, olhar o que se construiu e preparar para fazermos ainda mais e melhor”, afirmou.

Thomas Manz, representante Fundação Friederich Ebert Stiftung, falou da importância de se discutir sustentabilidade nesse momento de renovação política e defendeu o desenvolvimento rural sustentável como agenda central da pauta da esquerda brasileira. “Nos outros governos do PT a preocupação foi com o crescimento e a distribuição de renda para avançar nas políticas sociais. O tempo agora é de pensar na sustentabilidade”, sugeriu. Ele disse que a agricultura é fundamental para a economia brasileira e mundial, mas alertou que é preciso conservar e proteger as riquezas naturais.

Plano de Governo – O secretário nacional de Desenvolvimento Econômico do PT e um dos coordenadores do Plano Lula de Governo, Renato Simões, participou da abertura do seminário e explicou a construção do programa, que seguiu dois parâmetros básicos: a Resolução do VI Congresso do partido e as propostas e sugestões acumuladas pelo próprio ex-presidente Lula nas caravanas pelo Brasil. “Temos o diagnóstico pós-golpe para sabermos no que é necessário avançar, o que precisa ser reconstruído e o que precisa ser anulado”, explicou. Ele reforçou que a exemplo das secretarias nacionais Agrárias e do Meio Ambiente, os setoriais do partido continuam convocados para aprofundar e detalhar as propostas para o Plano Lula de Governo.

Renato Simões enfatizou que o programa de governo é um capítulo de resistência ao Estado de exceção que o País vive desde o golpe que retirou a presidenta legitimamente eleita Dilma Rousseff do Poder. “Vivemos um momento de rompimento da Constituição Federal, pelo condomínio golpista, que exige um programa democrático e popular com radicalidade. Não estamos só encerrando uma fase golpista (…) o nosso plano não reconhecerá a legitimidade das revogações de direitos e sucateamento das políticas pública”, avisou.

Parceiros – O seminário Desenvolvimento Rural Sustentável foi organizado em parceria com as fundações Perseu Abramo e Friederich Ebert Stiftung e contou com a colaboração do Núcleo Agrário da Bancada do PT na Câmara.

 

Vânia Rodrigues

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Para defender sua política ambiental, Bolsonaro usa dados de governos do PT

No mesmo dia em que Bolsonaro discursou na ONU negando as queimadas na Amazônia e Pantanal…