Home Portal Notícias Seminário aponta crescimento de violações aos direitos humanos no País

Seminário aponta crescimento de violações aos direitos humanos no País

7 min read
0

Representantes de entidade da sociedade civil e do Ministério Público apontaram nesta quarta-feira (6) o agravamento do quadro de violações aos direitos humanos em todo o País. Durante seminário realizado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara, que debateu o tema “Direitos Humanos no Brasil: violações e resistências nos 69 anos da Declaração Universal de Direitos Humanos”, os palestrantes relataram que o golpe contra a democracia estimulou os retrocessos. O evento foi proposto pelo deputado Patrus Ananias (PT-MG) e presidido pelo presidente da CDHM, deputado Paulão (PT-AL).

Para o Presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), Darci Frigo, o Estado brasileiro foi capturado pelo grande capital e, com isso, os direitos humanos foram relegados a segundo plano.

“O desmonte do Pacto Constitucional de 1988 estimulou as violações aos direitos humanos, e isso representa um projeto de poder. Também faz parte desse projeto a Emenda Constitucional que congela os investimentos por 20 anos (EC 95), inclusive em políticas de direitos humanos. O Estado foi capturado pelo capital, e esse capital deseja um estado mínimo para atender a população em seus direitos, e um estado máximo para atender os interesses do grande capital”, explicou o dirigente.

Segundo ele, na lógica dessa prioridade o governo Temer vai consequentemente deixar de atender direitos humanos básicos da população como acesso ao trabalho, à moradia, educação, saúde. Apesar do prognóstico, Frigo relatou que o CNDH continuará sendo espaço para debater todo tipo de violação. “Estaremos juntos com os conselhos estaduais denunciando todos os casos de violações dos DH, inclusive de violência no campo e na cidade e contra mulheres, negros, jovens, índios, quilombolas e população LGBT”, afirmou.

Já a Procuradora Federal dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal, Débora Duprat, relatou algumas das ações promovidas pela procuradoria na preservação dos direitos existentes.

“Na educação, contestamos a constitucionalidade do projeto Escola Sem Partido porque entendemos que as escolas devem ser espaços plurais, sem censura e de respeito aos professores. Na saúde, combatemos a liberação dos planos de saúde populares que enfraquecem o SUS em troca da criação de planos de cobertura duvidosa. Conseguimos suspender no STF acordão do TCU que paralisou a reforma agrária, e representamos contra a portaria do ministério do Trabalho que flexibiliza o conceito de trabalho escravo”, apontou.

A Procuradora informou ainda que o MPF também moveu ações para garantir o direito à livre manifestação, o direito à liberdade de atividades artísticas e religiosas, e para contestar propostas do governo Temer que retiram direitos da população, como no caso das reformas Trabalhista e da Previdência, além da Emenda Constitucional do Teto de Gastos.

Tortura– Apesar dos retrocessos em diversas áreas, a coordenadora do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura do Ministério dos Direitos Humanos, Luz Arinda Alves, reconheceu que a lei 12.847/13- assinada pela então presidenta Dilma Rousseff- garante avanços no setor.

“Por conta desse sistema, temos hoje uma equipe de 11 peritos e peritas que fiscalizam unidades de privação de liberdade. No relatório de 2016/2017 foram identificadas 70 unidades que violam os direitos humanos praticando a tortura, seja física ou psicológica”, ressaltou.

Também compareceram ao seminário os deputados petistas Maria do Rosário (RS), Nilto Tatto (SP) – presidente da Comissão de Meio Ambiente, e Padre João (MG). O seminário contou ainda com as palestras do representante do Comitê Goiano de Direitos Humanos, Pedro Wilson, do vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Jecé Brandão, e da representante da Diocese Anglicana de Brasília, reverenda Tatiana Ribeiro.

Héber Carvalho

 

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Sociedade espera acertar nas urnas as contas do golpe, diz Décio Lima

Em artigo publicado no site 247 desta sexta-feira (23), o deputado Décio Lima (PT-SC) anal…