Home Portal Notícias Temer governa para elite e população não aceita, diz Assis

Temer governa para elite e população não aceita, diz Assis

3 min read
0

O deputado Assis Carvalho (PT-PI) lembrou nesta terça-feira (1º), em plenário, que o ilegítimo presidente Michel Temer, ao escolher governar para as elites e para o mercado, obteve como resultado a avaliação positiva mais baixa de todo o período de redemocratização do Brasil. “Isso foi identificado por pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria ao Ibope, divulgada na última semana”, disse.

“Em julho, o golpista que hoje exerce o cargo de Presidente da República — ainda que sem votos — viu sua avaliação negativa disparar para 70%. Os que desaprovam a maneira de governar subiram para 83%. Os que consideram o governo apenas regular foram para 21%. E os que consideram este governo ilegítimo como ótimo ou bom são apenas 5%”, detalhou.

Ele reforçou que, segundo a pesquisa, 81% dos entrevistados querem que o Parlamento vote favoravelmente à abertura do processo que torna Michel Temer réu por crime de corrupção. “Ou seja, oito em cada dez brasileiros querem a admissibilidade da denúncia e, consequentemente, o afastamento do presidente da República. Não podemos deixar que a nossa população continue pagando o preço do golpe”, reivindicou.

Assis Carvalho lembrou que nesta quarta-feira (2) a Câmara decidirá se autoriza ou não a Suprema Corte do País julgar o presidente da República. “Deveremos decidir se afastaremos ou não Michel Temer por 180 dias. Quero acreditar na consciência de cada deputado e de cada deputada que tomará essa decisão. Quero acreditar que reestabeleceremos a normalidade democrática neste País com o afastamento de Michel Temer e, em seguida, com a convocação de eleições diretas. Não temos motivos para ter medo do povo. Fora Temer e Diretas já!”, conclamou.

 

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

As eleições de 2020 e o PT

“É hora de unidade. É hora de posturas firmes e claras. Diante da gravidade da crise…