Home Portal Notícias Manchetes Temer precisa mostrar que tem 342 votos, diz Oposição

Temer precisa mostrar que tem 342 votos, diz Oposição

5 min read
0

Líderes da oposição na Câmara, encabeçados pelo líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), afirmaram, em entrevista coletiva, que caberá ao presidente ilegítimo Michel Temer a responsabilidade pelo quórum na votação, em plenário, das denúncias de obstrução de justiça e organização criminosa que pesam sobre seu ombro. A votação está prevista para esta quarta-feira (25). Em reunião com representantes de movimentos sociais, nesta terça-feira (24), os líderes também denunciaram o balcão de negócios montado pelo governo para barrar a denúncia.

Foto: Gustavo Bezerra

“A responsabilidade de dar quórum é do governo. É claro que, se o governo der quórum, nós vamos fazer a disputa política, na dimensão que precisa ser feita, porque o problema é político. Esse governo não reúne mais condições moral, institucional e política para continuar governando o Brasil”, afirmou Guimarães.

O líder Guimarães adiantou que a estratégia central da oposição é não dar quórum para a votação e que vai seguir dialogando com os 227 parlamentares que votaram pela aceitação da denúncia contra Temer para que não marquem presença e nem compareçam à Casa. “Esse é o melhor caminho para cada um se preservar. Não vir na Casa, não dar presença para que, assim, o governo mostre sua cara, mostre sua força”, adiantou Guimarães.

Dessa forma, acredita Guimarães, o ilegítimo será forçado a apresentar os 342 votos necessários para dar início à votação do parecer aprovado na Comissão de Constituição de Justiça da Câmara, que rejeitou a continuidade da investigação pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“As insatisfações são crescentes e o Governo está apavorado porque a cada momento perde votos. Deputados não querem votar e estamos otimistas para conseguirmos o intento principal, que é derrotar o governo”, considerou Guimarães.

Balcão – Denunciou o líder da Bancada do PT, deputado Carlos Zarattini (PT-SP) o “balcão de negócios” montado pelo ilegítimo, no Palácio do Planalto. “Sabemos que ele está negociando emendas e, na semana passada, houve fortes negociação de cargos. Não é possível continuar esse estado de coisa. Um governo que tem uma denúncia desse tamanho para ser investigada não pode continuar exercendo o poder na base de uma maioria parlamentar alimentada por cargos e emendas”, protestou o líder do PT.

Foto: Gustavo Bezerra

O líder do PDT, deputado Weverton Rocha (MA) afirmou que o governo não tem 342 votos necessários para barrar seu afastamento. “Acreditamos que, se amanhã, a sessão cair, teremos mais uma semana ou 10 dias para conseguirmos criar o ambiente necessário para contaminar de forma positiva a nossa população”, alegou o deputado, se referindo à força da mobilização popular para barrar a continuidade do governo golpista.

Benildes Rodrigues

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Milhões de trabalhadores devem ir às ruas em defesa do serviço público de qualidade

Diante dos ataques que Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes…