Home Portal Notícias Artigos Temer sabota a ciência

Temer sabota a ciência

6 min read
0

Em artigo, o deputado Enio Verri (PT-PR) denuncia o indecente silêncio da imprensa sobre o desmonte da produção científica. “O mapeamento do vírus da zika, que matou milhares em 2016, e o único supercomputador brasileiro corre o risco de ser desligado”, escreve.

Leia a íntegra:

 

Os investimentos em educação e produção científica e tecnológica são prioridade para 100% das pessoas entrevistadas pelos mais destacados institutos de pesquisa. Associações de ciência e cientistas renomados de todo o país denunciam a plenos pulmões a inviabilização de produção científica a que Temer e sua camarilha estão condenando o Brasil, mas parece que vivemos em total normalidade de investimentos.

A imprensa hegemônica e, por conseguinte, a opinião pública de uma sociedade alienada e apática seguem silentes sobre o corte de 44% dos parcos R$ 6 bilhões para produção científica. Temer e seu bando interrompem bruscamente um processo de crescimento desejável para qualquer país que se pretenda soberano, o do número de pesquisadores em atividade.

Em 2006, eram 90.320, hoje são cerca de 200 mil. Segundo o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), de 2014 a 2016, houve um aumento de 11% no número de pesquisadores e 6% de grupos de pesquisa.

A demanda para a pesquisa científica aumenta e o governo extirpa a possibilidade do Brasil alcançar autonomia tecnológica sobre inúmeras áreas do saber científico. O próprio CNPq é um dos mais prejudicados. Da previsão de R$ 1,3 bilhão, o órgão terá de se virar com R$ 730 milhões. Um deliberado e aviltante desinvestimento no país.

Temer retira a capacidade de apropriação intelectual brasileira e isso significa divisas internacionais, sob royalties por desenvolvimento tecnológico. O corte produzirá uma reação geral de precarização na prestação de serviços diretamente à sociedade, por centros de pesquisa. A camarilha não apenas envergonha internacionalmente o Brasil, mas compromete sua existência como nação, que estará submetida às denominações das nações que dominam as tecnologias.

O centenário Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) está ameaçado de corte de fornecimento de energia elétrica. Caso isso aconteça, entidades como, Financiadora de Estudos e Projetos (Finep); Hospital dos Servidores do Estado; Instituto Nacional do Câncer; Hospital Federal de Bonsucesso, Instituto Nacional de Educação de Surdos, não terão como acessar a internet do Centro. Temer nega R$ 3 milhões ao CBPF.

O único supercomputador brasileiro listado entre as 500 máquinas mais potentes do mundo corre o risco de ser desligado. O Santos Dumont opera com 51 projetos de áreas, como: Engenharia, Física, Ciência da Computação, Meteorologia, Ciências da Saúde, Ciências Sociais, Geociências. Entre outras pesquisas sob ameaça de paralisação, está a do mapeamento genético do vírus da Zika, que matou, em 2016, quase mil brasileiros, e deixou milhares de crianças microcéfalas. Esse é um governo que prioriza a nação?

O estrago é muito maior, são centenas de Institutos federais, museus, observatórios espaciais que fazem parte de acordo de cooperação internacional. Os poucos avanços científicos e tecnológicos conquistados em menos de um século de investimento, mais notadamente durante os governos do Partido dos Trabalhadores (PT), estão sendo desconstruídos e parte da imprensa nacional se mantém calada.

*Enio Verri é deputado federal pelo PT do Paraná

Blog do Esmael

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Toda atuação de Moro contra Lula deve ser anulada, diz jurista

Integrante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a advogada Martír …