Home Portal Notícias Lula Livre MTST ocupa tríplex: “Se não é do Lula por que prendeu?”

MTST ocupa tríplex: “Se não é do Lula por que prendeu?”

5 min read
0

O Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST) ocupou na manhã desta segunda-feira (16) o tríplex em Guarujá, litoral sul paulista, atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O imóvel é objeto de leilão para efeito de quitação de dívidas da OAS, o que comprova a sua posse pela empreiteira. A ação repercutiu inclusive na imprensa internacional, como o jornal inglês The Guardian.

 

No ato da ocupação, o MTST manda recados para o sistema judiciário, que forçou a denúncia como forma de associar Lula a atos de corrupção na Petrobras – único meio de o processo ficar a cargo do juiz Sérgio Moro. “Se é do Lula é nosso. Se não é por que prendeu?

 

Em manifestações, Lula já havia sugerido ao MTST que ocupasse o imóvel. O líder do movimento e pré-candidato do Psol à Presidência da República Guilherme Boulos, tem sido um defensor da liberdade de Lula e de seu direito de disputar a eleição.

 

Por voltas das 11h50 os manifestantes desocuparam o apartamento. De acordo com Josué Rocha, coordenador nacional do MTST, a Polícia Militar ameaçou realizar a reintegração de posse com violência, então decidiram deixar o local.

 

Ocupação do triplex – Segundo Boulos, a condenação do ex-presidente ocorreu sem provas e é fruto de um processo “viciado”, conduzido a partir de uma culpa já pré-estabelecida. “A condenação do Lula, na semana passada, pelo Sérgio Moro, na medida em que foi uma condenação sem provas, na medida em que, desde o princípio, o processo foi conduzido com presunção de culpa, de maneira viciada, foi uma condenação política, e não jurídica”, afirmou.

 

A própria força-tarefa da Operação Lava Jato admite não ter conseguido comprovar a posse ou uso da unidade pelo ex-presidente. A base da denúncia tem é um testemunho premiado do dono da construtora, Léo Pinheiro, que chegou a mudar depoimento – depois de ter negado num primeiro momento – associação de Lula ao tríplex.

 

Pinheiro aceitou acordo com o Ministério Público com objetivo de amenizar sua punição por prática de corrupção. A condenação decretada por Moro acabou levando em conta “atos de ofício indeterminados” e a convicção do procurado Deltan Dallagnol.

 

O processo deixou perplexo o meio acadêmico e jurídico pela inconsistência e pelo cerceamento do direito de defesa.

 

Repercussão internacional – O jornal inglês The Guardian publicou matéria assinada pelos jornalistas Sam Cowie e Tom Phillips, onde destaca que o apartamento que é centro da acusação contra Lula foi ocupado por movimento de moradia.

O jornal também destacou que, de acordo com pesquisa de opinião divulgada neste domingo (15), “Lula continua a liderar a corrida eleitoral com mais do que o dobro das intenções de voto do que do que seu rival mais próximo”.

Rede Brasil Atual

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Após dois anos, Moro poderá ser julgado por crimes contra a Constituição; Paulo Pimenta vê blindagem do CNJ ao juiz da Lava Jato

Após dois anos da divulgação ilegal das conversas telefônicas da Presidenta Dilma Rousseff…