Home Portal Notícias Manchetes Derrubada de veto a Refis rural beneficia agricultores familiares

Derrubada de veto a Refis rural beneficia agricultores familiares

4 min read
0

Congresso Nacional rejeitou nesta terça-feira (3) o veto presidencial a dispositivos do projeto de lei (PLC 165/2017) que deu origem à lei que instituiu o Programa de Regularização Tributária Rural. O chamado Refis rural permite a renegociação das dívidas de produtores rurais (Lei 13.606/18). O deputado Afonso Florence (PT-BA) encaminhou o voto favorável da bancada, explicando que a renegociação é fundamental para a agricultura familiar.

“A renegociação das dívidas dos pequenos agricultores, por estar em um veto em globo, com o Refis do Funrural, votamos tanto pela renegociação da agricultura familiar como do agronegócio. Não podíamos prejudicar os pequenos e nem as cooperativas, como a Crehnor”, argumentou Florence. Ele acrescentou ainda que a renegociação é a garantia para que os agricultores possam plantar, produzir e colocar alimento na mesa dos brasileiros.

O deputado Bohn Gass (PT-RS), ao defender a derrubada do veto, disse que quando o agricultor fica com uma dívida, não é culpa dele. “O agricultor familiar coloca a semente na terra, planta, e, aí, vem uma intempérie, e ele não consegue colher; ou juros: o negócio não permite que ele possa fazer o pagamento da sua dívida. Então, é justo que esse agricultor possa ter, sim, a renegociação da sua dívida”.

O deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) e o senador Paulo Rocha (PT-PA) também destacaram a importância de se garantir a renegociação das dívidas dos pequenos produtores rurais. Pellegrino lembrou que nos governos Lula e Dilma “nós tivemos quatro renegociações para os pequenos agricultores do semiárido, inclusive com rebate de 70%, com dinheiro novo e crédito novo. Portanto, não compreendemos porque o governo Temer vetou à renegociação”.

Agricultura Familiar – Com a derrubada dos vetos, os agricultores familiares poderão repactuar suas dívidas com o Banco do Brasil, Banco do Nordeste e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Eles também terão maiores prazos e descontos em multas e juros para liquidarem débitos. A renegociação também vale para dívidas junto as superintendências de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e da Amazônia (Sudam).

Vânia Rodrigues

Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Depoimento de Lula na Justiça Federal comprova perseguição, avaliam petista

Parlamentares da Bancada do PT se revezaram na tribuna da Câmara, na tarde desta quarta-fe…