Home Portal Notícias Zarattini: Projeto entreguista e antipopular de Temer ameaça futuro do Brasil

Zarattini: Projeto entreguista e antipopular de Temer ameaça futuro do Brasil

13 min read
0

O líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), advertiu hoje (3) que o futuro do Brasil como nação corre sérios riscos, em decorrência do projeto antinacional e antipopular que vem sendo implementado pelo presidente ilegítimo Michel Temer. “Há uma inédita e grave crise política, econômica e social, iniciada com o impeachment da presidenta Dilma, que atacou a soberania do voto de 54 milhões de brasileiros e o Estado de Democrático de Direito”, disse o líder, em pronunciamento no plenário da Câmara.

Ele observou que a atual política econômica promovida pelo governo golpista
“é cruel, porque só atende aos interesses antinacionais, levando nosso povo ao desemprego, à miséria e ao desespero”. Paralelamente, há um ataque a direitos conquistados pelos trabalhadores em décadas de luta. “A elite golpista pensa ser possível retornar a um passado de escravidão e de um Brasil Colônia, com as ditas reformas, supressivas de direito, como a trabalhista, a previdenciária, a eleitoral e uma vergonhosa política econômica de entrega do patrimônio nacional”.

Petróleo – O líder do PT citou vários exemplos da prática antinacional do golpista Temer, que entrega aos estrangeiros as riquezas nacionais. É o caso do pré-sal, que está sendo entregue a preço de banana para petrolíferas estrangeiras, e da Petrobras. “A estatal está sendo privatizada sob o pretexto de venda de ativos e de recuperação de uma empresa vítima de corrupção de políticos. Isso é uma mentira, uma propaganda enganosa divulgada pelos setores golpistas da mídia cujo objetivo real é a demonização da política”.

Para o líder, as reformas de Temer pretendem na verdade fazer com que o Brasil se torne um país de economia primária, exportador de minérios e de produtos agrícolas. “Esse projeto visa reduzir a pó a nossa indústria, reduzir a pó a pesquisa científica e tecnológica e inutilizar as universidades públicas e os institutos de pesquisa e os institutos de desenvolvimento científico”, alertou o parlamentar.

“Nós no Brasil temos que nos opor a esse projeto”, afirmou Zarattini. “Esse é um projeto não só apoiado pela elite financeira do País, mas também apoiado principalmente por interesses internacionais que não admitem que o Brasil seja um país desenvolvido, soberano, autônomo, que se impõe perante os outros países num contexto internacional”.

Avanços – Para o líder do PT, a elite golpista não aceita avanços de governos que defenderam nossas riquezas e proporcionaram melhores condições de vida para o povo brasileiro. Ele citou como exemplo os governos de Getúlio Vargas, de Juscelino Kubitscheck, de João Goulart e, recentemente os de Lula e Dilma. Todos governos que defenderam os interesses nacionais e propiciaram condições de melhoria de vida da população como um todo, observou Zarattini.

A elite usou o tema corrupção, com amplo apoio dos conglomerados de mídia, para atacar os presidentes nacionalistas. Zarattini referiu-se ao caso específico de Lula, que vem sendo atacado dia e noite pela maior parte da mídia brasileira, sem provas, para ser impedido de disputar as eleições presidenciais de 2018.

Zarattini lembrou que Lula é atacado desde que se projetou na política, assim mesmo se elegeu presidente duas vezes e lidera todas as pesquisas para a campanha presidencial. “Lula disputou quatro eleições para ser eleito, agora a elite, que levou Vargas ao suicídio, que cassou Juscelino, que derrubou João Goulart, quer impedir que novamente Lula volte a se candidatar, e ser eleito”, denunciou o líder do PT.

“Contra Lula voltam a ser feitas acusações mentirosas, por uma mídia irresponsável, que pelas rádios e tevês, todos os dias, em todos os noticiários, em todas as horas propagam essas mentiras, destituídas de qualquer prova, invertendo-se o direito consagrado na Constituição de 1988, de que o acusado é inocente até provem contrário”.

Na opinião de Zarattini, a elite golpista quer evitar a volta de Lula por saber que ele defende os interesses nacionais e é contra as reformas que Temer, o ilegítimo, tem empurrado, como o desmonte da legislação trabalhista e da previdência, além do ataque a outros direitos históricos. “Com Lula, nós não teremos essa reforma. Lula também não vai permitir um criminoso desmatamento da Amazônia, que agride o meio ambiente, para garantir a criação de bois pelos setores mais atrasados da agropecuária e do latifúndio improdutivo”.
O líder denunciou Temer por pretender autorizar a venda indiscriminada de terras para estrangeiros. “Isso permitiria que fundos de investimentos norte-americanos, europeus e chineses possam comprar grandes extensões de terra em nosso País, na região do Cerrado, na Região Amazônica, para produzirem culturas de curta duração e poderem fazer uma agricultura voltada unicamente para a exportação, voltada unicamente para os mercados internacionais de commodities. Uma agricultura que não se preocupa em nenhum momento com a segurança alimentar do povo brasileiro, nem muito menos com o meio ambiente do nosso País”.

Venezuela – Em relação à crise na Venezuela, Zarattini repeliu a pecha de “bolivarianos” que direitistas e setores da mídia têm dado ao PT. “O que queremos é exatamente respeito, a não ingerência nos assuntos internos de cada nação, porque cada uma delas tem uma realidade econômica, social e política diferente das outras. Elas têm uma história e culturas. E temos que respeitar e não intervir, porque defendemos a autodeterminação dos povos”. Essa é, aliás, a tradição diplomática brasileira, a qual está sendo rompida pelo governo golpista Temer.

Para Zarattini, esse princípio deve ser observado em razão dos próprios interesses do Brasil. “Nosso País tem que ser soberano, e não aceitamos a ingerência externa, como se tenta fazer e como se faz muitas vezes, e como nós observamos com a espionagem conduzida pela NSA, agência de espionagem americana, que interveio no Brasil, espionando a presidenta Dilma, segredos industriais da Petrobras, numa atitude absolutamente inaceitável”.

O líder repudiou a tese de setores da elite que querem tirar Temer do governo e colocar no lugar dele alguém eleito por via indireta. “A elite quer eleição indireta e não o voto popular, porque sabe que o projeto de um Brasil democrático, soberano e socialmente justo, garantiu direitos para mais de 30 milhões de brasileiras e brasileiros excluídos da vida econômica do País”. Queremos eleições diretas, para que mais de 100 milhões de brasileiros que podem votar decidam quem querem para presidente e qual  programa socioeconômico que nós devemos levar adiante para melhorar a vida do povo brasileiro”.

Leia a íntegra do discurso :

http://www.camara.leg.br/internet/sitaqweb/TextoHTML.asp?etapa=2&nuSessao=202.3.55.O%20%20%20%20%20&nuQuarto=29&nuOrador=3&nuInsercao=0&dtHorarioQuarto=15:24&sgFaseSessao=GE%20%20%20%20%20%20%20%20&Data=03/08/2017&txApelido=CARLOS%20ZARATTINI&txFaseSessao=Grande%20Expediente%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20%20&dtHoraQuarto=15:24&txEtapa=Sem%20supervis%C3%A3o

 

Assista ao discurso:
https://www.facebook.com/dep.zarattini/videos/1412153672172369/

PT na Câmara
Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

2ª instância: Liberdade de Lula está próxima se STF cumprir a Constituição, avaliam petistas

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar nesta quinta-feira (17) três ações para …