Home Portal Notícias Trabalhador vai pagar a conta do “rombo fiscal” de Temer

Trabalhador vai pagar a conta do “rombo fiscal” de Temer

4 min read
0

Deputados da Bancada do PT repudiaram nesta quarta-feira (16) o aumento do déficit fiscal anunciado pelo governo golpista para R$ 159 bilhões, em 2017 e 2018, bem como o conjunto de investidas econômicas contra o trabalhador brasileiro, entre alas, a redução em R$ 10,00 no valor inicialmente previsto para o salário mínimo no próximo ano.

Sobre o déficit, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) disse se tratar de um “absurdo”. “Para algum desavisado, pode até parecer algo bonito, mas trata-se de um grande rombo, de um grande furo nas contas públicas do País, ou seja, o governo federal, de forma irresponsável e criminosa, está gastando mais do que arrecada e gasta mal”, afirmou.

O deputado Valmir Assunção (PT-BA) revelou em plenário a grande contradição vivida pelo atual governo. Quando estava na oposição ao governo Dilma, a base golpista de Temer apontava o dedo contra a presidenta, acusando-a por um déficit infinitamente menor que o de hoje. “Agora o rombo é de 159 bilhões de reais. E ninguém diz nada! Chega-se ao ponto de mexer no reajuste do salário mínimo”, denunciou.

O deputado Caetano (PT-BA) avaliou que por trás de todas essas medidas desastrosas, incluindo a tentativa de aprovar o “Distritão” na reforma política, está a tentativa de entregar o Brasil, de vez, ao capital externo. “Ele quer cortar agora mais o quê? O salário mínimo. Cortar o salário mínimo é trazer o Afeganistão para cá, com essa proposta de distritão. Ao mesmo tempo, há esse rombo no País de 159 bilhões”.

Ao tratar do arrocho que o governo promove a todos os trabalhadores, a deputada Erika Kokay (PT-DF) disse também ser injusto Michel Temer mirar sua artilharia contra os servidores públicos, jogando para eles o ônus de parte dessa gastança golpista. “Temer elege um inimigo: os servidores que constroem este País, que constroem as políticas públicas”, destacou a parlamentar.

O deputado Marcon (PT-RS) reforçou o quão é descabida a decisão de cortar R$ 10 no salário do trabalhador. “Mais uma vez, neste País, quem paga a conta do golpe são os trabalhadores, os aposentados que recebem salário mínimo. São 10 reais em um ano, 10 reais em outro; se somar, são 20 reais a menos no bolso do nosso povo”, ressaltou, fazendo referência ao mesmo corte realizado no ano passado.

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Selvageria econômica de Guedes empurra 41,1% dos trabalhadores para a informalidade

A taxa média anual de informalidade em 2019 atingiu 41,1%, seu maior nível desde 2016, e b…