Líderes repudiam manobra para favorecer Temer

0

O líder da bancada do PT, deputado Carlos Zarattini (SP), e o líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Décio Lima (PT-SC), afirmaram nesta segunda-feira (17), que a manobra do governo para postergar a votação da denúncia por corrupção passiva contra Temer – de agosto para setembro – é uma demonstração de “desespero de quem não tem como se defender”. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, do último sábado (15), o presidente Michel Temer já admite empurrar a ação para setembro.

Com dificuldade para garantir o quórum de 342 deputados para votar a denúncia, o governo – que antes queria pressa por acreditar que teria votos suficientes a fim de barrar a acusação – agora aposta no adiamento. Segundo a reportagem, com a expectativa da apresentação de uma nova denúncia contra Temer – pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot – até o fim de agosto, o governo agora quer colocar a denúncia em ‘banho-maria’. O objetivo seria esfriar o impacto junto à população e ao mesmo tempo reorganizar a base governista para enterrar simultaneamente as duas acusações.

“Essa é uma tentativa desesperada desse governo que não sabe mais como se defender. Acho difícil eles conseguirem evitar a votação no dia 2 de agosto, que terá transmissão ao vivo pela TV. Seria uma vergonha algum deputado não aparecer para votar”, afirma Carlos Zarattini.

Da mesma forma, Décio Lima acredita que a nova estratégia demonstra que o governo Temer não tem força para barrar a denúncia.

“Falar em adiar a votação demonstra que esse governo admite que está sem reação e sem condição de se defender. Já jogaram a toalha, e demonstram que não conseguem sair da encalacrada em que eles mesmos se meteram”, destaca.

Reação– Para impedir a manobra da base governista, o líder do PT enfatiza que será essencial a pressão da sociedade.

“Temos que pressionar os deputados para votarem no dia 2 de agosto. No próximo dia 20, já temos manifestação convocada para exigir o prosseguimento da denúncia contra o Temer, e precisamos espalhar placares nas praças das cidades mostrando à população como cada deputado vai votar. É preciso pressão nas bases de cada parlamentar para assegurarmos a votação no início de agosto”, orienta Zarattini.

O líder da Minoria no Congresso também reitera que a população precisa demonstrar que não compactua com esta manobra.

“Não podemos imaginar que este Congresso vai solucionar essa crise, que só pode acontecer com o povo na rua exigindo o afastamento de Temer e a realização de eleições diretas já. Por isso a importância das mobilizações nas capitais no próximo dia 20. O povo precisa despertar para a importância de sair às ruas e demonstrar que não é secundário, como imaginam os governistas”, conclui Décio Lima.

Héber Carvalho

Foto: Gustavo Bezerra/PTnaCâmara

Leia mais artigos relacionados
Load More By Assessoria
Load More In Manchetes
Comentários estão fechados

Leia Também

O Amor cura, o preconceito mata!

Em artigo, a deputada Luizianne Lins (PT-CE) condena o desrespeito à população LGBT no Bra…