Home Portal Notícias Manchetes CUT e movimentos estarão com Lula na Paulista no dia 24

CUT e movimentos estarão com Lula na Paulista no dia 24

6 min read
0

No próximo dia 24, a CUT, sindicatos, federações, confederações e movimentos sociais ligados às frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo estarão ao lado de todos aqueles que defendem a democracia.

Na cidade de São Paulo, a atividade será a partir das 17h, em frente ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na Avenida Paulista, e contará ainda com artistas, intelectuais e o próprio Lula.

Os atos em São Paulo e na cidade de Porto Alegre (RS) serão as principais ações no país no dia em que ocorre o julgamento, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), do recurso no processo referente ao caso do tríplex do Guarujá (SP), parte da Operação Lava Jato. Mas, além dessas ações, vigílias e protestos já estão agendados em vários municípios brasileiros.

Para lideranças como o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, o principal crime de Lula é ser líder das pesquisas de intenção de votos e o julgamento poderá condenar alguém inocente, num caso sem provas ou testemunhas que evidenciem ilegalidades, tratando-se, portanto, de uma perseguição política.

“É a disputa de um projeto para um país subordinado aos interesses do grande capital internacional – um país para poucos -, contra a de um país soberano, com indústria e agricultura nacional pujante, geração de emprego e distribuição de renda, um país para todos e todas. É disso que se trata essa perseguição.”

Presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo reforça o direito de o povo brasileiro ser o verdadeiro juiz a julgar Lula nas próximas eleições. “O julgamento é apenas uma parte da disputa que os movimentos estão dispostos a fazer neste ano. A partir do dia 25, seja qual for a decisão do tribunal, a nossa luta continua”, alerta do dirigente.

A afirmação dos presidentes mostra que a disputa tende a se acirrar, como também confirma o manifesto em favor de Lula que já atingiu até o momento a marca de 182.060 assinaturas, com apoiadores do Brasil e de outros países.

Assim tem início o ano de 2018 que, na avaliação da presidenta da União Estadual dos Estudantes de São Paulo, Nayara Souza, repete um dos maiores desafios da história do povo brasileiro, o de defender o Estado Democrático de Direito.

“É momento de mostrar ao país todo que só a força do povo pode mudar. Espalhar esperança e defender a jovem democracia que em toda a nossa história, foi tão maltratada. O direito de expressão, de opinião e de liberdade. O direito à democracia é muito caro para nós e não abriremos mão. Defender o direito de Lula ser candidato é defender a legalidade, é defender esse Brasil: justo”, afirma.

Para Matheus Gringo, da direção estadual do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o programa do golpe em curso no Brasil está relacionado também com a crise do capitalismo mundial. E, para a superação desta crise, avalia, o capital exige o aprofundamento da exploração da classe trabalhadora.

“A perseguição pela qual tem passado o ex-presidente Lula e a tentativa de impedi-lo de disputar as eleições presidenciais neste ano demostram que ele ainda simboliza para a população brasileira a possibilidade de construção de um projeto nacional de superação da crise do capitalismo sem o aprofundamento da retirada de direitos da classe trabalhadora”, destaca.

Site da CUT

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Prazo curto para aprovação do Fundeb coloca entidades da Educação em alerta

Após aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização d…