Home Portal Notícias Governo Temer conclui entrega do pré-sal às multinacionais do petróleo

Governo Temer conclui entrega do pré-sal às multinacionais do petróleo

6 min read
0

Em mais uma demonstração de desprezo a soberania nacional, o governo Temer e a base aliada aprovaram definitivamente na noite desta terça-feira (5) a medida provisória (MP 795/17) que, ente outros pontos, isenta as multinacionais petrolíferas estrangeiras da cobrança de tributos sobre a importação de bens e maquinários adquiridos no exterior para a exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural, principalmente do pré-sal. A renúncia em impostos está estimada em R$ 1 trilhão nos próximos 20 anos. A MP segue agora para a análise do Senado.

Após uma longa batalha em plenário que durou até a madrugada, os aliados de Temer derrubaram os destaques e emendas defendidas pelo PT – e outros partidos de oposição – tentando impedir a isenção fiscal. Além desse ponto, a Bancada do PT apresentou destaque alterando artigo da MP que isenta as empresas que alugam navios para as petroleiras e que, simultaneamente, prestam serviços técnicos especializados. O texto do governo abre mão do recolhimento de tributos como a Cide, PIS/Pasep – Importação e Cofins – Importação. Atualmente, os serviços técnicos estão sujeitos a Cide e o no caso do PIS/Cofins, não há isenção para serviços técnicos.

Para o líder da Bancada do PT, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), a MP de Temer desmascara o falso discurso do governo de que é necessário aprovar a Reforma da Previdência para não comprometer o caixa do governo nos próximos anos.

“Abater integralmente da base de cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) os custos das petroleiras com a exploração do petróleo e gás é muito grave. Essa MP se encaixa na estratégia de entregar o petróleo brasileiro ao mercado internacional. Enquanto abdica de R$ 1 trilhão em arrecadação, esse governo fala que o trabalhador é privilegiado (nas aposentadorias). Privilegiados serão as multinacionais, que não pagarão imposto. Isso sim é privilégio”, ressaltou.

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), também criticou as benesses concedidas as empresas de petróleo. Segundo ele, a Lei da Partilha na exploração do pré-sal (Lei 12.531/10), promulgada no governo Lula, já previa o lucro na exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos, mas preservando o interesse nacional.

“A lei da Partilha já prevê que a empresa petrolífera que explorar o petróleo terá lucro com a comercialização da produção. Agora vem o governo Temer e duplica esse lucro ao também isentar os custos de produção. Como o governo pode abdicar de recursos da ordem de mais R$ 1 trilhão? Isso é duas vezes o rombo na Previdência que esse governo diz existir. Essa MP não é benéfica ao País”, declarou.

Outros destaques – O PT ainda apresentou emenda para isentar de tributos federais os bens nacionais que se destinam à exploração, desenvolvimento e produção de gás e petróleo. A proposta foi de autoria do deputado João Daniel (PT-SE). A bancada também tentou aprovar destaque garantindo competitividade aos bens nacionais destinados à exploração de petróleo e gás, e criando uma limitação para a suspensão do PIS/Pasep, da Cofins e do IPI na aquisição de matérias-primas, produtos intermediários e materiais de embalagem que entrem no processo produtivo de bens que se destinam à exploração do setor.

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Sociedade espera acertar nas urnas as contas do golpe, diz Décio Lima

Em artigo publicado no site 247 desta sexta-feira (23), o deputado Décio Lima (PT-SC) anal…