Home Portal Notícias Lula pelo Brasil Rosário pede federalização das investigações do atentado à Caravana Lula

Rosário pede federalização das investigações do atentado à Caravana Lula

7 min read
0

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) se reuniu no fim da tarde desta terça-feira (27) com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para cobrar proteção para a Caravana Lula pelo Brasil, que encerra a jornada de dez dias pelos estados da Região Sul nesta quarta-feira (28), em Curitiba. “Fomos cobrar também o fato de os governos estaduais e federal não terem atendido as solicitações que fizemos para garantir a segurança da calar. A falta de prevenção resultou no atentado a ônibus da comitiva. Foi um atentado político”, afirmou.

Maria do Rosário disse que a violência de grupos minoritários, mas fortemente armados, já tinha sido registrada no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina e que a caravana seguiu normalmente, apesar disso. “Desde o início, nós vimos que eles carregavam armas de fogo, mas hoje foram deferidos tiros contra os veículos da caravana. Isso não tem outro nome. É atentado. Atiraram, usaram armas de fogo contra lideranças políticas. É um atentado político o que tivemos no Paraná”, reforçou.

Investigação – A deputada disse que pediu ação imediata do ministro Jungmann para garantir a segurança da caravana, mas já adiantou que é preciso federalizar as investigações sobre o atentado. “Não confio no governador do Paraná, Beto Richa, (PSDB) nesse momento. Eu observo que ele tinha todas as razões para ter se adiantado e tomado as ações preventivas e não o fez por ter uma posição política diferente da nossa. Ele sabia dos riscos de vida do Lula, dos parlamentares, dos jornalistas, dos militantes e dos convidados que acompanham a caravana e não tomou atitude. Então, o governo federal não venha dizer que não vai federalizar as investigações”, enfatizou.

Maria do Rosário informou que a Bancada certamente vai representar junto ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal, porque é assim que começam os atentados políticos. “Quando as autoridades não tomam o seu papel, independentemente de quem e de qual pensamento político está sofrendo a violência, começam os atentados, as guerras”. Acrescentou ainda que o ideal é que as investigações sejam executadas por profissionais independentes e não por promotores e agentes policiais que “usam redes sociais para atacar, facilitando para golpistas”. “Vamos tratar isso com a gravidade que merece”, reforçou.

Documento – A deputada Maria do Rosário também entregou, na noite desta terça-feira, um documento ao presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), solicitando providência contra a recente violência política. No documento assinado por ela e também pelo líder em exercício da Bancada do PT, deputado Wadih Damous (RJ), cita o caso Mariella, vereadora e defensora dos direitos humano assassinada recentemente no Rio de Janeiro. “A violência abominável contra a Marielle tem contornos políticos, ela acompanhava a intervenção militar no Rio. Esse contexto político de ódio do País, em que os fascistas estão ocupando espaço é o mesmo. O ódio está substituindo o debate político”, lamentou.

O documento, explicou Maria do Rosário, é para que a Câmara dos Deputados cumpra o seu papel institucional, assegure o direito de exercício dos mandatos, que, segundo a deputada, está em risco também. Hoje lá no Paraná, além de Lula estavam os deputados do Zeca Dirceu (PT-PR) e Enio Verri (PT-PR), além do líder da Bancada, deputado Paulo Pimenta (RS). “Eles estão sendo feridos no exercício das suas atribuições políticas como parlamentares e autoridades federais”, denunciou.

No documento Rosário e Damous solicita ainda que a Câmara combata o ódio contra a vida política do País. “Pedi que o presidente Rodrigo Maia exija de todos os poderes da República, em todas as esferas da Federação, ações que sejam praticadas para a garantia da pluralidade política no Brasil, com a punição e responsabilização de todos os que agridem qualquer um por motivos políticos. Porque é isso que está em curso no Brasil atual”, concluiu.

Vânia Rodrigues

Foto-Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

 

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT cobra da PGR suspensão de edital cultural da Eletrobrás por suspeita de direcionamento

Bancada do PT na Câmara protocolou nesta sexta-feira (16), na Procuradoria-Geral da Repúbl…