Decisão do STF suspende ato que paralisou reforma agrária

0

O deputado João Daniel (PT-SE) classificou como um ato de justiça a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que suspendeu o acórdão 775/2016 do Tribunal de Contas da União (TCU), que desde abril do ano passado sustou todas as políticas do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA), prejudicando milhares de famílias assentadas e acampadas em todo país. A partir da publicação desse ato do TCU, os assentados ficaram sem poder acessar qualquer política pública agrária e foi impedida a seleção de novos beneficiários para o PNRA.

Depois de muita luta dos parlamentares que integram o Núcleo Agrário do Partido dos Trabalhadores, que estiveram reunidos com ministros do STF e com a Procuradoria Geral da República, a PGR entrou com essa ação que resultou nessa decisão do Supremo.

Em discurso na Câmara, na sessão dessa quarta-feira (13), o deputado João Daniel revelou que a decisão do ministro relator da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 478, Alexandre de Moraes, diz que o TCU, ao determinar a suspensão do PNRA, extrapolou sua competência constitucional, pois violou um preceito fundamental previsto nos artigos da Constituição que tratam da reforma agrária e do direito à moradia.

Em sua decisão, o ministro relator chega a afirmar que a decisão do TCU jamais poderia determinar a paralisação completa de ações governamentais – inclusive aquelas ainda não realizadas, pois planejadas para o futuro, que têm fundamento direto e expresso na Constituição, como é o caso da reforma agrária.

“As famílias assentadas e acampadas ficaram prejudicadas com essa decisão do TCU em suspender o Programa Nacional de Reforma Agrária, pois foram impedidas de acessar políticas públicas agrárias, assistência técnica, sem poder acessar o Garantia Safra do semiárido, sem financiamento do Pronaf, sem ter RB [Relação de Beneficiários] do Incra e assim paralisou o Brasil inteiro”, lamentou o deputado. Na avaliação do deputado João Daniel, com essa decisão do STF se faz justiça aos trabalhadores e trabalhadoras rurais de áreas de reforma agrária e comprova que não passava de mera perseguição a argumentação da bancada ruralista da existência de irregularidades entre as famílias assentadas, como forma de os setores conservadores tentarem inviabilizar, ainda no governo da presidenta Dilma Rousseff e que seguia até hoje estava válida.

Em abril de 2016, o TCU publicou o acórdão nº 775, através do qual tornou irregular o cadastro de 578 mil famílias já assentadas. A alegação seria a existência de irregularidades na seleção dos candidatos ao Programa Nacional de Reforma Agrária e que isso poderia ocasionar prejuízos financeiros aos cofres públicos. Por conta disso, tal decisão suspendeu a concessão de benefícios da reforma agrária para as famílias assentadas. Como consequências, milhares de famílias foram impedidas de acessar políticas públicas agrárias, como aposentadoria rural, assistência técnica e Plano Safra, além da suspensão da seleção de novos beneficiários para o programa e o assentamento de novas pessoas. Embora o Incra tenha prestado ao TCU todas as informações que foram solicitadas sobre o processo, nenhuma das justificativas foi acolhida.

O Núcleo Agrário do PT na Câmara dos Deputados oficiou presidente do TCU para que reconsiderasse o acórdão em agosto de 2016 e também, nesse mesmo período, oficiou o Ministério Público Federal para que tomasse providências. Em agosto desse ano, a Procuradoria Geral da República propôs a Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF), em razão da inconstitucionalidade do acórdão, requerendo a suspensão do acórdão e o reconhecimento da sua inconstitucionalidade, para que o PNRA possa ter continuidade.

Essa ação resultou na decisão do ministro relator do STF, que considerou que o TCU ao determinar a suspensão extrapolou sua competência constitucional e concedeu medida cautelar suspendendo a eficácia do acórdão do TCU, até o julgamento do mérito da ação.

AP

Leia mais artigos relacionados
Load More By Assessoria
Load More In Notícias
Comentários estão fechados

Leia Também

Diretório Nacional do PT divulga nova Resolução Política

O PT divulgou na noite desta sexta-feira (21) resolução política aprovada durante reunião …