Home Portal Notícias Damous defende mais rigor em delações premiadas

Damous defende mais rigor em delações premiadas

2 min read
0

O empresário Joesley Batista, dono da J&F, ficou em silêncio durante a oitiva na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, na manhã desta terça-feira (28). A reunião foi conjunta com a CPI do BNDES, do Senado.

O deputado Wadih Damous (PT-RS), membro da CPMI, esperava que o empresário fizesse um acordo para ser ouvido reservadamente e contribuísse com os trabalhos da comissão. No entanto, disse Damous, a CPMI já reuniu um acervo importante para se preparar um relatório final.

O parlamentar fluminense lembrou que ele já está em vias de terminar seu relatório em relação às delações premiadas e ao aperfeiçoamento do processo legislativo nessa parte do instituto da delação. Ele lembrou ainda que nesta semana a CPMI vai ouvir o advogado Marcelo Miler e na quinta-feira (30) o Advogado Rodrigo Tacla Durán.

A expectativa de Damous é que o depoimento de Tacla Durán à CPMI será uma oportunidade para revelar ao Brasil as entranhas de um sistema que “parece apodrecer antes mesmo de se tornar maduro, que é a delação premiada”.

Segundo o deputado, a partir desse depoimento será possível mostrar ao povo brasileiro como se dá o mecanismo das delações, “o que, na maior parte das vezes, desrespeita os direitos e garantias fundamentais, desrespeita procedimentos legais e isso reforça a tese de que é preciso ter mais rigor no instituto da delação premiada”.

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PIB cai 1,5% e fracasso, enfim, sobe à cabeça de Guedes

Ministro da Economia admite agora que economia brasileira não vinha bem. “A impressão que …