Home Portal Notícias Lula pelo Brasil Jornalista recebe ameaças por ter criticado ataque à caravana de Lula no Sul

Jornalista recebe ameaças por ter criticado ataque à caravana de Lula no Sul

6 min read
0

O jornalista e radialista Marcos Rogério Weber, apresentador do noticiário na rádio comunitária Palmeira FM, de Palma Sola (SC), foi ameaçado por fazendeiros e comerciais locais, nesta quinta-feira (12), por ter feito críticas aos ataques contra a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos estados da região Sul, entre 19 e 28 de março.

Ao entrar na cidade de São Miguel do Oeste, cidade vizinha a Palma Sola, os ônibus da caravana de Lula foram alvo de pedras, paus, ovos e outros objetos lançados por pessoas à beira da rodovia. O ataque foi organizado previamente por empresários da região, os mesmos que na manhã desta quinta-feira invadiram a sede da rádio Palmeira para ameaçar Weber, que registrou o episódio em vídeo e fez denúncia junto à Polícia Militar e à Polícia Civil de Palma Sola.

Em seu programa do dia 26 de março, Weber criticou as hostilidades à comitiva do ex-presidente, mas também deixou claro que é contrário a ataques a quem quer que seja. “Não importa qual lado político é. Se amanhã vier o Michel Temer aqui em São Miguel, eu também não concordo que alguém vá lá atirar ovo. Se amanhã vier o Aécio, que é considerado lá o caboclo com um monte de rolo, eu não concordo… eu, Marcos, não pegaria ovo para jogar nele”, registrou o jornalista, que atribuiu a violência contra os petistas a “alguns filhinhos de papai nascidos em berço de ouro”.

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), acionou a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, presidida pelo deputado Luiz Couto (PT-PB), para que as providências cabíveis sejam tomadas, no sentido de proteger a integridade física de Weber e garantir a sua liberdade de expressão enquanto profissional de comunicação.

“Não podemos admitir que, além da violência que cometeram contra a caravana, esses milicianos criminosos atentem contra a vida de um jornalista e contra a liberdade de expressão. Essa turma fascista precisa entender que não pode usar a violência para resolver qualquer diferença de opinião política. Vamos acioná-los juridicamente e eles terão que responder por toda a violência e todos os crimes que praticaram e continuam praticando”, afirma Pimenta.

O líder petista registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil de São Miguel do Oeste logo após o ataque à caravana, que causou avarias em várias janelas dos ônibus da comitiva. Graças aos vídeos publicados na Internet, foram identificados Luiz Henrique Crestani, Leonardo Link e Rafael Link entre os promotores do ataque aos ônibus e seus nomes foram registrados na ocorrência policial. Os três também estiverem presentes na invasão da rádio Palmeira FM e aparecem no vídeo gravado por Marcos Rogério Weber.

Boicote – O grupo de ruralistas responsável pelo ataque à caravana e pelas ameaças ao jornalista também está promovendo um boicote na região contra a rádio comunitária. Em mensagem distribuída pelas redes sociais e assinada por “Luiz Henrique”, o grupo pede que todos os comerciantes locais “retirem tudo o que tiverem de anúncios, patrocínios ou qualquer outra ajuda a esta rádio”. No meio acadêmico é consenso que boicotes econômicos a meios de comunicação são considerados uma forma indireta de censura.

Assista ao vídeo com as ameaças ao jornalista:

Ouça o comentário do jornalista que gerou as ameaças:

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Mujica critica “prisão injusta” de Lula em ato de campanha no Uruguai

Neste sábado (19), no último ato do seu partido na campanha para as eleições do Uruguai, o…